domingo, 12 de abril de 2009

Frente ao egoísmo

Enfermidade renitente, que se caracteriza pela morbosidade que produz, o egoísmo permanece no organismo da humanidade ceifando vidas e desarticulando os mais formosos planos do bem, que objetivam o progresso e a dignificação da criatura.

Dissimula-se, astutamente, assumindo posturas que variam da urdidura hiprócrita da fraternidade, ao crime consciente praticado, desde que projetes as necessidades que o estruturam.

Hábil manipulador da palavra, sabe conduzir à agressão com estratégia de lutador que busca a vitória. (...)

É rude, quando ataca, desvelando-se ao impacto das paixões selvagens que esconde.

Arrogante, mascara-se de humilde, não suportando qualquer discrepância. Compete sempre contra os outros, a princípio nas sombras, depois em campo aberto.

É cruel verdugo do homem.

Cuida-te, em relação ao egoísmo.

Analisa-te, e vigia as tuas reais intenções, a fim de não lhe seres vítima. (...)

O que realizes, faze-o bem.

Na luta inglória da competição injustificável a que outros se entregam buscando diminuir-te, não te deixes conduzir pelas suas injunções.(...)

Resguarda-te em paz, procurando entendê-los, e prossegue na ação reta, mesmo que isto pareça "não valer a pena".(...)

A luta que travas, deve ser, inicialmente, contra esse inimigo íntimo, que conheces e deves vencer, de modo a conquistares a paz pessoal.

O indômito egoísmo de Anás, Caifás e Pilatos fê-los perderem-se.

O alucinado egoísmo de Hitler responde pela hecatombe que provocou, a ele próprio consumindo.

A História está repleta de lições a tal respeito, e tu, que buscas conhecer-te, sabes que esse grande adversário, que é o egoísmo, tem que ser incessantemente transformado em amor ao próximo, a serviço do bem geral como meta que não deve ser postergada.

Joanna de Ângelis

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...