sábado, 27 de novembro de 2010

Influenciações Espirituais Sutis

Sempre que você experimente um estado de espírito tendente ao derrotismo, perdurando há várias horas, sem causa orgânica ou moral de destaque, avente a hipótese de uma influenciação espiritual sutil.

Seja claro consigo para auxiliar os mentores espirituais a socorrer você. Essa é a verdadeira ocasião da humildade, da prece, do passe.

Dentre os fatores que mais revelam essa condição da alma, incluem-se:

- Dificuldade de concentrar idéias em motivos otimistas;

- Ausência de ambiente íntimo para elevar os sentimentos em oração ou concentrar-se em leitura edificante;

- Indisposição inexplicável, tristeza sem razão aparente e pressentimentos de desastre imediato;

- Aborrecimentos imanifestos por não encontrar semelhantes ou assuntos sobre quem ou o que descarregá-los;

- Pessimismo sub-reptícios, irritações surdas, queixas, exageros de sensibilidade e aptidão a condenar quem não tem culpa;

- Interpretação forçada de fatos e atitudes suas ou dos outros, que você sabe não corresponder à realidade;

- Hiperomotividade ou depressão raiando na iminência de pranto;

- Ânsia de investir-se no papel de vítima ou de tomar uma posição absurda de automartírio;

- Teimosia em não aceitar, para você mesmo, que haja influenciação espiritual consigo, mas, passados minutos ou horas do acontecimento, vêm-lhe a mudança de impulsos, o arrependimento, a recomposição do tom mental e, não raro, a constatação de que é tarde para desfazer o erro consumado.

São sempre acompanhamentos discretos e eventuais por parte do desencarnado e imperceptíveis ao encarnado pela finura do processo(...)

Não se sabe o que tem causado maior dano à humanidade: se as obsessões espetaculares, individuais e coletivas, que todos percebem e ajudam a desfazer ou isolar, ou se essas meio-obsessões de quase-obsediados, despercebidas, contudo bem mais frequente, que minam as energias de uma só criatura, mas influenciando o roteiro de legiões de outras.

Quantas desavenças, separações e fracassos não surgem assim?

Estude em sua existência se nessa última quinzena você não esteve em alguma circunstância com características de influenciação espiritual sutil. Estude e ajude a você mesmo.


Autor: André Luiz
Do livro: Estude e Viva

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Humildade, a marca do Cristo

Uma das virtudes que devem conduzir a atitude do homem perante a sociedade é a humildade. Quando se fala em humildade, habitualmente se pensa num ser de cabeça baixa, de gestos pequenos e atitudes de aceitação passiva. Em verdade, o sentimento de humildade caracteriza o ser que é forte e que, por isso mesmo, não se envergonha de dobrar-se diante do mais forte e elevado espiritualmente, ou diante de circunstâncias em que não possa interferir. Outra característica do ser humilde é a certeza absoluta de que seu ato tem a sanção dada pelo próprio Cristo. - E não nos esqueçamos de que o Cristo é aquele Mestre que nos ensinou a medida do sim, sim ou não e não.

O espírita, em suas atividades, constantemente é convocado ao exercício da humildade. Trabalhador do bem, deve trazer em seu espírito as marcas do Cristo. E, por saber quais são essas marcas, as adotará nos seus atos, nos seus pensamentos, nas suas atividades. Por trazer a característica cristã, falará aos que estão ao seu lado conforme a orientação do Cristo(...)

O Cristo nos ensinou, quando se dirigiu ao jovem, em sua passagem histórica pela Palestina: "Fazei tudo o que a Lei de Deus mandar, e sereis abençoado."

Meus irmãos, o dia a dia do homem está pedindo que sejamos bons, humanos, trabalhadores, mas fiéis a Deus. O que vemos na sociedade, nos dias de hoje, com tantas quedas morais, é o resultado da falta de confiança em Deus e, também, da falta de determinação do homem em seguir os ditames da Doutrina Cristã, na sua vida diária.

É necessário que a sociedade se transforme, dizem todo; mas como essa sociedade se transformará, se nós mesmos fazemos concessões ao orgulho, à impertinência, ao desalento, à má vontade, à indolência, quando não ao desequilíbrio?

Meus caros amigos, aprendamos com Jesus como agir no cotidiano; sigamos sua orientação e não nos esqueçamos jamais de que, na medida em que formos agindo no bem, a caridade será uma marca tão característica de nossas almas, que estaremos sendo humildes, porque somos do Cristo, porque compreendemos, e como ele agimos(...)

Façamos isso, meus irmãos, e sigamos, sempre atentamente olhando para o futuro, olhando para Deus, sem medo de errar, na medida em que vamos compreendendo que ser humilde é ser do Cristo.

Que Deus nos ajude, nos abençoe e nos dê sua bendita paz!


Autor: Balthazar
Do livro: Pela graça infinita de Deus - Vol. 1

sábado, 20 de novembro de 2010

Espíritos Benfeitores

Encontrarás espíritos benfeitores que te instruirão no dever a cumprir.

Imperioso porém, compreendas que se eles te oferecem o rumo, a ti pertence a caminhada.

A luz que te amplia a visão não te furta o serviço dos pés.

Faze-te, sobretudo, instrumento deles para que em te auxiliando possam igualmente agir em auxílio de outros.

Preprara-te a ser mais útil.

Se percebeste a luz da Nova Revelação podes efetivamente estendê-la.

Serás apoiando na medida que prestes apoio.

Dá e receberás.

Aprende sem delonga que os emissários do Senhor, quanto mais perto do Senhor mais compreendem e mais amam.

Deixa que a caridade constante e ardente se te irradie do coração.

O amor e a felicidade são herança de todos os filhos de Deus, mas se o remédio é particularmente endereçado ao enfermo, a maior proteção é devida ao mais fraco.

Os enviados da providência concedem-te as bênçãos da providência, no entanto, esperam que saibas destribuí-las. Eles querem abençoar com os teus sentimentos e operar com as tuas mãos. Acolhem-te no regaço, à feição dos pais amorosos que almejam retratar-se nos filhos. Anseiam de tal modo pela edificação do reino de Deus no mundo, que se esforçam para que estejas nele, tanto quanto estão eles em ti.

À vista disso, não te digas inútil.

Melhora-te e serve.

Felicidade é troca.

Amor é fusão.

Os mensageiros divinos aspiram a permutar as forças deles com as tuas, na recíproca transfusão de ideias e esperanças, a fim de que os Céus desçam à Terra e a Terra se eleve aos Céus.


Autor: Emmanuel
Do livro: No Portal da Luz

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Bem-Aventurados os pobres de espírito

Quando Jesus reservou bem-aventurados aos pobres de espírito, não menosprezava a inteligência, nem categorizava o estudo e a habilidade por resíduos inúteis.

O Senhor, aliás, vinha enriquecer a Terra com Espírito e Vida.

O Divino Mestre, ante a dominação da iniquidade no mundo, honrava acima de tudo, a humildade, a disciplina e a tolerância.

Louvando os corações simples e sincero, exaltava ele os que se empobrecem de ignorância, os que arrojam para longe de si mesmos o manto enganoso da vaidade, os que olvidam o orgulho cristalizado, os que se afastam de caprichos tirânicos, os que se ocultam para que os outros recebam a coroa do estímulo no imediatismo da luta material, os que renunciam à felicidade própria, a fim de que a verdadeira alegria reine entre as criaturas, os que se sacrificam no altar da bondade, cultivando o silêncio e o carinho, a generosidade e a elevação, nos domínios da gentileza fraterna, para que o entendimento e a harmonia dirijam as relações comuns, no santuário doméstico ou na vida social e que se apagam, a fim de que a glória de Jesus e de seus mensageiros fulgure para os homens.

Aquele, assim, que souber fazer-se pequenino, embora seja grande pelo conhecimento e pela virtude, convertendo-se em instrumento vivo da vontade do Senhor, em todos os instantes da jornada redentora, guardando-se pobre de preguiça e egoísmo, de astúcia e maldade, será realmente o detentor das bem-aventuranças divinas, na Terra e no Reino Celestial, desde agora.

Autor: Emmanuel
Do livro: Vida e Caminho

domingo, 14 de novembro de 2010

Mensageiros Divinos

Ser-nos-á sempre fácil discernir a presença dos mensageiro divinos, ao nosso lado, pela rota do bem a que nos induzam.

Ainda mesmo que tragam consigo o fulgor solar da vida celeste, sabem acomodar-se ao nosso singelo degrau nas lides da evolução, ensinando-nos o caminho da esfera superior. E ainda mesmo se alteiem a culminâncias sublimes na ciência do Universo, ocultam a própria grandeza para guiar-nos no justo aproveitamento das possibilidades em nossas mãos.

Sem ferir-nos de leve, fazem luz em nossas almas, a fim de que vejamos as chagas de nossas deficiências, de modo a que venhamos saná-las na luta do esforço próprio.

Nunca se prevalecem da verdade para esmagar-nos em nossa condição de espíritos devedores, usando-a simplesmente como remédio dosado para enfermos, para que nos ergamos ao nível da redenção, e nem se valem da virtude que adquiriram para condenar as nossas fraquezas, empregando-a tão só na paciência incomensurável em nosso favor, de modo que a tolerância nos não desampare à frente daqueles que sofrem dificuldades de entendimento maiores que as nossas.

Se nos encontram batidos e lacerados, jamais nos aconselham qualquer desforço ou lamentação,e, sim, ajudam-nos a esquecer a crueldade e a violência, com força bastante para não cairmos na posição de quem nos insulta ou injuria, e, se nos surpreendem caluniados ou perseguidos, não nos inclinam à revolta ou desânimo, mas recompõem as nossas energias desconjuntadas, sustentando-nos na humildade e no serviço com que possamos reajustar o pensamento de quem nos apedreja ou difama.

Erigem-se na estrada por invisível apoio aos nossos desfalecimentos humanos, e aclaram-nos a fé na travessia das dores que fizemos por merecer.

São rosas no espinheiral de nossas imperfeições, perfumando-nos a agressividade com bálsamo da indulgência, e estrelas que brilham na noite de nossas faltas, acenando-nos com a confiança no esplendor do crime.

E, sobretudo, diante de toda a ofensa, levantam-nos a fronte para o justo dos justos que expirou no madeiro, por resistir ao mal em suprema renúncia, entre a glória do amor e a bênção do perdão.


Autor: Emmanuel
Do livro: Religião dos Espíritos

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sinal do Cristo

Não te constranjam as próprias limitações, no serviço de amor cristão a que te entregas.

Prossegue no roteiro do bem, felicitando o próximo, embora estejas sedento enquanto distribuis a linfa. A contribuição que nasce no suor e nas lágrimas, carrega o sinal que a legitima.

Muitos companheiros apontarão suas falhas, procurando inibir o verbo que colocas à disposição da Boa Nova. No entanto, continua! Sabes que, no momento oportuno, terás os lábios selados e em silêncio, pelo Senhor, quando lhe aprouver.

Não faltarão vozes que te apresentarão a pobreza moral que deprime, enquanto ajudas outros, que caíram, a soerguerem-se. Persevera, convicto de que, no justo momento, o Senhor paralisará os teus braços, quando queira.

Estarão no caminho aqueles que te conhecem as imperfeições, não admitindo que te transformes em vanguardeiro do sublime ideal que apregoas. Todavia, tens a certeza de que, no tempo devido, o Senhor dispõe de recursos para retirar-se de cena, quando deseje.

Segue, portanto, a reta estrada da Fé, trabalhando na caridade sem fronteira.

Reconhece os próprios defeitos, mas não te detenhas neles.

Só as plantas parasitas se nutrem das árvores mortas, tranquilamente.

Jesus é vida, e Doutrina Cristã é ação.

Vai adiante!

Trabalha pelo bem e em teu próprio bem.

Não ofereças a concha dos teus ouvidos ao veneno da maldade alheia. São doentes, todos os acusadores, que se detêm em enfermidades graves.(...)

Os que estão à margem, somente enxergam um trecho do caminho. Em razão disso, não merecem a consideração da tua agonia.

Deixa-os, onde se comprazem, amolecidos e enfermos.

Segue além! Mesmo sabedor das limitações íntimas, rememora que, sedento algum jamais inquiriu as qualidades morais de quem oferece um copo de água fresca.

Ninguém perguntará, também, quem és ou donde vens, mas o que tens para dar em nome de Jesus, como sinal de que ele está contigo e tu, com ele.

E, ligado ao Espírito de Cristo, no amor da caridade, acende luzes na noite das almas até o momento em que a luz dele fulgure em ti, abrasando todo s teu ser e queimando todas as tuas iniquidades.

Autor: Joanna de Ângelis
Do livro: Messe de Amor

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...