quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Benefício oculto


Benefício oculto
“Não saiba vossa mão esquerda o que oferece a direita” é a lição de Jesus que constantemente nos sugere a
sementeira do bem oculto.

Entretanto, é preciso lembrar que se “nem só de pão vive o homem”, não se alimenta a virtude tão somente de recursos materiais.

Acima do benefício que se esconde para ser mais seguro no campo físico, de modo a que se não firam corpos doentes e bocas famintas pelos acúleos da ostentação, prevalece o amparo mudo às necessidades do sentimento, na esfera do espírito, a fim de que os tóxicos da maldade e os desastres do escândalo não arrasem experiências preciosas com o fogo da imprevidência.

Reação Pacífica


Reação pacífica
Estes são dias de desequilíbrio.

O medo galvaniza os homens.

A onda dos crimes cresce cada hora. No entanto, a agressividade e a violência que dominam as preocupações do mundo hodierno, a par das causas de natureza extrínseca, têm, no próprio homem, o caldo de cultura em que se desenvolvem assustadoramente.

Enquanto os especialistas dos diversos ramos do conhecimento tentam deter os efeitos da violência, que irrompe, voluptuosa, em toda parte, mergulhando o pensamento nos fatores causais socioeconômicos, sociopolíticos, socioculturais, psicológicos e de outras ordens, o egoísmo é a grande geratriz dos males que afligem a Terra...

Legítima defesa


Legítima defesa
O recurso à legítima defesa é naturalmente um direito comum a todas as criaturas.

Nem há que duvidar de semelhante prerrogativa.

No entanto, importa considerar que esse direito não consiste em subtrair a existência do próximo, invadindo atribuições que pertencem a Deus.

Dispomos do privilégio da defensiva, aplicando a nós mesmos os artigos da Lei Divina obedecendo-lhe as determinações que nos garantem responsabilidade e equilíbrio.

Defender-nos-emos contra a incursão em novos débitos, abstendo-nos de alongar a despesa de cada dia, além da receita que nos compete.

Amando os inimigos


Amando os inimigos
Sem liberdade é impossível avançar nas trilhas da evolução, mas fora do entendimento que nasce do amor, ninguém se emancipa nos caminhos da própria alma.

Seja onde seja e seja com que for, deixa que a simpatia e a compreensão se te irradiem do ser.

Em qualquer parte onde palpite a vida, eis que a vida, para crescer e aperfeiçoar-se, roga o alimento do amor tanto quanto pede a presença da luz.

De muitos recebes o apoio da bondade e outros muitos aguardam de ti semelhante auxílio.

Da faixa dos benfeitores recolhes a bênção para transmiti-la na direção dos que te não aceitam ou desajudam.

domingo, 23 de outubro de 2011

Amor

Amor
Quando o sol brilha na imensidade cósmica, não traça exigência para reger as próprias doações; derrama-se em luz e força para a sustentação da Natureza.

Quando a chuva se precipita da atmosfera, não escolhe, para beneficiar, os tratos de terra mais habilitados a produção; consome-se quando pode, a fim de ajudar a gleba indistintamente.

Quando a rosa se desabrocha na paisagem, não quer saber quantos espinhos se lhe cravam na haste; espalha perfume e beleza, atenta às finalidades para as quais se vê nascida.

Quando a semente é largada ao solo, não perde tempo a considerar se é pequenina em excesso ou se é indigna de trabalhar porque se encontra na lama; entrega-se, confiantemente, aos processos da vida que a transformam na planta endereçada à proteção e ao socorro do homem.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Perdoa Sempre

Perdoa sempreAuxilia aos outros, sem a preocupação de receber o amparo alheio.

Tudo aquilo que fizermos agora, será aquilo que colheremos depois.


Consideremos, porém que a fim de sanar os desajustes na engrenagem de nosso relacionamento recíproco, o Senhor nos concede a bênção da compaixão.


Se anotas a presença de amigos candidatos ao discemimento maior com as falhas naturais pelas quais se identificam, compadece-te deles e ampara-os com as forças ao teu alcance.


Abraça o trabalho do bem aos outros com alegria.


Aprende a colocar com o bem do próximo, na convicção de que ninguém progride a sós.


quinta-feira, 6 de outubro de 2011

No Campo de Mente

No campo da mente
Canaliza as tuas forças mentais para a ideação do bem em preparativos de materialização.

As energias da mente são o potencial de força que estrutura a vida.

Jogadas a esmo, perdem a  finalidade superior para a qual existem, concretizando irrisão e desequilíbrio.

Assim, cuida do direcionamento dos teus pensamentos, evitando os devaneios que te incendeiam de paixões perturbadoras, que anelas e, certamente, não se consumarão.

Mesmo que aconteçam, sustentadas pelo teu desejo ardente, são fogos-fátuos que logo desaparecem.

Exercita a tua mente, fixando ideias otimistas, de saúde e de trabalho.

Livres, mas responsáveis


Livres, mas responsáveisA quem nos pergunte se a criatura humana é livre, responderemos afirmativamente.

Acrescentemos, porém, que o homem é livre, mas responsável, e pode realizar o que deseje, mas estará ligado inevitavelmente ao fruto de suas próprias ações.

Para esclarecer o assunto, tanto quanto possível, examinemos, em resumo, alguns dos setores de sementeira e colheita ou, melhor, de livre-arbítrio e destino em que o espírito encarnado transita no mundo.

POSSE — O homem é livre para reter quaisquer posses que as legislações terrestres lhe facultem, de acordo com a sua diligência na ação ou seu direito transitório, e será considerado mordomo respeitável pelas forças superiores da vida se as utiliza a benefício de todos, mas, se abusa delas, criando a penúria dos semelhantes, de modo a favorecer os próprios excessos, encontrará nas consequências disso a fieira das provações com que aprenderá a acender em si mesmo a luz da abnegação.

Adversidade


Adversidade
Lutar contra a adversidade é um dever; abandonar-se, deixar-se  levar pela preguiça, suportar sem reagir aos males da vida seria uma covardia. As dificuldades que temos a vencer exercem e desenvolvem nossa  inteligência. Todavia, quando nossos esforços tornam-se supérfluos, quando o inevitável ergue-se, chega a hora de apelar para a resignação. Nenhuma força poderia desviar de nós as consequências do passado.
Revoltar-se contra a lei moral seria tão insensato quanto querer resistir às leis da distância e da gravidade. Um louco pode procurar lutar contra a Natureza imutável das coisas, enquanto que o espírito sensato encontra
na provação um meio de retemperar-se, de fortalecer suas qualidades viris. A alma intrépida aceita os males do destino; mas, através do pensamento, eleva-se acima deles e transforma-os em degrau para atingir a virtude.

As aflições mais cruéis, as mais profundas, quando aceitas com submissão que é o consentimento da razão
e do coração, indicam, geralmente, o término de nossos males, a quitação da última prestação da nossa dívida. É o instante decisivo onde importa permanecer firme, apelar para toda nossa resolução, para nossa energia moral, a fim de sair vitorioso da prova e dela recolher as vantagens.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Agressores e Nós


Agressores e nósQuase sempre categorizamos aqueles que nos ferem por inimigos intoleráveis; entretanto, o Divino Mestre,
que tomamos por guia, determina venhamos a perdoar- lhes setenta vezes sete.

Por outro lado, as ciências psicológicas da atualidade terrestre nos recomendam que é preciso desinibir o coração, escoimando-o de quaisquer ressentimentos, e estabelecer o equilíbrio das potências mentais, a fim de que a paz interior se nos expresse por harmonia e saúde.

Como, porém, executar semelhante feito? Compreendendo-se que o entendimento não é fruto de meras afirmativas labiais, reconhecemos que o perdão verdadeiro exige operações profundas nas estruturas da consciência.

Afirmação


Afirmação
“Lançai para diante o olhar; quanto mais vos elevardes pelo pensamento, acima da vida material, tanto menos vos magoarão as coisas da Terra.” (O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XII, it. 8.)


Afirma tua convicção seguindo de passo firme.

Enquanto o céu se colore de raios irisados e tudo sorri, o cristão pouco difere do homem comum.

No entanto, quando os dias escurecem, cobrindo-se de cúmulos carregados, faz-se necessário afirmar a fé.

Palavra fácil nos júbilos não pode ficar silenciosa e sem-vida nas aflições.

Diante da Justiça



Diante da justiça“...Se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.”— 
Jesus. (Mateus, 5:20.)


Escribas e fariseus assumiam atitudes na pauta da Lei Antiga.

Olho por olho, dente por dente.

Atacados, devolviam insulto.

Perseguidos, revidavam, cruéis.

Com Jesus, porém, a justiça fez-se a virtude de conferir a cada qual o que lhe compete, segundo a melhor consciência.

Ele mesmo começou por aplicá-la a si próprio.

Enredado nas trevas pela imprudência de Judas, não endossa condenação ou desforço.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...