terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Postura


Postura
Diante da política, o médium espírita procurará não se envolver diretamente em nenhuma questão que lhe diga respeito.

Diante do dinheiro, não ambicionará além do que necessita para viver com dignidade.

Diante da família, não imaginará que ela seja incompatível com o exercício da mediunidade, evitando optar por uma vida celibatária para a qual não se encontre preparado.

Diante do sexo, não adotará atitude moralista, entendendo que todos carecemos de disciplina em nossos impulsos afetivos.

Diante da alimentação, não se entregará a excessos, mas estará sempre atento à lição do Mestre ao esclarecer que o que torna impuro o homem não é o que lhe entra pela boca.

O Estudo do Sono


O estudo do sono
O estudo do sono fornece-nos, sobre a natureza da personalidade, indicações de grande importância. Em geral, não nos aprofundamos bastante a respeito do mistério do sono. O exame atento deste fenômeno, o estudo da alma e de sua forma fluídica, durante esta parte da existência que consagramos ao repouso, conduzir-nos-ão a uma compreensão mais ampla das condições do ser, na vida do Além.

O sono possui não só propriedades reparadoras, a que a Ciência ainda não deu o destaque suficiente, mas também um poder de coordenação e de centralização sobre o organismo material. Acabamos de ver que ele pode, além disso, provocar uma expansão considerável das percepções psíquicas, maior intensidade do raciocínio e da memória.

O que é, então, o sono?

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Nas Trilhas da Caridade


Nas trilha da cariadade
A caridade nunca falha... — Paulo. (I Coríntios, 13:8.)


A caridade possui maneiras múltiplas de ajudar, em tudo aplicando o senso das dimensões.

No atendimento de cada necessidade ei-la que se expressa não somente com a luz da bondade, mas também com o metro da prudência:

Distribuindo alimento às vítimas da penúria, abstém-se de azedar o pão com o vinagre da reprimenda, respeitando a condição dos que lhe batem à porta;

Medicando o enfermo, não lhe exige atitudes em desacordo com os desajustes orgânicos em que o socorrido se veja, e sim escolhe os melhores gestos de tolerância e compreensão, de modo a servi-lo;

Na Tarefa Cristã


Na Tarefa Cristã
Reparte o teu pão com o faminto e alivia a sede nos lábios ressequidos do teu irmão, mas não esqueças balsamizar-lhe as chagas interiores, com o remédio do entendimento e do carinho, restaurando-lhe a força exaurida ou a esperança quase morta.

Jesus deseja ver com os nossos olhos, escutar com os nossos ouvidos e socorrer por nossas mãos...

Não estendas os braços somente nos dias da grande necessidade do teu próximo, porque a dádiva tardia significa recusa.

Sustenta a alegria edificante, alimenta o bom ânimo, ampara a boa vontade dos outros e dilata o estímulo nos corações que te cercam, de vez que muita gente existe recordando o semelhante apenas quando a miséria já reduziu a alma e a carne a farrapos de sombra e pó.

Mediunidade e Fidelidade


Mediunidade e Fidelidade
Todos destacamos a excelência da mediunidade nas demonstrações da sobrevivência.

Um companheiro apresenta sinais evidentes de força psíquica em exteriorização e reconhecemos nele um instrumento potencial para as manifestações de espiritualidade.

Inclinamo-lo a apassivar-se, diante das inteligências desencarnadas que o cercam e, quase sempre, exortamo-lo a regimes de adestramento físico para que se lhe ajustem as possibilidades orgânicas ao comando das entidades que lhe influenciam a mente.

Bastará, no entanto, apenas isso?

Que dizer de alguém que viesse a fabricar valioso automóvel sem a menor preocupação de preparar um motorista adequado à máquina, com a prática do manejo de suas peças e com todos os conhecimentos da sinalização necessária do trânsito?

Ante a Força do Bem


Ante a força do bem
...Deus é caridade; e quem está em caridade está em Deus e Deus nele. — João I, 4:16. 


Muitos acreditam simplesmente na força e agem sob o domínio da imposição.

A força, no entanto, comanda apenas coisas e corpos, e tudo o que ela faça, em matéria de condução ou vivência, depende de mais força para continuar.

No reino da alma somente o amor, fonte da vida, consegue estabelecer verdadeiro apoio ao equilíbrio e à governança.

A força não resolve um cálculo aritmético nem compõe leve trecho de melodia; entretanto, pelo amor ao estudo o homem prevê a movimentação das estrelas, e pelo amor à arte produz a sinfonia que tange os
sentimentos da multidão.

A Memória


A memória
Os mínimos detalhes de nossa vida gravam-se em nós e nos deixam marcas indeléveis. Pensamentos, desejos, paixões, atos bons ou maus, tudo se fixa, tudo fica gravado. Durante o curso da vida normal, as lembranças se
acumulam em camadas sucessivas e as mais recentes acabam, aparentemente, apagando as mais antigas. Parece que esquecemos aqueles mil detalhes de nossa existência finda. Entretanto, nas experiências hipnóticas, basta evocar o tempo passado e recolocar o “sujet”, pela vontade, em uma etapa anterior de sua vida, em sua juventude, ou até mesmo na infância, para que aquelas lembranças reapareçam em massa. O “sujet” revive seu passado, não apenas com o estado de alma e a associação de ideias que lhe eram peculiares à época — ideias
às vezes bem diferentes das que ele professa atualmente — com seus gostos, seus hábitos, sua linguagem, mas também reconstituindo, automaticamente, todo o conjunto dos fenômenos físicos contemporâneos daquela época. Isto nos leva a reconhecer que há uma correlação estreita entre a individualidade psíquica e o estado orgânico.

A Lei do Progresso


A Lei do Progresso
A lei do progresso não se aplica somente ao homem. Ela é universal. Há, em todos os reinos da Natureza, uma evolução que foi reconhecida pelos pensadores de todos os tempos. Desde a célula verde, desde o vago embrião boiando sobre as águas, através de séries variadas, a cadeia das espécies desenrolou-se até nós.

Nesta cadeia, cada elo representa uma forma de existência que conduz a uma forma superior, a um organismo mais rico, mais bem adaptado às necessidades, às crescentes manifestações da vida. Mas, na escala da
evolução, o pensamento, a consciência, a liberdade só aparecem depois de muitos degraus. Na planta, a inteligência dorme; no animal, ela sonha; só no homem ela desperta, se reconhece, se possui e se torna consciente. A partir de então, o progresso, de certa forma fatal nas formas inferiores da Natureza, só pode ocorrer pela concordância da vontade humana com as leis eternas.

A Consciência


A consciência
A segmentação da consciência parece, às vezes, tão efetiva, e os tipos que surgem, tão diferentes do tipo normal, que se poderia julgar estar diante de várias consciências autônomas, alternando-se em um mesmo indivíduo. Acreditamos, como Myers, que não é isto o que ocorre. O que há neles é simplesmente uma variedade de estados sucessivos, coincidentes com a permanência do eu. A consciência é uma, porém, se manifesta diversificadamente: de uma forma restrita, na vida normal, pelo fato de ser limitada pelo organismo; mais plena, mais ampla, nos estados de desprendimento; finalmente, de maneira total, integral, por ocasião da morte, após a separação definitiva, como o demonstram as manifestações e ensinos dos espíritos. Logo, a cisão é apenas aparente. A única distinção a fazer entre os variados estados da consciência é uma diferença de graus. Estes graus podem ser numerosos. A margem parece considerável, por exemplo, entre o estado de incorporação e a exteriorização completa. A personalidade permanece idêntica, através do encadeamento dos fatos de consciência, que um elo ininterrupto liga uns aos outros, desde as modificações mais simples do estado normal, até os casos em que há uma transformação da inteligência e do caráter; desde a simples ideia
fixa, os sonhos, até a projeção da personalidade no mundo espiritual, nesse Além, onde a alma recobra a plenitude de suas percepções e de seus poderes.

A Beneficência


A beneficência
Muitas vezes nosso coração se deixa embalar pelo estímulo externo e daí passamos a praticar qualquer forma de beneficência. Mas, como todas as aquisições do espírito imortal, a prática da beneficência é algo construído internamente e que significa, basicamente, estar com o coração disposto a ajudar segundo as necessidades de quem recebe e as possibilidades de quem dá.

Para se ajudar, portanto, é necessária uma espécie de transformação de nosso espírito imortal, que deverá ser capaz de fazer o bem independentemente de fatores externos.

Longe de nós, no entanto, dizer que esses estímulos não têm validade. Chamamos a atenção, sim, para o fato de que o serviço da beneficência deve ser algo inerente à natureza do espírito, de modo que ele possa agir sem outro interesse que não o da própria maneira de ser.

Transes Morais


Transe moral
Ninguém permanece incólume na jornada humana.

Ninguém, em regime excepcional, face aos transes morais.

Todos reencarnam com objetivos de elevação, e para esse desiderato as provações como as expiações chegam, necessárias, convocando o espírito em depuração ao resgate que lhe facultará liberdade e paz.

Mesmo aos espíritos missionários, em apostolado de abnegação e amor, com as metas para a redenção humana, nos diversos campos da Cultura, da Arte, da Ciência, da Fé, são exigidas as contribuições morais
de longo curso, com as quais plasmam nos contemporâneos e nos pósteros as supremas lições de que suas existências se fazem instrumento.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Mais caridade


Mais caridade
Não digas que a prosperidade material, só por si, afastaria do mundo o ministério da caridade.

Não obstante o progresso tecnológico, que vai descobrindo novos processos de solução aos problemas do Plano Físico, a renovação planetária como que nos exige, na Terra, mais caridade, à vista dos novos necessitados que repontam hoje de todas as procedências.

Deixa que o coração se te enterneça e vê-los-ás sem  dificuldade: os que não se ajustaram aos impactos, por vezes cruéis da evolução e choram inibidos nas retaguardas;

os que se viram obrigados à repentina desvinculação dos entes queridos e sofrem aflitivas sensações de abandono;

As forças do amanhã

As forças do amanhã
"Não sabeis que um ponto de fermento leveda a massa toda?" Paulo (I Coríntios, 5:6)


Ninguém vive só.

Nossa alma é sempre núcleo de influência para os demais.

Nossos atos possuem linguagem positiva.

Nossas palavras atuam à distância.

Achamo-nos magneticamente associados uns aos outros.

Ações e reações caracterizam-nos a marcha.

É preciso saber, portanto, que espécie de forças projetamos naqueles que nos cercam.

Nossa conduta é um livro aberto.

Caridade na caridade


Caridade na caridade
Filhos, os vossos impulsos negativos costumam vos assaltar, mesmo quando vos encontrais envolvidos nas tarefas de amor ao próximo.

É o melindre que vos suscita um companheiro de ideal com o qual ainda não vos afinizais completamente; é a vossa equivocada postura de superioridade que vos é incentivada pela vossa transitória condição de doadores; é a ilusão a que vos inclinam os bens amoedados que fostes chamados a administrar com parcimônia: é a injustiça que vos assoma à personalidade, através das decisões arbitrárias que tomais em relação ao que se deve dividir com os necessitados; é a palavra áspera com que vos achais no direito de vos dirigir aos que convosco cooperam, em escala menor; é a indiferença ante a opinião de um vosso anônimo colaborador que insensatamente considerais sem-lucidez bastante para externar o seu ponto de vista; é a censura descaridosa que efetuais contra os que não se talham pelo vosso figurino moral; é a movimentação inútil que empreendeis para afastar determinado integrante do grupo que não vos corresponde aos anseios...

Caridade, aprendizado da bondade


Caridade, aprendizado da bondadeAlguns perguntarão: O que é a caridade? E nós responderemos: Olhem em volta de todos e percebam a extensão do serviço de bondade que Jesus nos autoriza a cumprir. Os que estão aqui, espíritos encarnados e espíritos desencarnados, estão todos autorizados por Deus, na figura de Jesus, a desenvolver a capacidade de doar-se em favor do semelhante. Outros estão desenvolvendo a capacidade de entender o semelhante, e outros ainda aprendem a caminhar com firmeza, criando dentro de si condições para perseverar no bem.

Quando observamos a ação da caridade, até junto aos homens, observamos que Jesus nos dá a oportunidade de agir para nos melhorarmos, o que já é a caridade de Deus para nós. Se temos a possibilidade de agir em favor do semelhante, nós praticamos a caridade; mas o fato de termos essa autorização para trabalhar é a caridade de Jesus em nosso benefício.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...