quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Visão no estado de vigília


Visão no estado de vigília
A visão e a audição psíquicas, em estado de vigília, ligam-se aos fenômenos de exteriorização, no sentido de que elas necessitam de um início de desligamento no percipiente. Aqui, não se trata mais de fatos fisiológicos ou de manifestações a distância do ser vivo, porém muito mais de uma das formas da mediunidade. 

Na visão espírita, a alma do sensitivo já está parcialmente exteriorizada, isto é, saída de seu organismo material. Sua própria faculdade de visão vem se juntar ao sentido físico da visão. Às vezes, a substituição do sentido psíquico pelo outro é completa. O que o demonstra, é que em alguns casos, o médium vê com os olhos fechados. Frequentemente, fui testemunha desse fenômeno. 


Deve-se distinguir, com cuidado, a clarividência da visão medianímica. Acontece que sonâmbulos, muito lúcidos, no que se refere aos seres e às coisas desse mundo,  ficam completamente cegos com relação a tudo o que toca o mundo dos espíritos. Isto se deve à natureza das irradiações fluídicas de seu envoltório exteriorizado e ao modo de treinamento a que o magnetizador lhes submete. É isso o que diferencia o estado de lucidez simples do de mediunidade. Neste último caso, não é mais o magnetismo humano que intervém. O vidente está sob a influência do espírito que age sobre ele, em vista da manifestação a ser produzida. Provocando o estado de semi desligamento, ele proporciona ao sensitivo a visão espiritual. 



Autor: Léon Denis
Do Livro: No Invisível

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...