domingo, 30 de junho de 2013

Sugestões de Amigo

Sugestões de Amigo
Sugestões de Amigo
“Sabe ele (o Paganismo) muito bem que está errado, mas isso não o abala, porquanto a verdadeira fé não lhe está na alma. O que mais teme é a luz, que dá vista aos cegos.” — capítulo XXIII — item 14. 


Mesmo que você esteja com a razão, escute em silêncio a reprimenda injustificada. 

Ouvir para examinar é oportunidade de aprendizado e experiência.

Mesmo que a lição lhe amargure o espírito, receba-a como dádiva preciosa. 

Antes uma verdade que magoa, mas salva, do que uma ilusão que agrada e se desvanece. 

Mesmo que você seja chamado ao debate em nome da causa que ama, desculpe-se e prossiga na ação.

Muitas palavras exaltam poucas razões. 

Mesmo que a dor se constitua parceria única de seus labores evangélicos, prossiga resoluto.

sábado, 29 de junho de 2013

Somos Todos Médiuns

Somos Todos Médiuns
Somos todos, é verdade, mas em graus bem diferentes. Muitos o são e o ignoram. Não há homens sobre os quais a influência, boa ou má, dos espíritos, não ajam.

Vivemos no meio de uma multidão invisível que assiste, silenciosa, atenta, aos detalhes da nossa existência, participa pelo pensamento dos nossos trabalhos, das nossas alegrias, das nossas dores. Nessa multidão, tomaram lugar a maioria daqueles que reencontramos na Terra, e aos quais seguimos até o campo fúnebre a pobre vestimenta usada. 

Pais, amigos, indiferentes, inimigos, todos permanecem e são reconduzidos pela atração dos hábitos e das lembranças para os lugares e para os homens que conheceram. Esses seres invisíveis nos influenciam, nos observam, nos inspiram à nossa revelia, e, em alguns casos, até, nos obsediam, nos perseguem com seu ódio e com sua vingança.

Todos os escritores conhecem as horas de inspiração, em que seu pensamento ilumina-se com claridades inesperadas, onde as ideias correm como uma torrente sob sua pluma. Qual de nós, nos momentos de tristeza, de abatimento, de desespero, não se sentiu reanimado, reconfortado por uma ação íntima e misteriosa? E os inventores, os pioneiros do progresso, todos aqueles que lutam para engrandecer o domínio e o poder da Humanidade, todos aqueles, não se beneficiaram do socorro invisível que nossos mais velhos sabem lhes trazer nas horas decisivas? Escritores subitamente inspirados, inventores frequentemente esclarecidos, são, igualmente, médiuns intuitivos e inconscientes.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Sabes Disso

Sabes Disso
Sabes Disso
Essas doces crianças que observas, com sublime enternecimento, são teus filhos, pérolas de luz, cujo escrínio geraste no coração, muitas vezes coagulando as próprias lagrimas.

Tomaste algo de teu sangue e amassaste-o com o hálito de teu hálito, adicionaste os melhores sonhos e os mais límpidos ideais e formaste semelhantes maravilhas que te nasceram por esperanças em flor.

Sentindo-as por aves frágeis, à busca de asilo em teu peito, sabes acolher-lhes as necessidades no carinho incessante.

Dias de laborioso cuidado, preservando-lhes a existência.

Noites de dolorosa vigília, quando a enfermidade aparece.

Alimento, agasalho, escola, responsabilidades e inquietações...

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Transes Morais

Transes Morais
Transes Morais
Ninguém permanece incólume na jornada humana. 

Ninguém, em regime excepcional, face aos transes morais. 

Todos reencarnam com objetivos de elevação, e para esse desiderato as provações como as expiações chegam, necessárias, convocando o espírito em depuração ao resgate que lhe facultará liberdade e paz. 

Mesmo aos espíritos missionários, em apostolado de abnegação e amor, com as metas para a redenção humana, nos diversos campos da Cultura, da Arte, da Ciência, da Fé, são exigidas as contribuições morais de longo curso, com as quais plasmam nos contemporâneos e nos pósteros as supremas lições de que suas 
existências se fazem instrumento. 

Desafios que a vida oferece aos transeuntes da evolução, os dramas morais significam impositivos valiosos para quem se candidata à felicidade real. (...)

terça-feira, 25 de junho de 2013

Resgate e Renovação

Resgate e Renovação
Resgate e Renovação
A reencarnação não seria caminhada redentora se já houvesse atendido a todas as exigências do aprimoramento espiritual.

Enquanto na escola, somos chamados ao exercício das lições.

Ante a lei do renascimento, surpreenderás no mundo, dificuldades e lutas, espinhos e tentações. Reencontrarás afetos que a união de milênios tornou inesquecíveis, mas igualmente rentearão contigo velhos adversários, não mais armados pelos instrumentos do ódio aberto, e sim trajados noutra roupagem física, devidamente acolhidos a tua convivência dificultando-te os passos, através da aversão oculta.

Saberás o que seja tranquilidade por fora e angústia por dentro. Desfrutarás a amenidade do clima social que te envolve, com os mais elevados testemunhos de apreço, e respirarás, muitas vezes, no ambiente convulsionado de provações entre as paredes fechadas do reduto doméstico. Entenderás, porém, que somos trazidos a viver, uns à frente dos outros, para aprender a amar-nos reciprocamente como filhos de Deus.

domingo, 23 de junho de 2013

Os Espíritos Inferiores

Os Espíritos Inferiores
Os Espíritos Inferiores
O espírito puro traz, em si, sua luz e sua felicidade, que o seguem por toda parte, e fazem parte integrante de seu ser. Assim também, o espírito culpado arrasta consigo sua noite, seu castigo, seu opróbio. Os sofrimentos das almas perversas, por não serem materiais, não são menos vivos. O inferno é apenas um lugar quimérico, um produto da imaginação, um espantalho talvez necessário para enganar povos infantis, mas que nada tem de real. Muito diferente é o ensino dos espíritos com relação aos tormentos da vida futura: não há hipótese em parte alguma.

Esses sofrimentos, com efeito, aqueles mesmos que os experimentam nos vêm descrevê-lo, como outros vêm nos retratar seu arrebatamento. Eles não são impostos por uma vontade arbitrária. Nenhuma sentença é 
pronunciada. O espírito sofre as consequências naturais de seus atos, que recaindo sobre ele, glorificam-no ou acabrunham-no. O ser sofre na vida de além-túmulo, não somente pelo mal que fez, mas também pela sua inação e pela sua fraqueza. Numa palavra, essa vida é obra sua; tal qual configurou com suas próprias mãos. O sofrimento é inerente ao estado de imperfeição; atenua-se com o progresso; desaparece quando o espírito vence a matéria.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O Perispírito

O Perispírito
O Perispírito
Os materialistas, na sua negação da existência da alma, frequentemente argumentaram sobre a dificuldade de conceber um ser privado de forma. Os próprios espiritualistas não explicavam como a alma, imaterial, imponderável, poderia unir-se estreitamente e comandar o corpo material, de natureza essencialmente diferente. Essas dificuldades encontraram sua solução nas experiências do Espiritismo.

Assim como dissemos precedentemente, durante a vida corporal como após a morte, a alma está constantemente revestida de um invólucro fluídico, mais ou menos sutil ou etéreo, que Allan Kardec chamou de perispírito, ou corpo espiritual. O perispírito serve de laço entre o corpo e a alma; transmite-lhe as impressões dos sentidos e comunica ao corpo as vontades do espírito. No momento da morte, desprende- se da matéria tangível, abandona o corpo às decomposições do túmulo, mas, inseparável da alma, conserva a forma exterior de sua personalidade.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Médiuns Proféticos

Médiuns Proféticos
Médiuns Proféticos
“Se há verdadeiros profetas, mais ainda os há falsos, e que tomam os sonhos de sua imaginação por revelações, quando não são velhacos que, por ambição, se fazem passar como tais.” (Cap. XVI — Segunda Parte — item 190.) 


Como o tempo das mesas girantes, o tempo das profecias já passou na Doutrina Espírita. No princípio, para impressionar, advertir e, sobretudo, para dar às pessoas convicção sobre a realidade da vida espiritual, surgiam, como nos tempos apostólicos, médiuns que faziam predições acerca do futuro... Eram, em sua maioria, homens sem nenhuma instrução que viviam nas fazendas e nas pequenas cidades do interior. Quase sempre, desapareciam da mesma maneira que surgiam... Eram tidos por loucos e raros lhes prestavam ouvidos... Anunciavam acontecimentos que, no geral, acabavam se concretizando; dirigiam-se a determinadas pessoas, falando-lhes de forma impressionante a respeito do futuro... Mediunizados, faziam recordar os profetas das páginas do Antigo Testamento, quando profetizavam a vinda do Messias como, por exemplo, podemos ler no capítulo 53 do livro de Isaías(...) 

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Idiotia

Idiotia
Idiotia
Surge, aqui e ali, quem pergunte por eles, os tiranos que ensoparam o mundo de lágrimas, conhecidos por lamentáveis fazedores de guerra.

Apropriavam-se da autoridade e comandavam o extermínio das cidades que se lhes rendiam sem restrições; passavam, quais ciclones pestilentos, incendiando sítios prósperos, aniquilando homens dignos, abatendo enfermos, desrespeitando mulheres, empalando fugitivos ou decepando os braços de crianças inermes; apareciam por empreiteiros da demolição e do sarcasmo, organizando o cativeiro de povos livres ou formando, em nome da prepotência, as inquisições políticas, nas quais o abuso do poder consagrava a felonia e a traição por bases de governança, a fim de que os quadrilheiros das trevas operassem, impunes; salientavam-se por mandantes dos choques de violência em que os fracos eram irremediavelmente impelidos à queda ou espoliados sem remissão... Entretanto, nas seges purpuradas e nos palácios faustosos em que transitavam sorridentes, na direção do sepulcro, repontavam, sem que eles mesmos percebessem, as maldições dos sacrificados, o choro das viúvas e dos órfãos, os gritos de horror dos perseguidos quando traspassados pelos últimos golpes, as chamas das fogueiras destruidoras, o sofrimento dos mutilados, as pragas dos feridos agonizantes largados à ventania da noite, o sangue dos campos recobertos de cadáveres insepultos, o frio das necrópoles encharcadas de pranto, o infortúnio dos lares vazios, o protesto das escolas arrasadas, a dor silenciosa dos templos derruídos, os adeuses e os soluços dos mortos.

sábado, 15 de junho de 2013

Flexibilidade Mediúnica

Flexibilidade Mediúnica
Flexibilidade Mediúnica
“Ocorre o mesmo com respeito aos médiuns: com qualidades iguais na potência medianímica, o espírito dará preferência a um ou a outro, segundo o gênero de comunicações que quer dar.” (Cap. XVI — segunda parte — item 185.) 


Existem médiuns que se angustiam porque, por exemplo, não conseguem ser médiuns de obras romanceadas; outros gostariam que não fosse assim, mas apenas obtêm comunicações de caráter prolixo e sentido impreciso... 

A chamada flexibilidade mediúnica está diretamente relacionada com o estilo do próprio medianeiro, com o seu tipo de vocabulário, com a sua tendência literária, enfim, com a sua formação cultural. 

Embora os espíritos possam escrever poesia através de um médium que nunca compôs um verso, a lógica ensina que eles dão preferência a quem tenha facilidade neste campo. 

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Espiritismo e Assistência

Espiritismo e Assistência
Espiritismo e Assistência
O Espiritismo cria em nossa existência novos costumes e novos modos de ser.

É a renovação da mente em 

Cristo, integrando-nos na verdade que nos fará livres, através da preciosa escravidão aos nossos deveres.

E estabelecemos novo plano de relações, em nosso campo doméstico e social.

A compreensão pacifica-nos o espírito.

O trabalho adquire valor mais amplo.

A oração converte-se em alimento de cada dia.

E a caridade aparece aos nossos olhos, em sua função de tutora da paz, impelindo-nos ao supremo bem.

Mas por que admitir que somente poderemos exercê-la, monumentalizando instintos de salvação?

terça-feira, 11 de junho de 2013

Espiritismo e Alegria

Espiritismo e Alegria
Espiritismo e Alegria
Imprime o Espiritismo feição nova à alegria.

Alegria será rejubilar-se. Rejubilar-se, contudo, não é licenciar os sentidos; será dar-se.

Dar-se, todavia, não é engrossar a injustiça; será receber.

Receber, porém, não será envilecer a dádiva; será amar.

Amar, entretanto, de modo algum significaria rendição à sombra.

Alegria nasce e vive no clima do trabalho de quem obedece servindo à felicidade comum de todos.

Enquanto usufruímos a alegria do convívio espiritual, analisemos as causas que no-la favorecem, no plano das coisas simples.

Todos os elementos se mostram em ação, disciplinados, a fi m de serem úteis.

domingo, 9 de junho de 2013

Conduta

Conduta
Conduta
O médium não é pessoa diferente das outras, mas a sua conduta não pode ser vulgar. 

O médium há de esforçar-se para ser coerente em sua 

vida particular com o ideal de fé que abraçou. 

O compromisso espiritual do médium não deve limitar-se aos seus contatos esporádicos com os espíritos. 

O médium não necessita ser moralista, ostentando falsas virtudes, mas não pode descurar de moralizar-se.

O médium, onde estiver, será um propagandista da crença na imortalidade, devendo endossá-la através de conduta consentânea com os nobres princípios a que se filia. 

Evitará, portanto, conversações inúteis e anedotário deprimente, gargalhadas sem propósito e atitudes inconvenientes. 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Ante a Bênção do Corpo

Ante a Bênção do Corpo
Ante a Bênção do Corpo
“Ora, vós sois o corpo de Cristo...” — PAULO. (I Coríntios, 12:27.)

A pretexto de atingir a virtude não menosprezes o corpo que te auxilia a conquistá-la.

O veículo orgânico para o espírito reencarnado é a máquina preciosa, capaz de ofertar-lhe às mãos de operário da vida imperecível o rendimento da evolução.

Há quem lhe condene as peças enobrecidas à ferrugem destruidora.

São os irmãos que se deixam vencer pelas teias da inércia ou pelo bolor do desânimo.

Conhecemos aqueles que lhe relegam a engrenagem à perturbação e à desordem.

São os companheiros que preferem o desequilíbrio e a intemperança para conselheiros de cada dia.

Observamos frequentemente os que lhe arrojam as possibilidades ao fogo devorador.

São os amigos, voluntariamente entregues a furiosas paixões que lhes devastam a mente.

Anotamos, ainda, aqueles que lhe cedem a direção a malfeitores confessos.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

A Vida Superior

A Vida Superior
A Vida Superior
Como resumir as impressões do espírito na vida radiosa que se abre diante de si? A vestimenta grosseira, o pesado manto que recobria seus sentidos íntimos, despedaçando- se subitamente, tornam centuplicadas suas percepções. Sem limites, sem horizontes limitados. O Infinito profundo, luminoso, desdobra-se com suas maravilhas resplandecentes, com seus milhões de sóis, focos multicores, safiras, esmeraldas, joias enormes semeadas no azul, e seus suntuosos cortejos de esferas. Esses sóis, que aparecem aos homens como simples centelhas, o espírito as contempla na sua real e colossal grandeza; ele os vê maiores do que aquele que ilumina nosso ínfimo planeta; reconhece a força de atração que os religa, e distingue, nas longínquas profundezas, os astros formidáveis que presidem às suas evoluções. Todas essas tochas gigantescas, ele as vê em movimento, gravitar, prosseguir seu curso vagabundo, entrecruzarem-se como globos de fogo lançados no vazio através da mão de um invisível jogador. 

sábado, 1 de junho de 2013

A Candeia Viva

A Candeia Viva
A Candeia Viva
“Ninguém acende a candeia e a coloca debaixo do módio, mas no velador, e assim alumia a todos os que estão na casa.” — Jesus. (Mateus, 5:15.)


Muitos aprendizes interpretaram semelhantes palavras do Mestre como apelo à pregação sistemática, e desvairaram-se através de veementes discursos em toda a parte.

Outros admitiram que o Senhor lhes impunha a obrigação de violentar os vizinhos, através de propaganda compulsória da crença, segundo o ponto de vista que lhes é particular.

Em verdade o sermão edificante e o auxílio fraterno são indispensáveis na extensão dos benefícios divinos da fé.

Sem palavra, é quase impossível a distribuição do conhecimento.

Sem o amparo irmão, a fraternidade não se concretizará no mundo.

A assertiva de Jesus, todavia, atinge mais além.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...