sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Programa Cristão

Programa Cristão
Programa Cristão
Aceitar a direção de Jesus.

Consagrar-se ao Evangelho

Redentor.

Dominar a si mesmo.

Desenvolver os sentimentos superiores.

Acentuar as qualidades nobres.

Sublimar aspirações e desejos.

Combater as paixões desordenadas no campo íntimo.

Acrisolar a virtude.

Intensificar a cultura, melhorando conhecimento e aprimorando aptidões.

Iluminar o raciocínio.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Página de Alerta

Página de Alerta
Página de Alerta
Meu amigo – Enquanto esperas pelo socorro do Alto, há no alto quem aguarda a movimentação de tuas possibilidades para que o Reino Divino se estabeleça nas regiões menos felizes da vida.

Procuremos o apoio do Céu, mas não nos esqueçamos do antigo dever de ajudar a Terra.

Muitos alongam o olhar pelas nuvens distantes e olvidam o campo que lhes retribui a mil por um, nas menores atividades da sementeira.

Inúmeros exibem a pequenina alfinetada que lhes fere a epiderme, diante da Providência Divina, entre apelos gritantes da aflição desmedida, contudo, ignoram deliberadamente que, às vezes, o irmão mais próximo carrega fardos de angústia sobre o coração, sem uma queixa, esperando por alguma distraída migalha dos banquetes de facilidade e conforto dos quais se rodeia.

Muitos suplicam revelações da vida espiritual, condicionando a própria fé às dádivas que receberem, entretanto, não se lhes dá que o vizinho desespere à míngua de uma palavra de incentivo e de amor.

Não poucos tecem hinos de rogativa ao Senhor, diariamente, entre a abastança excessiva e a cultura dilatada, vestindo-se, indebitamente, na expressão de grandes sofredores, sem atinar com a fileira

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

O Selo do Amor

O Selo do Amor
O Selo do Amor
Pelo caminho da ascensão espiritual, denominado “cada dia”, encontrarás variados recursos de aprimoramento, a cada passo.

É o trabalho que te espera a noção de responsabilidade no devotamento ao dever.

É a oportunidade de praticar o bem, incessantemente.

É o companheiro da parentela consanguínea que te não compreende ainda e, junto do qual podes exercer o ministério do auxílio e do perdão.

É o adversário que te combate os propósitos de melhoria com quem a luta te possibilita a hora de paciência e aprendizado.

É a tentação sedutora, que nasce das profundezas de teu próprio ser, em cujo clima é possível desenvolver a tua resistência para a aquisição de novo poder moral.

É o espinho que te fere ou a pedra que te maltrata, que se fazem benfeitoras de tua jornada, por te descerrarem o santuário da prece e da humildade, se a tua mente vive acordada à luz do Senhor.

É a dificuldade que, muitas vezes, te surpreende nos lábios dos mais queridos, constrangendo-te à consolidação de virtudes imprecisas.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Humildade de Coração

Humildade de Coração
Humildade de Coração
“Bem-aventurados os pobres de espírito”: — proclamou o Senhor.

Nesse passo, porém, não vemos Jesus contra os tesouros culturais da Humanidade, mas, sim, exaltando a humildade do coração.

O mestre recordava-nos, no capítulo das bem-aventuranças, que é preciso trazer a mente descerrada à luz da vida para que a sabedoria e o amor encontrem seguro aconchego em nossa alma.

Hoje, como antigamente, somos defrontados, em toda parte, pelas escrituras encarceradas nos museus acadêmicos, cristalizadas nos preconceitos ruinosos, mumificadas em pontos de vista que lhes sombreiam a visão e algemadas a inutilidades do raciocínio ou do sentimento, engrossando as extensas fileiras da opressão. Imprescindível clarear o pensamento, diante da natureza, e aceitar a extrema insignificância em que ainda agitamos perante o Universo.

Jesus induzia-nos a esquecer a paralisia mental, em que, muitas vezes, nos comprazemos, inclinando-nos à

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Especialidade Mediúnica

Especialidade Mediúnica
Especialidade Mediúnica
“Restringindo-se em sua especialidade, o médium pode distinguir- se e obter grandes e belas coisas; ocupando-se de tudo, não obterá nada de bom.” (O Livro dos Médiuns — Segunda Parte — cap. XVI)


Um exímio violinista, talvez não seja um bom pianista, e vice-versa.

Um excelente escultor, é possível que não seja um pintor de destaque.

Um respeitável escritor pode não ser um tribuno de méritos.

Quem tenha condições de ser um respeitável médium passista, mas deseja ser, por exemplo, um médium psicógrafo, talvez acabe não sendo nem uma coisa nem outra.

No próprio médium portador de diversos dons medianímicos, existe um tipo de mediunidade que desponta

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A Tradução Divina

A Tradução Divina
A Tradução Divina
Todos buscamos a confortadora emoção do contato com Jesus através de exposições variadas da Boa-Nova, nas mais diversas línguas.

Sedentos de luz, tentamos interpretações novas do Mestre, em novos tons e diferenciados estilos. Estudamos passagens múltiplas de seu apostolado, gastando dias e existências na pesquisa de valores da Revelação. Por vezes, discutimos, acaloradamente, transformando-nos, não raro, em ásperos paladinos da verdade, na ânsia de aproximação do Amigo Divino, consumindo o tempo na experimentação, no exame, na expectativa...

Mas, se na realidade somos os aprendizes de muitos séculos, ouvintes e beneficiários do Sublime Orientador que jamais se enfada de nossas indagações, quase sempre caracterizadas pela imobilidade, famintos de bênçãos à procura de exposições humanas dos ensinamentos do Céu, o Senhor aguarda, igualmente, com justificada sede de compreensão, a tradução divina do seu Evangelho de Amor, em nossas próprias vidas, nas linhas retas de nossas atitudes, nas frases construtivas do nosso sentimento, nos trechos edificantes de

domingo, 30 de novembro de 2014

Tudo aí esta

Tudo aí esta
Tudo aí esta
Tudo aí está, em vós, em torno de vós! Tudo fala, tudo vibra, o visível e o invisível, tudo canta e celebra a glória de viver, o enlevo de pensar, de criar, de associar-se à obra universal. Esplendores dos mares e do céu estrelado, majestade dos cimos, perfumes das flores, eflúvios e raios, ruídos misteriosos das florestas, melodias da Terra e do Espaço, vozes do invisível que falam no silêncio da noite, voz da consciência, eco da voz divina, tudo é ensinamento e revelação para quem sabe ver, escutar, compreender, pensar, agir! 

Depois, acima de tudo, a visão suprema, a visão sem formas, o pensamento incriado, verdade total, harmonia final das essências e das leis, que, do fundo de nosso ser até a mais longínqua estrela, reúne tudo e todos em sua unidade resplandecente. E a corrente de vida, que se escalo na e se desenrola no Infinito, graduação das potências espirituais que conduzem a Deus os apelos do homem, através da prece, e, ao homem, a resposta de Deus, através da inspiração.

E agora, uma última questão. Por que, em meio ao imenso labor e à abundante produção intelectual que caracterizam nossa época, encontram-se tão poucas obras fortes e concepções geniais? Porque deixamos

sábado, 29 de novembro de 2014

Trabalhadores de cura

Trabalhadores de cura
Trabalhadores de cura
Os chamados trabalhos de cura são dos que mais devem ser levados a sério numa casa espírita. Infelizmente, este tipo de atividade dá margem à infiltração dos espíritos perturbadores, que acabam, por vezes, comprometendo toda a estrutura espiritual da casa, fazendo com que as suas demais tarefas sejam relegadas a plano secundário.

A rigor, não é missão do Espiritismo a cura de corpos perecíveis: a Doutrina está voltada para a cura da alma — sem dúvida, a origem de todos males, físicos e morais, que afligem o homem na Terra.

Se o médium de cura não possuir discernimento, terminará no profissionalismo religioso e, se não contar com uma equipe idônea que o assessore, cometerá despautérios em nome da fé. Incensado pelos mais desavisados, consentirá que a vaidade o domine e, sem que perceba, em pouco tempo estará a seu próprio
serviço e não da Causa que, inicialmente, se propunha a defender.

Toda atividade séria no templo espírita é, essencialmente, um trabalho de cura. Não há tarefa de cura mais

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Sem caridade

Sem caridade
Sem caridade
Sem a caridade do trabalho para as suas mãos, o seu descanso pode transformar-se em preguiça.
*
Sem a caridade da tolerância, o seu trabalho seguirá repleto de entraves.
*
Sem a caridade da simpatia para com os necessitados de qualquer procedência, as suas palavras de corrigenda serão nulas.
*
Sem a caridade da gentileza, a sua vida social e doméstica será sempre um purgatório de incompreensões.
*
Sem a caridade da desculpa fraterna, seus problemas seguirão aumentados.
*
Sem a caridade da lição repetida, o seu esforço não auxiliará a ninguém.
*
Sem a caridade da cooperação, a sua tarefa pode descer ao isolamento enfermiço.
*
Sem a caridade do estímulo ao companheiro que luta, sofre e chora, no trato com as próprias imperfeições, o orgulho se lhe fará petrificado na própria alma.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Psicofonia

Psicofonia
Psicofonia
Dentre as mediunidades, a psicofonia ou incorporação é a mais difundida pela natureza do mecanismo que produz o fenômeno.

É, por assim dizer, a mediunidade mais “aconchegante” para o espírito que anseia por manifestar-se, mormente o que ainda se sente vinculado às emoções terrestres.

Na incorporação, o espírito consegue comunicar de maneira mais espontânea o seu pensamento e a sua emoção, porque, por instantes, percebe-se como que “abraçado” pelo corpo do medianeiro.

É a mediunidade socorrista por excelência, na enfermagem espiritual dos espíritos em sofrimento no Além.

Na psicofonia, a passividade mediúnica, em grande número de vezes, é maior do que na própria psicografia.

Na psicografia, os obstáculos motores são difíceis de serem vencidos no médium que não tem o hábito de

domingo, 23 de novembro de 2014

Perto de Deus

Perto de Deus
Perto de Deus
Entre a alma, prestes a reencarnar na Terra, e o mensageiro divino travou-se expressivo diálogo:

— Anjo bom — disse ela —, já fiz numerosas romagens no mundo. Cansei-me de prazeres envenenados e posses inúteis... Se posso pedir algo, desejaria agora colocar-me em serviço, perto de Deus, embora deva achar-me entre os homens...

— Sabes efetivamente a que aspiras? Que responsabilidade procuras? — replicou o interpelado. — Quando falham aqueles que servem à vida, perto de Deus, a obra da vida, em torno deles, é perturbada nos mais íntimos mecanismos.

— Por misericórdia, anjo amigo! Dar-me-ás instruções...

— Conseguirás aceitá-las?

— Assim espero, com o amparo do Senhor.

— O Céu, então, conceder-te-á o que solicitas.

— Posso informar-me quanto ao trabalho que me aguarda?

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

No balanço das provas

No balanço das provas
No balanço das provas
Não raro deitamos a culpa de nossos fracassos e aflições sobre os outros, todavia, acautelemo-nos contra semelhante atitude. Fixemo-nos, ao revés disso, em nossas infinitas possibilidades de ação e renovação.

Provavelmente, em nossas fraquezas, teremos sido alguma vez defrontados pela tentação de acusar amigos e adversários, quanto aos acontecimentos desagradáveis que nos ocorrem, no entanto, basta investigar o íntimo para reconhecermos que as nossas falhas e erros pertencem às opiniões e decisões que formamos por nós próprios. Todos estamos entrosados uns com os outros, através de vastas cadeias de relações e reações, no intercâmbio espiritual, e as experiências que nos são necessárias decorrem de nossa vinculação
com o próximo.

Urge, porém, reconhecer que, seja endereçando sugestões a alguém ou recolhendo as sugestões de alguém, responderemos por nossas resoluções. Na oferta ou no aceite de ideias e emoções, formulamos

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Nas profundezas

Nas profundezas
Nas profundezas
A alma encerra profundezas, onde raramente o pensamento desce, porque mil objetos exteriores incessantemente o ocupam. Sua superfície, como a de um mar, é, frequentemente, agitada; mas, abaixo, estendem-se regiões que as tempestades não atingem. Lá, estão adormecidas essas potências ocultas, que aguardam nosso apelo para emergir e aparecer. O apelo raramente se faz ouvir, e o homem se agita em sua indigência, ignorando tesouros inestimáveis que nele repousam.

São necessários o choque das provas, as horas tristes e desoladas, para fazê-lo compreender a fragilidade das coisas exteriores e conduzi-lo à busca de si mesmo, à descoberta de suas verdadeiras riquezas espirituais.

É por isso que as grandes almas tornam-se tanto mais nobres e tanto mais belas, quanto mais vivas forem suas dores. A cada nova infelicidade que as atinge, têm a sensação de estar um pouco mais próximas da verdade e da perfeição e, pensando assim, experimentam uma espécie de amargo deleite. Uma nova estrela se eleva no céu de seu destino, uma estrela cujos raios cintilantes penetram no santuário de sua consciência, clareando-lhe os recônditos. Nas inteligências cultivadas, a infelicidade semeia: cada dor é um sulco, onde

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Médiuns Inspirados

Médiuns Insperiados
Médiuns Insperiados
“Toda pessoa que recebe, seja no estado normal, seja no estado de êxtase, pelo pensamento, comunicações estranhas às suas ideias preconcebidas, pode ser incluída na categoria dos médiuns inspirados (...)” (Cap. XV — Segunda Parte — item 182)



A inspiração está, por assim dizer, na base de todo ato mediúnico de caráter intelectual.

O médium inspirado pode ter ou não ter consciência do fenômeno que se encontra intermediando.

A inspiração precede a intuição.

A intuição provoca um envolvimento mais profundo do que a inspiração; é como se fosse um lampejo súbito, uma ideia que brotasse de forma espontânea e inesperada...

A inspiração, segundo bem colocou Kardec, é um envolvimento suave, quando “a intervenção de uma potência oculta é ainda bem menos sensível, porque, nos inspirados, é ainda mais difícil distinguir o pensamento próprio do que é sugerido”.

sábado, 15 de novembro de 2014

Médiuns Facultativos

Médiuns Facultativos
Médiuns Facultativos
facultativo. (...) Para esse efeito, em lugar de entravar os fenômenos, o que se consegue raramente e o que não é sempre sem perigo, é preciso excitar o médium a produzi-los à sua vontade, impondo-se sobre o espírito.” (cap. XIV — segunda parte — item 162)



Feliz de quem abraça a mediunidade de forma consciente e responsável, consagrando-se ao seu ministério com devotamento e sinceridade!

Para os que a ela se dedicam com amor, a mediunidade é uma abençoada oportunidade de ascensão espiritual, resgatando débitos do pretérito e aprofundando-se no conhecimento superior da Vida.

Os médiuns, por maiores sejam os obstáculos que enfrentem, não devem, em hipótese alguma e sob nenhum pretexto, considerar penoso ou sacrificial o exercício da mediunidade.

O que diríamos do lavrador que maldissesse a enxada com que cultiva a gleba que lhe garantirá o pão?!

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Frutos do Espiritismo

Frutos do Espiritismo
Frutos do Espiritismo
(...) Considerando as coisas de perto, reconheceremos bem rápido que o Espiritismo já exerceu uma enorme influência sobre o estado de espírito de nossos contemporâneos.

Ele abriu para a Ciência não apenas todo um domínio desconhecido; ele a forçou a constatar a realidade dos fatos: sugestão, exteriorização, telepatia, que ela negara ou rejeitara durante longo tempo; mas, ainda, voltou para o Além os pensamentos; despertou nas consciências brumosas e adormecidas de nosso tempo, o sentimento da imortalidade; tornou mais viva, mais real, mais tangível, a crença na sobrevivência dos desaparecidos. 

Lá, onde apenas havia esperanças e crenças, ele levou certezas.

Sob a casca do fenômeno, toda uma revelação se escondia.

Uma doutrina nasceu da comunhão das almas.

E, através dela, o problema do Destino, eterno tormento da Humanidade, revestiu um novo aspecto. Com os elementos de uma solução definitiva, ela lhe traz meios de verificação e de controle que até hoje haviam lhe faltado completamente.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Estudando o dinheiro

Estudando o dinheiro
Estudando o dinheiro
Não é a autoridade que solapa a elevação da alma. É o abuso do poder.

Não é a inteligência que destila o veneno intelectual. É a maldade com que a mobilizamos.

Não é o tesouro verbalístico que abre feridas naqueles que nos ouvem.

É o modo com que arremessamos o estilete da palavra. 

Não é a beleza da forma que gera o fel do desencanto. É a vaidade com que a malbaratamos no desequilíbrio.

Assim também não é o dinheiro que nos condena aos processos da angústia.

É a nossa maneira de empregá-lo, quando nos esquecemos de facilitar a corrente do progresso, através da ação diligente na fraternidade e do devotamento ao bem, com que nos cabe colaborar no engrandecimento do trabalho e da vida.

O ouro com Jesus é bálsamo na úlcera do enfermo, é gota de leite à criancinha desvalida, é remédio

domingo, 9 de novembro de 2014

Espíritas, instruí-vos!

Espíritas, instruí-vos!
Espíritas, instruí-vos!
“Mas aquele Consolador, o Santo Espírito que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as cousas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.” — JESUS — JOÃO, 14:26. 

“Espíritas, amai-vos! Este o primeiro ensino! Instruí-vos, este o segundo.” — Cap. V1, 5.



Prevenir e recuperar são atitudes que se ampliam entre os homens, à medida que se acentua o progresso da Humanidade.

Aparecem noções de civilização e responsabilidade e levantam-se ideias de burilamento e defesa.

Quanto pudermos, porém, não os restrinjamos ao amparo de superfície.

Imperioso tratar as águas da fonte, no entanto, cansar-nos-emos debalde, se não lhe resguardarmos a limpeza no nascedouro.

Educação e reeducação constituem a síntese de toda obra consagrada ao aprimoramento do mundo.

Gastam-se verbas fabulosas em apetrechos bélicos e raro surge alguém com bastante abnegação para

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Dificuldades

Dificuldades
Dificuldades
É possível hajas despertado para a nova fé, sob enormes dificuldades.

Guardas, talvez, a impressão de quem se vê defrontado por asfixia num cipoal...

A primeira atitude, em favor da própria libertação — não te fixares nas crises e nos entraves e sim sair deles honrosamente pela aplicação ao trabalho nobilitante.

A Divina Sabedoria nos confere o benefício da prova, para que venhamos a superá-la e assimilá-la, em forma de experiência, nunca no objetivo de confundir-nos ou arrojar-nos ao desalento.

Se te encontras doente, reflete na lição que te é concedida, valendo-te dela para edificar espiritualmente nos irmãos que te assistem e, sob a desculpa de que sofres mais que os outros ou de que tens pouco tempo de vida, não te demandes em excessos ou irritações.

Se te observas em pauperismo, não incrimines a ninguém pelo estado de carência que atravessas, nem

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Ante o Cristo Consolador

Ante o Cristo Consolador
Ante o Cristo Consolador
Nas consolações e tarefas do Espiritismo, é necessário que o coração vibre acordado em sintonia com o cérebro para que não venhamos a perder valiosas oportunidades no tempo.

Provarás a sobrevivência da alma, além da morte, através de testemunhos insofismáveis da experimentação; entretanto, que valor apresentará semelhante esforço, se não auxilias o aperfeiçoamento moral do espírito em peregrinação na carne?

Movimentarás equações filosóficas, anunciando à mente do povo os princípios da reencarnação, contudo que adiantarão teus assertos, se não ofereces ao próximo os recursos indispensáveis à sublimação da vida interior?

Aproveitarás a mediunidade, distribuindo ideias novas e novas convicções, entre os homens sedentos de esperança, por intermédio da argumentação irretorquível; no entanto, de que te servirá o interesse fortuito, nas revelações graciosas, se não despertas a noção de responsabilidade naqueles que te observam e ouvem?...

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

A virtude

A virtude
A virtude
Valor característico dos seres que alcançaram alguns estágios na evolução, a virtude é conquista que o espírito faz, através dos séculos e dos milênios, buscando chegar às regiões de luz, de felicidade, em plenitude com os benfeitores maiores da vida.

Na Terra, costuma-se dizer que o homem que alcançou a virtude é um ser que se supera a si mesmo, e nisso tendes razão, pois a virtude é conquista infinita, não havendo limites para ela.

Avançando, caminhando para o futuro, o ser adquire maior quantidade de virtudes, fortalece as que já possui e cria maiores condições para exercê-las.

Nessa busca incessante, o padrão que toma como exemplo na Terra é a figura de Jesus, e certamente que, assim, caminhará com decisão, coragem, absoluta determinação para chegar ao objetivo maior da sua vida.

Imaginemos, contudo, que o homem ainda tenha dificuldades na busca desses valores ou dessas virtudes. Como fará ele? Deixar-se-á desanimar? Apregoará aos ventos que não teve força, coragem para chegar à virtude? Terá medo de confessar-se sem condições de ser virtuoso?

sábado, 1 de novembro de 2014

A intuição

A intuição
A intuição
A intuição é, com mais frequência, apenas uma das formas empregadas pelos habitantes do mundo invisível para transmitir-nos suas advertências, suas instruções. Em outras ocasiões, ela é a revelação da consciência profunda à consciência normal. No primeiro caso, pode ser considerada como uma inspiração. Pela mediunidade, o espírito faz com que suas ideias penetrem no entendimento do transmissor. Este fornecerá a expressão, a forma, a linguagem e, de acordo com seu desenvolvimento cerebral, o espírito nele encontrará meios mais ou menos seguros e abundantes para comunicar seu pensamento, em toda sua amplidão e seu brilho.

O pensamento do espírito atuante é uno em seu princípio de emissão, mas varia em suas manifestações, segundo o estado mais ou menos perfeito dos instrumentos que utiliza. Cada médium marca, com as impressões de sua personalidade, a inspiração que lhe vem de mais alto. Quanto mais o intelecto do sujet é culto e espiritualizado, mais os instintos materiais comprimem-se nele, e mais o

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Uma boa educação

Uma boa educação
Uma boa educação
Uma boa educação moral, raramente, é obra de um mestre.

Para despertar na criança as primeiras aspirações pelo bem, para corrigir um caráter difícil é preciso ter, ao mesmo tempo, perseverança, firmeza, uma ternura da qual só o coração de um pai ou de uma mãe é suscetível. Se os pais não conseguem corrigir seus filhos, como aquele que conduz muitas crianças poderia fazê-lo?

Essa tarefa não é tão difícil como se poderia imaginar. Ela não exige uma ciência profunda.

Pequenos e grandes podem preenchê-la, se estiverem compenetrados do objetivo e das consequências da educação. É preciso lembrar sempre de uma coisa, é que esses espíritos vieram até nós para que os ajudemos a vencer seus defeitos e os preparemos para os deveres

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Tiptologia

Tiptologia
Tiptologia
Com a ajuda do seu perispírito é que o espírito agia sobre o seu corpo vivo; é ainda por intermédio desse mesmo fluido que ele se manifesta, atuando sobre a matéria inerte, que ele produz os ruídos, os movimentos de mesas e de outros objetos que ele levanta, derruba ou transporta.

Esse fenômeno nada tem de surpreendente se considerarmos que, entre nós, os mais possantes motores se encontram nos fluidos mais rarefeitos, e mesmo imponderáveis, como o ar, o vapor e a eletricidade.

É também com o auxílio do seu perispírito que o espírito faz com que os médiuns escrevam, falem e desenhem; não tendo corpo tangível para agir ostensivamente quando quer se manifestar, ele se utiliza do corpo do médium, cujos órgãos toma por empréstimo, e o faz agir como se fora o seu próprio corpo, mediante o eflúvio fluídico que verte sobre ele.

É por esse mesmo meio que o espírito atua sobre a mesa, seja para fazê-la mover-se sem significação determinada, seja para fazê-la dar pancadas inteligentes, indicando as letras do alfabeto para formar

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Perante o futuro

Perante o futuro
Perante o futuro
A Terra é um campo em que o Senhor te permite semear o porvir.

Cada criatura aí realiza a plantação que lhe corresponde aos desejos.

Todos os lavradores sonham...

Todos lutam...

Todos esperam...

Se já aprendeste que somente a lavoura da verdade e do bem te conferirá ao espírito a colheita de luz, consagra-te ao trabalho consciente da própria conquista e auxilia a todos os que te cercam.

Compadece-te dos que foram atacados pela fadiga, antes do entardecer...

Ajuda aos que sofrem o assalto de vermes devoradores na leira que lhes aguarda a esperança.

Socorre os que foram surpreendidos pela tempestade quando as sementes de suas melhores aspirações apenas começavam a germinar...

Não condenes os que foram vencidos pelo cansaço, convertido em desânimo, porque só o Senhor sabe quanto lhes doerá o recomeço...

Estende braços amigos aos que vacilam na hora de aflição e suor, porque soará igualmente para teus

sábado, 25 de outubro de 2014

Noutra época

Noutra época
Noutra época
“... A mim, que noutro tempo era blasfemo, perseguidor e insolente. Mas obtive misericórdia, pois o fi z na ignorância, na incredulidade.” (1 Timóteo, cap. 1, v. 13)



Para a grande maioria dos sensitivos, a mediunidade é uma oportunidade de resgate e não uma tarefa missionária, como imaginam.

O chamado mandato mediúnico, efetivamente, é de poucos.

De maneira geral, os médiuns estão lutando para ressarcir débitos de pregressas existências. Se assim foi com Paulo, que admitia publicamente os seus erros, por que não haveria de ser conosco, que tão distantes nos encontramos do grande Apóstolo?

Para o sensitivo inteligente, a mediunidade é um caminho que leva ao autoconhecimento, ou seja, à melhor análise de suas tendências e vulnerabilidade de caráter.

A mediunidade que, no médium, só se presta ao intercâmbio com os considerados mortos, é exercida pela metade...

Mediunidade deve significar integração mais plena e consciente com a Vida!

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Livre escolha

Livre escolhaDentre as dadivosas mercês de Deus, direcionadas ao espírito em evolução, destaca-se o livre-arbítrio como sendo a faculdade de eleger o que melhor se lhe apresente durante o processo da reencarnação.

Graças a essa concessão, passo a passo o ser delineia e executa a marcha ascensional, ora estacionando e vezes outras avançando, sem jamais retroceder.

Árbitro especial, apoia-se na consciência, onde está escrita a Lei de Deus, elegendo o que lhe apraz e colhendo os frutos da ensementação realizada.

À medida que se segue, superando os patamares da cartografia íntima da consciência, mais lúcida e melhor se faz a seleção optativa, delineadora da sua libertação.

Em razão disso, a reflexão madura, o cuidado bem pensado antes da decisão, estabelecem o programa a desenvolver no futuro...

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Justiça e Amor

Justiça e Amor
Sempre que te reportes à justiça, repara que Deus a fez assistida pelo amor, a fim de que os caídos não sejam aniquilados.

Terás contigo a lógica indicando-te os males e o entendimento inspirando-te o necessário socorro aos que lhes sofrem o assédio.

Onde passes, compadece-te dos vencidos que contemples à margem...

Muitos pranteiam as ilusões que lhes trouxeram arrependimento e remorso e muitos se levantam ainda sobre os próprios enganos, à maneira de trapezistas inconscientes, ensaiando o último salto ao precipício da morte.

Dir-te-ão alguns não precisarem de teu consolo, fugindo-te à presença, com receio da verdade que te brilha na boca, e outros, que descreram do poder renovador do trabalho, preferem rolar no vício, descendo, mais cedo, os degraus do sepulcro.

domingo, 19 de outubro de 2014

Fatalidade e Livre Arbítrio

Fatalidade e Livre Arbítrio
Fatalidade e Livre Arbítrio
Antes do regresso à experiência no Plano Físico, nossa alma em prece roga ao Senhor a concessão da luta para o trabalho de nosso próprio reajustamento.

Solicitamos a reaproximação de antigos desafetos.

Imploramos o retorno ao círculo de obstáculos que nos presenciou a derrota em romagens mal vividas...

Suplicamos a presença de verdugos com quem cultiváramos o ódio, para tentar a cultura santificante do amor...

Pedimos seja levado de novo, aos nossos lábios, o cálice das provas em que fracassamos, esperando exercitar a fé e a resignação, a paciência e o valor...

E com a intercessão de variados amigos que se transformam em confiantes avalistas de nossas promessas, obtemos a bênção da volta.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Escrita direta

Escrita direta
Escrita direta
Os fenômenos de escrita direta, embora frequentes, são ultrapassados em número pelos da escrita medianímica. A faculdade dos médiuns escreventes é uma das mais difundidas e a que oferece os aspectos mais diversos.

Tendo parecido muito lento o processo das comunicações através das pancadas a alguns experimentadores, eles imaginaram construir aparelhos especiais, como o quadrante ou a prancheta, para a escrita, a fim de facilitar as manifestações. Simplificou-se ainda.

Algumas pessoas tiveram a ideia de se substituírem, elas próprias, em qualquer aparelho. Segurando um lápis, elas se abandonavam ao impulso exterior e recebiam mensagens de que não tinham consciência e que pareciam emanar de espíritos de defuntos.

Porém, logo se defrontaram com numerosas dificuldades. Primeiro, teve-se que reconhecer que o automatismo da mão que escreve não constitui, por si só, um fenômeno espírita. As experiências de Gurney e Myers, na Inglaterra, sobre a escrita dos sonâmbulos ao despertar; as dos senhores Pierre Janet, Ferré, Dr. Binet, e outros, na França, demonstraram que se pode provocar a escrita automática num sensitivo, por meio da sugestão, e dar a esse fenômeno todas as aparências da mediunidade.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Autenticidade dos Evangelhos

Autenticidade dos Evangelhos
Autenticidade dos Evangelhos
A nobre figura de Jesus ultrapassa todas as concepções do pensamento. Eis por que ela não pôde ser criada pela imaginação. Nessa alma, de uma serenidade celeste, não se vê nenhuma mancha, nenhuma sombra. Nela todas as perfeições se fundem com uma harmonia tão perfeita que ela nos aparece como o ideal realizado.

Sua doutrina, toda de amor e de luz, dirige-se especialmente aos humildes e aos pobres, a essas mulheres, a esses homens do povo curvados para a terra, a essas inteligências rebaixadas sob o peso da matéria e que esperam, na prova e no sofrimento, a palavra de vida que deve consolá-los e reanimá-los.

E essa palavra lhes é dada com uma tão penetrante doçura, exprime uma fé tão comunicativa, que expulsa todas as suas dúvidas e os leva a seguir os passos do Cristo.

O que Jesus denominava “pregar aos simples o Evangelho do reino dos céus” era colocar ao alcance

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Assistência Espiritual

Assistência Espiritual
Assistência Espiritual
Qual sucede no plano dos companheiros, ainda jungidos à veste física, também nós, os desencarnados, sofremos o desafio de rudes problemas que nos são endereçados da Terra, ansiando vê-los definitivamente solucionados, entretanto é preciso conformar as próprias deliberações aos impositivos da vida.

Entendimento não é construção que se levante de afogadilho e a morte do corpo denso não marmoriza as fibras da alma.

Muitas vezes, trememos diante dos perigos que se nos desdobram à frente de seres amados e outro recurso não identificamos para sossegar-nos a alma senão a prece que nos induz à aceitação da Eterna Sabedoria.

Afligimo-nos, perante filhos queridos, engodados por terríveis enganos, e tudo daríamos de nós para que se harmonizassem com a realidade, sem perda de tempo, mas é forçoso respeitar-lhes o livre-arbítrio e contar com o benefício do desencanto, a fim de que a experiência se lhes amadureça, no

sábado, 11 de outubro de 2014

Ante os mortos

Ante os mortos
Ante os mortos
É verdade que te martirizas, à frente da morte, na Terra, mormente quando a morte surge, a ceifar-te os entes caros.

*

Aflitiva é a contemplação dos que partem do mundo, em nossos braços, quando nos achamos no mundo, muita vez a nos endereçarem angustioso olhar, como a pedir-nos mais vida no corpo físico, sem que nos possamos arredar da impossibilidade de fazê-lo.

*

Profundamente constrangedora é a mágoa de sentir-lhes as mãos desfalecentes em nossas mãos ansiosas, na despedida.

*

Entretanto, pensa neles, os companheiros que partem, na condição de viajores amados que te deixam provavelmente carregando consigo indagações muito mais agudas do que aquelas que se te estacam no coração.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Ante o Consolador prometido

Ante o Consolador prometido
Ante o Consolador prometido
Lembremo-nos de que Jesus, em nos prometendo a vinda do Consolador, anunciava-nos, decerto, não a liberação milagrosa de nossos compromissos perante a Lei, mas sim a presença da luz que nos familiarizaria com a verdade.

E a verdade é que todos trazemos do pretérito obscuro certa herança de sombras que valem por dores difíceis de suportar na aflitiva liquidação de nossos erros.

* * *

Todos suplicamos, antes do aprendizado terreno, os elementos indispensáveis à própria restauração.

* * *

Aqui, é alguém que pede o cálice de moléstias amargas para a cura de complicados desequilíbrios do sentimento; ali, é um coração que roga ensejos de entendimento e renúncia, em favor dos outros, para atender à recuperação de si mesmo; enquanto que, mais além, há criaturas que imploram o reencontro

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Ante as dificuldades

Ante as dificuldades
Ante as dificuldades
A semente, para libertar o vegetal que conduz em germe, não se nega a vencer o solo que a agasalha...

O rio que busca o oceano não se detém ante os obstáculos que lhe impedem o curso...

A dificuldade é, assim, teste de resistência em forma de ensejo alentador.

Se a dor, em sua apresentação multiforme, te chega às portas do coração, para, momentaneamente, para orar e reabastecer o espírito.

Através da prece lenificadora, a doação celeste te alcançará o entendimento, revigorando as fibras da vida para o prosseguimento da jornada.

Recebe a dificuldade como ensejo de combate.

Aceita a dor como mensagem de despertamento.

Acolhe a provação com alegria.

Considera o problema como exame do teu aprendizado.

Escuta o grito da perseguição com os ouvidos do entendimento.

domingo, 5 de outubro de 2014

A vingança

A vingança
A vingança
A vingança sob todas as formas, o duelo, a guerra são vestígios da selvageria primitiva, a herança de um mundo bárbaro e atrasado. Aquele que entreviu o encadeamento grandioso das leis superiores, desse princípio de justiça cujos efeitos se repercutem através dos tempos, poderá pensar em vingar-se?

Vingar-se é fazer de uma só falta, de um só crime, dois; é tornar-se tão culpado quanto o próprio ofensor. Quando o ultraje ou a injustiça nos atingir, imponhamos silêncio à nossa dignidade ferida, pensemos naqueles que, no passado sombrio, nós mesmos ofendemos, ultrajamos, espoliamos, e suportemos a injúria como uma reparação. Não percamos de vista o objetivo da existência, que esses acidentes nos fariam esquecer. Não deixemos o caminho reto e seguro; não nos deixemos arrastar pela paixão nos declives perigosos que nos conduziriam à bestialidade; escalemo- los, de preferência, com redobrada coragem. A

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A crise moral

A crise moral
A crise moral
Certamente, a época em que vivemos é grande pela soma dos progressos realizados. A civilização moderna, extremamente utilitária, transformou a face da Terra; reaproximou os povos, suprimindo-lhes as distâncias. A instrução foi estendida; as instituições foram melhoradas. O direito substitui o privilégio, e a liberdade triunfa do espírito de rotina e do princípio de autoridade. Uma grande batalha se trava entre o passado, que não quer morrer, e o futuro, que se esforça para nascer para a vida. Em favor dessa luta, o mundo se agita e caminha; uma impulsão irresistível o arrasta; e o caminho percorrido, os resultados adquiridos nos fazem pressagiar conquistas ainda mais maravilhosas.

Todavia, se os progressos de ordem material e de ordem intelectual são notáveis, por outro lado, o avanço moral é nulo. Nesse ponto, o mundo parece recuar muito mais; as sociedades humanas, febrilmente absorvidas pelas questões políticas, pelas empresas industriais e financeiras, sacrificam ao bem-estar seus interesses morais.

Se a obra da civilização nos aparece sob aspectos magníficos, ela tem também, como todas as coisas

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A ação da dor

A ação da dor
A ação da dor
A ação da dor retira de nós o que é impuro e mau, os apetites grosseiros, os vícios, os desejos, tudo o que vem da Terra e deve retornar à Terra. A adversidade é a grande escola, o campo fértil das transformações. Graças aos seus ensinos, as más paixões transformam-se pouco a pouco em paixões generosas, em amor ao bem. Nada está perdido. Mas essa transformação é lenta e difícil. O sofrimento, a luta constante contra o mal, o sacrifício de si mesmo podem, sozinhos, realizá-la. Através deles a alma adquire a experiência e a sabedoria. O fruto verde e ácido, que era a alma, transforma-se, sob as ondas regeneradoras da prova, sob os raios do sol divino, em um fruto doce, perfumado, maduro para os mundos superiores.

Só a ignorância das leis universais nos faz considerar nossos males como desgostos. Se compreendêssemos quanto esses males são necessários ao nosso adiantamento, se soubéssemos apreciar-lhes o amargor, não nos pareceriam mais um fardo. Todos nós odiamos a dor, mas só lhes sentimos a utilidade quando deixamos o mundo onde ela exerce seu império. Entretanto, sua obra é fecunda. Faz eclodir em nós tesouros de piedade, de ternura, de afeição. Aqueles que nunca a

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Viver agora

Viver agora
Viver agora
Este é o teu momento de viver intensamente a realidade da vida.

Desnecessário recordar que, agora, o teu momento presente é relevante para a aquisição dos bens inestimáveis para o espírito eterno.

Há muito desperdício de tempo, que se aplica nas considerações do passado como em torno das ansiedades do futuro.

A tomada de consciência é um trabalho de atualidade, de valorização das horas, de realização constante.

A vida é para ser vivida agora.

Postergar experiências significa prejuízo em crescimento na economia da vida.

Antecipar ocorrências representa precipitação de fatos que, talvez, não sucederão, conforme agora tomam curso.

As emoções canalizadas em relação ao passado ou ao futuro dissipam ou gastam a energia vital, que deve ser utilizada na ação do momento.

*

Se vives recordando o passado ou ansiando pelo futuro, perdes a contribuição do presente, praticamente nada reservando para hoje.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Tranfiguração

Tranfiguração
Tranfiguração
A transfiguração mediúnica pode ser parcial ou total, dependendo da maleabilidade do médium e da força de indução hipnótica do espírito manifestante.

Com a preocupação de não nos perdermos em detalhes e sem a pretensão de esgotarmos o assunto, dizemos ainda que, em alguns casos, o fenômeno de transfiguração está associado ao de materialização. 

Explicamo-nos. O espírito, principalmente sobre a face do médium, pode opor uma “máscara ectoplásmica”
que lhe retrate o próprio rosto e, sobre o órgão fonador do medianeiro, pode construir uma “garganta ectoplásmica” que lhe permita comunicar-se quase que por voz direta.

Os médiuns psicofônicos não devem se preocupar com o fenômeno da transfiguração mediúnica; ele não é indício de faculdade mais desenvolvida — tanto é assim que os mais patentes casos de transfiguração são encontrados nos processos obsessivos de longo curso, quando a vontade dos obsidiados encontra-se completamente à mercê da vontade dos espíritos obsessores.

A transfiguração mediúnica deve ocorrer naturalmente, e ocorre quando tem uma razão de ser para que ocorra.

A mudança de timbre de voz numa comunicação é até um fato corriqueiro, embora, a rigor, isto não tenha

sábado, 27 de setembro de 2014

Sofrimento e eutanásia

Sofrimento e eutanásia
Sofrimento e eutanásia
Quando te encontres diante de alguém que a morte parece nimbar de sombra, recorda que a vida prossegue, além da grande renovação...

Não te creias autorizado a desferir o golpe supremo naqueles que a agonia emudece, a pretexto de consolação e de amor, porque, muita vez, por trás dos olhos baços e das mãos desfalecentes que parecem deitar o último adeus, apenas repontam avisos e advertências para que o erro seja sustado ou para que a senda se reajuste amanhã.

Ante o catre da enfermidade mais insidiosa e mais dura, brilha o socorro da Infinita Bondade facilitando, a quem deve, a conquista da quitação.

Por isso mesmo, nas próprias moléstias reconhecidamente obscuras para a diagnose terrestre, fulgem lições cujo termo é preciso esperar, a fim de que o homem lhes não perca a essência divina.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Segundo pensamos

Segundo pensamos
Segundo pensamos
Cada consciência é um centro gerador de forças no movimento universal, cuja direção depende de si mesma.

*

Pensar é criar.

O destino recebe a forma que lhe impusermos, à maneira do vaso que exprime a imaginação do oleiro.

A palavra vem depois da ideia.

A ação é cimento invisível.

A obra é pensamento coagulado.

Renovar a mente no trabalho incessante do bem, cunhando valores positivos ao redor de nós mesmos, é estabelecer roteiros sempre novos para a vanguarda evolutiva.

*

O espírito, herdeiro divino do Supremo Senhor, traz consigo todas as sementes do Céu para engrandecer a Terra. Unidade atuante, irradias-se, através de mil modos, gozando ou sofrendo, em seu cosmo orgânico, a benção ou a reação das energias que projeta e que o elevam ou convulsionam, de acordo com a intensidade dinâmica que lhes é característica.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

O amor

O amor
O amor
O amor, profundo como o mar, infinito como o céu, abrasa todos os seres. Deus é o seu foco. Como o Sol se levanta indiferentemente sobre todas as coisas e aquece a Natureza inteira, o amor divino vivifica todas as almas: seus raios, penetrando através das trevas do nosso egoísmo, vão iluminar com luzes trêmulas o fundo de cada coração humano. Todos os seres foram criados para amar. As parcelas de vida moral, os germens do bem que neles repousam, fecundados pelo foco supremo, dissipar-se-ão um dia, florescerão até que estejam reunidos numa mesma comunhão de amor, numa fraternidade universal.

Sejam vocês quem forem os que leiam essas páginas, saibam que nós nos encontraremos, um dia, seja neste mundo, em existências ulteriores, seja numa esfera mais adiantada, ou na imensidade dos Espaços que

domingo, 21 de setembro de 2014

Materialização

Materializacao
Materialização
“Ora no horto, antes da crucificação, assinalando a presença de enviados divinos.” (Emmanuel)

Na transfiguração no Tabor, relatada no Evangelho e a que se reporta Emmanuel, Jesus apresenta-se diante de seus discípulos atônitos, “com as vestes resplandecentes e sobremodo brancas, como nenhum lavandeiro na Terra as poderia alvejar”.

Elias e Moisés, materializados, confabulam com o Senhor.

Eis uma das mais belas reuniões espíritas do Novo Testamento.

*



Ouçamos Emmanuel sobre o assunto:

“No Tabor, contemplamos a grande lição de que o homem deve viver a sua existência, no mundo, sabendo que pertence ao Céu, por sua sagrada origem, sendo indispensável, desse modo, que se desmaterialize, a todos os instantes, para que se desenvolva em amor e sabedoria, na sagrada exteriorização da virtude

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Liberdade

Liberdade
Liberdade
A liberdade é a raiz da vida consciente; no entanto, a cada passo urdimos entraves e impedimentos para nós mesmos.

Não nos reportamos à clausura de pedra, que funciona à guisa de hospital para as inteligências envenenadas na delinquência, e sim aos grilhões invisíveis a que milhares de criaturas jazem escravizadas.

Prisões sem grades dos elos consanguíneos, em que os adversários de outras eras se defrontam, dia a dia, entre as paredes imponderáveis do tempo, no abraço compulsório da assistência recíproca, em nome dos compromissos familiares...

Cubículos de vérmina, limitados pela epiderme, nos quais os desertores do dever expiam culpas sob a longa constrição de moléstias irreversíveis no corpo físico...

Ferretes de inibição, geometricamente fixados em certos órgãos e membros do veículo físico, retificando aspirações ou frenando impulsos...

Grilhetas de pauperismo, circunscritas aos marcos da condição social, em que se corrigem antigos e festejados malfeitores da fortuna amoedada...

Calabouços de obsessão, em cujo clima de ansiedade se reajustam sentimentos transviados ao peso de estranhos desequilíbrios...

Esses obstáculos e masmorras, entretanto, são entretecidos simplesmente por nós, sempre que nomeamos o egoísmo e a vaidade, a intemperança e o vício para a função de carcereiros de nossa almas.

Mesmo assim, sobre semelhantes cadeias, a liberdade brilha vitoriosa.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Kardec e a espiritualidade

Kardec e a espiritualidade
Kardec e a espiritualidade
Todas as missões dignificadoras dos grandes vultos humanos são tarefas do espírito. Precisamos compreender a santidade do esforço de um Edson, desenvolvendo as comodidades da civilização, o elevado alcance das experiências de um Marconi, estreitando os laços da fraternidade, através da radiotelefonia. Apreciando, porém, o labor da inteligência humana, somos obrigados a reconhecer que nem todas essas missões têm, naturalmente, uma repercussão imediata e grandiosa no Mundo dos Espíritos.

Daí a razão de examinarmos o traço essencial do trabalho confiado a Allan Kardec. Suas atividades requisitaram a atenção do planeta e, simultaneamente, repercutiram nas esferas espirituais, onde formaram legiões de colaboradores em seu favor.

Sua tarefa revelava ao homem um mundo diferente. A morte, o problema milenário das criaturas, perdia sua feição de esfinge. Outras vozes falavam da vida além dos sepulcros. Seu esforço espalhava-se pelo orbe como a mais consoladora das filosofias; por isso mesmo, difundia-se, no plano invisível, como vasto movimento de interesses divinos.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Infortúnio Real

Infortúnio Real
Infortúnio Real
Exagera-se muito a respeito do infortúnio, quando algo de desagradável acontece perturbando o ritmo normal da vida de alguém. 

A maioria das criaturas, em razão do enfoque equivocado a respeito da felicidade, sente-se desventurada, afirmando que a sua existência corporal deveria transcorrer tranquila, sem acidente de natureza alguma, de modo a ser considerada venturosa. 

Quaisquer transtornos financeiros ou sociais, as dificuldades de relacionamento ou desequilíbrios orgânicos, a solidão ou os sofrimentos num dos seus variados matizes, logo são levados a conta de infortúnio, de desgraça.

Sem resistências morais para enfrentar as vicissitudes naturais do processo evolutivo, tais pessoas deixam-se consumir pela revolta ou sucumbem sob o peso da depressão e da amargura.

***

Quantas alegrias malsãs transformam-se, com o tempo, em desar e problema?

sábado, 13 de setembro de 2014

Festim Mediúnico

Festim Mediúnico
Festim Mediúnico
A sessão mediúnica pode ser considerada como oportunidade bendita para um festim, consoante a narrativa do Evangelho (Lucas, cap. XIV, v. 12 a 15).

Não tem por objetivo atender os esfaimados, que se vinculam aos organizadores pelos liames da consanguinidade.

É dirigida àqueles que se extraviaram no caminho e padecem fome.

Muitas vezes, quando se lhes abrem as portas, anunciadores da festividade vão convidar os conhecidos, e estes, dominados pela repulsa e vanglória, rechaçam-nos, investindo com violência contra a atividade libertadora.

E, conforme o ensinamento de Jesus, repetem-se as ocorrências em relação aos que vão convidar aqueles que deveriam participar do banquete.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Fé, mães dos nobres

Fé, mães dos nobres
Fé, mães dos nobres
A fé é mãe dos nobres sentimentos e das grandes ações. O homem profundamente convencido permanece inabalável diante do perigo, como no meio das provas. Acima das seduções, das adulações, das ameaças, mais alto que as vozes da paixão, ouve uma voz que ecoa nas profundezas da sua consciência e cujos ruídos o sustentam na luta, advertem-no nas horas perigosas.

Para produzir tais resultados, a fé deve repousar sobre o fundamento sólido que lhe oferecem o livre exame e a liberdade de pensar. Em vez de dogmas e de mistérios, deve apenas reconhecer os princípios decorrentes da observação direta, do estudo das leis naturais. Tal é o caráter da fé espírita.

A filosofia dos espíritos nos oferece uma crença que, por ser racional, é tanto mais robusta. O conhecimento do mundo invisível, a confiança numa lei superior de justiça e de progresso, tudo isso imprime à fé um duplo caráter de calma e de certeza.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...