sábado, 31 de janeiro de 2015

Sentido superior da vida

Sentido superior da vida
Sentido superior da vida
“Não procureis o primeiro lugar na Terra, nem vos coloqueis acima dos outros, se não quiserdes ser obrigados a descer.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. VII, item 6, CELD.)


Pela graça infinita de Deus, paz!

Balthazar, pela graça de Deus.

Como entender a afirmativa do Cristo de que os que procuram elevar-se acabarão sendo rebaixados? Certamente, Jesus quis chamar-nos a atenção sobre o estado de nossa mente, de nosso espírito.

Ao procurarmos impor aos outros nossa presença, nossos hábitos, acabaremos recebendo de retorno, e isto cedo ou tarde, a rejeição daqueles que, também por pensarem por si próprios, têm o direito de aceitar ou não os atos de pessoas que podemos classificar como aquelas que se querem impor aos outros.

Naturalmente, o desenvolvimento de qualidade moral como a da humildade se faz, com o tempo, com o despertar das criaturas para o lado sensível e respeitoso com relação aos outros. Ao notarmos

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Tua hora de humildade

Tua hora de humildade
Tua hora de humildade
Se ainda te observas distante de viver a humildade, continuamente, em todas as horas do dia, podes vivê-la uma hora diária pelo menos...

Traça o teu programa diário de humildade iniciante. Escolhe uma hora dentre as horas de cada dia a fim de aperfeiçoares os próprios sentimentos, exercitando a maior conquista do espírito — a humildade.

Que nessa hora te despreocupes da pressa, da convenção, do calculismo, das inquietações contumazes e de ti mesmo, para que te adestres no sacrifício, na indulgência desinteressada, na solicitude fraterna e na cooperação espontânea.

Será essa a tua hora de procurar o último lugar, a hora de te apagares para que se eleve o brilho dos outros...

Em tua hora de humildade, constituir-te-ás em médium do amor de Cristo entre os homens; serás, especialmente, o servo de todos, o irmão comum, a partícula viva e anônima que se funde no todo da

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Querer

Querer
Querer
Que se quer, para que e por que se quer 

— são indagações que merecem destaque na pauta das aspirações humanas.

Todos os homens sempre querem algo na vida. Raros, porém, dispõem-se a consegui-lo, dedicando-se com esforços e renúncias.

Todos almejam felicidade. No entanto, esse querer é um pálido aspirar sem base no sacrifício. Ademais, confundem felicidade com posse e gozo e se afadigam nas paixões em que sucumbem.

Querer deve revestir-se de forte interesse do espírito. Saber querer vem de ponderação amadurecida, após a seleção dos desejos imediatos.

Porfiar no querer, não desanimando ante as dificuldades ou aparentes insucessos, é o primeiro passo

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Utilidade dos estudos

Utilidade dos estudos
Utilidade dos estudos
O caráter essencialmente racional de que o Espiritismo se revestiu, torna pueris as acusações de empirismo e de sobrenaturalismo com os quais ele é, frequentemente, agraciado. (...)

Ora, essa nova concepção, que coordena os conhecimentos particulares, solidariza os elementos esparsos, e essa lei moral indispensável à vida e ao progresso das sociedades, o Espiritismo trá-los à Ciência com a síntese filosófica que deve centuplicar seu poder.

O papel do Espiritismo é grande e suas consequências morais são incalculáveis. Ele data apenas de ontem; e, entretanto, quantos tesouros de consolação e de esperança já não espalhou no mundo! Quantos corações entristecidos, frios, não aqueceu, reconfortou! Quantos desesperados detidos à beira do suicídio! Seu ensino, bem compreendido, pode acalmar as aflições mais vivas, dar a todos a força da alma, a coragem na adversidade!

O Espiritismo é, pois, ao mesmo tempo que uma síntese potente das leis físicas e morais do Universo, um meio de regeneração e de adiantamento; infelizmente, pouquíssimos homens interessam-se,

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Os Verdadeiros Missionários

Os Verdadeiros Missionários
Os Verdadeiros Missionários
“O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de Justiça, de Amor e de Caridade, na sua maior pureza. Se ele interroga sua consciência sobre seus próprios atos, pergunta se não violou essa lei, se não praticou o mal, se fez todo o bem que podia, se desperdiçou voluntariamente uma ocasião de ser útil (...)” (Allan Kardec, O Evangelho Segundo o Espiritismo, 2. ed. Celd, 2003. Cap. 17, item 3.)


É sempre útil recordarmos o papel dos verdadeiros missionários de Deus na Terra. Sabemos que esses seres se caracterizam pelo alto grau de conhecimento, pelo espírito de luta, pela capacidade de renúncia, pelo esforço permanente no bem.

São eles também os inspiradores de atitudes, de gestos e pensamentos de todos aqueles que lhes ouvem as histórias e os conselhos.Igualmente, são generosos e poderosos o bastante para continuarem
a viver, de forma etérea, depois de irem para o Plano Espiritual.

Seus ideais são tão justos e tão corretos que, ditos décadas atrás, são perfeitamente atuais, décadas

domingo, 25 de janeiro de 2015

O Universo e Deus

O Universo e Deus
O Universo e Deus
Acima dos problemas da vida e do destino, ergue-se a questão de Deus.

Se estudamos as leis da Natureza, se perseguimos a beleza ideal na qual todas as artes se inspiram, em toda parte e para sempre, acima e além de tudo, reencontramos a ideia de um ser superior, necessário e perfeito, fonte eterna do bem, do belo e do verdadeiro, a quem se identificam a Lei, a Justiça, a Suprema Razão.

O mundo, físico e moral, é governado por leis, e essas leis denotam uma inteligência profunda das coisas que regem. Elas não procedem de uma causa cega; o caos, o acaso não poderiam produzir a ordem e a harmonia. Elas não emanam dos homens: seres passageiros, limitados no tempo e no espaço, não poderiam criar leis permanentes e universais.Para explicá-las, logicamente, é preciso remontar até o ser gerador de todas as coisas. Não se poderia conceber a inteligência sem personificá-la num ser, mas esse ser não vem se juntar à

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O Livro dos Médiuns

O Livro dos Médiuns
O Livro dos Médiuns
Muitos referiam-se à justiça...

Mas apenas Moisés logrou expressá-la junto aos homens.

Muitos sentiam a necessidade do amor por único recurso de sustentação da concórdia e da fraternidade entre as criaturas...

Entretanto, somente Jesus conseguiu exemplificá-la na Terra.

*

Qual ocorre no plano moral, assim tem acontecido sempre em todos os distritos do progresso humano.

Muitos registravam o impositivo de mais ampla divulgação da cultura...

Contudo, só Guttemberg pôde articular os alicerces da imprensa.

Muitos observavam que o mundo químico devia ter por base um elemento extremamente simples...

Todavia, somente Cavendish chegou a descobrir o hidrogênio.

Muitos reconheciam a possibilidade de isolar-se a faísca elétrica...

No entanto, só Franklin levantou o para-raios.

Muitos pensavam na criação do transporte rápido...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

No exercício da palavra

No exercício da palavra
No exercício da palavra
Tu, porém, prega o que esteja em harmonia com a sã doutrina. — Paulo (Tito 2:1.)

Dizem os sábios da Antiguidade: És senhor da palavra que não disseste e escravo da que proferiste.

Sendo assim, cuida bem de teus discursos...

Há palavras que, embora nascidas de bons intentos, surgem revestidas com o fel do azedume, criando em quem as ouve a sensação de angústia...

Outras há que expressam a justiça, mas surgem envolvidas no véu escuro das cobranças, criando em quem as registra o sentimento de culpa...

Outras, ainda, aparentam concordância, mas chegam recheadas de dúvidas, dando origem a desconfianças.

Atenta, igualmente, para a tua voz, a fim de que ela não se apresente como um ingrediente avinagrado, descaracterizando a tua mensagem de estímulo ou de concórdia.

Observa o momento em que falas, para que não se torne em fator de repulsão, porquanto para tudo há

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Mediunidade Espírita

Mediunidade Espírita
Mediunidade Espírita
A mediunidade espírita é a que se alicerça em Jesus e Allan Kardec. A mediunidade é uma faculdade psíquica que independe de rótulo religioso — encontraremos a sua presença na origem de quase todas as crenças. Os grandes iniciados de todas as religiões eram intérpretes dos espíritos que os inspiravam. Os profetas eram missionários da mediunidade sobre a Terra. Os apóstolos, na festa de Pentecostes, ficaram mediunizados... Os santos reverenciados pela Igreja Católica possuíam o dom de curar, a clarividência, efeitos físicos; caíam em transe com frequência.

Todavia, com Allan Kardec é que a mediunidade se tornou um intercâmbio consciente entre os Dois Mundos. Estudando os mais diversos dons medianímicos, criando terminologia própria, o Codificador devassou o Invisível, tornando natural o diálogo dos vivos com os chamados mortos.

Portanto, não existe mediunidade legitimamente exercida, fora dos padrões da Doutrina Espírita. O médium espírita é o que se submete à orientação doutrinária, colocando-se a serviço da Causa e não

sábado, 17 de janeiro de 2015

Mediunidade

Mediunidade
Mediunidade
Em cada ser humano existem rudimentos de mediunidade, faculdades em gérmen que podem se desenvolver pelo exercício. Para o maior número, um longo e perseverante trabalho é necessário. Em alguns, essas faculdades aparecem desde a infância, e atingem sem esforços, com os anos, um elevado grau de perfeição. Nesse caso, elas são o resultado das aquisições anteriores; o fruto dos trabalhos efetuados sobre a Terra ou no Espaço, fruto que trazemos ao renascer.

Entre os sensitivos, muitos têm a intuição de um mundo superior, extraterrestre, onde existem, como de reserva, poderes que lhes são possíveis adquirir através de uma comunhão íntima, através das aspirações elevadas, para manifestá-los, em seguida, sob formas diversas, apropriadas à sua natureza: adivinhação, ensinamentos, ação curativa, etc.

É tomada nesse sentido que a mediunidade se torna uma faculdade preciosa, pela qual grandes auxílios podem ser espalhados, grandes obras realizadas.

Seria para a Humanidade um poderoso meio de renovação se todos compreendessem que há, acima de nós, uma fonte inesgotável de força, de vida espiritual que se  pode atingir através de um

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Humildade: Amor no coração

Humildade: Amor no coração
Humildade: Amor no coração
“O terrível adversário da humildade é o orgulho.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo, 2. ed. CELD, 2003. Cap. VII, item 11.)

Pela graça infinita de Deus, paz!

Balthazar, pela graça de Deus.

Falando das necessidades que o homem possui basicamente, Jesus nos chamou a atenção para o grande sentimento que é o amor.

Não se pode ter a noção de humildade de espírito sem que se tenha amor no coração. Só podemos doar-nos, entender o nosso próximo, suas dificuldades, seus problemas, só podemos fazer aquilo que o mundo chama de quitar-se diante de uma pessoa arbitrária, só podemos trazer dentro de nós a capacidade de calar a boca, deixando que o outro fale, quando temos amor no coração. Se não for assim, o homem poderá até mesmo tornar-se submisso, mas o fará por medo, por acomodação, por desejar não enfrentar o próximo, nunca por humildade de espírito, na concepção crística.

Na concepção de Jesus, humildade de espírito passa, inegavelmente, pela noção de amor ao

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Dons Mediúnicos

Dons Mediúnicos
Dons Mediúnicos
“Ora, há diversidades de dons, mas um mesmo é o espírito; há diversidades de ministérios, e um mesmo é o Senhor; há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. A cada um, porém, é dada a manifestação do espírito para proveito. Pois a um, pelo espírito é dada a palavra de ciência, segundo o mesmo espírito; a outro, dons de curar em um só espírito; a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a outro, diversidades de línguas; e a outro, interpretação de línguas; mas todas estas coisas opera um só e o mesmo espírito, distribuindo a cada um particularmente como lhe apraz.” (Paulo, I Coríntios, 12:4-11)

Tudo promana de Deus, sem dúvida, e o Divino Espírito é o único a expressar-se de mil modos em toda parte.

Reflexionando-se em torno da bela epístola do Apóstolo dos Gentios, encontramos a clara exposição das faculdades mediúnicas, por intermédio das quais o intercâmbio espiritual se faz presente, conforme sucede nas sessões espíritas da atualidade.

Os dons ampliam-se mediante a educação dos seus portadores e o aprimoramento das faculdades trabalhadas pelo escopro da caridade e pelas mãos da abnegação.

Demitizados, os profetas de ontem ressurgem na condição de médiuns hodiernos, por cujo campo

domingo, 11 de janeiro de 2015

Atitude Consciente

Atitude Consciente
Atitude Consciente
“Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal? ‘Um sábio da Antiguidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo’.” (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, 1.ed. CELD. Questão 919.)


Meus prezados irmãos, as lutas pelas quais a Humanidade passa convocam a todos para uma reflexão e também para uma atitude firme e consciente, diante das agravantes que chegam diariamente.

Não se trata de uma atitude de mão armada, tampouco de violência; trata-se, isso sim, de uma atitude consciente, positiva e energética, para que se combata o mal que existe dentro de nós, modificando-nos desejos, corrigindo-nos sensações e procurando fazer de nós mesmos espíritos do bem.

A cada dia, aprendam a orar; a cada dia, busquem ler uma página doutrinária, dedicando minutos que

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

As religiões

As religiões
As religiões
Todas as grandes religiões tiveram duas faces, uma aparente, a outra, secreta. Nessa é o espírito; naquela, a forma ou a letra. Sob o símbolo material, o sentido profundo dissimula-se. O bramanismo na Índia, o hermetismo no Egito, o politeísmo grego, o próprio Cristianismo, em sua origem, apresenta esse duplo aspecto. Julgá-las pelo seu lado exterior e vulgar é julgar o valor moral de um homem pelas suas vestimentas. Para conhecê-las, é necessário penetrar no pensamento íntimo que as inspira e faz sua razão de ser; do seio dos mitos e dos dogmas, é necessário separar o princípio gerador que lhes comunica a força e a vida. (...)

A religião é necessária e indestrutível, pois ela haure sua razão de ser na própria natureza do ser humano, da qual resume e exprime as aspirações elevadas. Ela é, também, a expressão das leis eternas, e, nesse ponto de vista, deve se confundir com a Filosofia, que faz passar do domínio da

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Aptidão e experiência

Aptidão e experiência
Aptidão e experiência
Queres ouvir os desencarnados, de maneira correta.

Aspiras a enxergar nos reinos do espírito, sem nenhuma ilusão.

Pretendes cultivar o intercâmbio medianímico, sem leve tisna de engano.

Estendes os braços e esperas por sublimes demonstrações.

Contudo, entre aptidão e experiência há sempre distância igual àquela que existe entre projeto e realidade.

Aptidão é planejamento.

Experiência é dedicação.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Aprendizado Valioso

Aprendizado Valioso
Aprendizado Valioso
Submetido ao currículo da aprendizagem na Academia terrestre, propõe-te a valorizar todas as lições que te escudam e preparam para a conquista dos tesouros da inteligência e do sentimento.

Cada período da vida brindar-te-á com uma gama de experiências, das quais retirarás proveitosos ensinamentos para o próprio equilíbrio.

Nem sempre o curso transcorrerá em manifestação festiva, porém, nas diferentes etapas, defrontarás os desafios que te exigirão capacidade e reflexão, discernimento e decisão para superá-los.

Toda conquista resulta de um preço, de sacrifício ou esforço para legitimar-se.

As variadas disciplinas podem impor-te demorados estágios, seja no patamar dos sofrimentos ou nos degraus da renúncia, todavia, galgando a escada das dificuldades, lograrás o topo da subida para o refazimento necessário e a paz verdadeira.

A princípio, os sonhos infantis enriquecer-te-ão as paisagens mentais, de modo a nutrires a

sábado, 3 de janeiro de 2015

Adversário Cruel

Adversário Cruel
Adversário Cruel
Esconde as intenções e disfarça-se de mil formas, mantendo os seus firmes propósitos.

Dominador por instinto e arbitrário, escraviza e esmaga quem lhe sofre a decisiva influência.

É o egoísmo – esse adversário cruel do espírito, no processo iluminativo de sua evolução.

O egoísmo é parasita destruidor. Observa o ciúme e verás o egoísmo revoltado por não deter a posse.

Examina a ira e descobrirás o egoísmo contrariado, explodindo.

Detém-te na calúnia, e eis o egoísmo em ação.

Analisa a maledicência e perceberás o egoísmo em jornada de insensatez.

Contempla a vingança e concluirás que o egoísmo enlouqueceu.

Atenta no furto e encontrarás o egoísmo justificando a posse indevida.

Em qualquer crime contra o indivíduo, a propriedade, o povo e as Nações, depararás com o egoísmo no comando abusivo. Jesus, porém, propôs o único remédio eficiente para esse terrível mal: o amor.



Autora: Joanna de Ângelis
Do livro: Oferenda.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

A Vida Moral

A Vida Moral
A Vida Moral
Todo ser humano traz, gravado em si, na sua consciência, na sua razão, os rudimentos da lei moral. Essa lei recebe, nesse mundo mesmo, um começo de sanção. Uma boa ação proporciona ao seu autor uma satisfação íntima, uma espécie de dilatação, de desabrochar da alma; nossas faltas, ao contrário, trazem, frequentemente, como consequência, mágoa e remorsos. Entretanto, essa sanção, tão variável segundo os indivíduos, é muito vaga, muito insuficiente do ponto de vista da justiça absoluta. É por isso que as religiões colocavam na vida futura, nas penas e recompensas que nos reserva, a sanção capital dos nossos atos. Ora, seus dados, carecendo de base positiva, são colocados em dúvida pelo maior número. Depois de ter exercido uma influência séria sobre as sociedades da Idade Média, não são mais sufi cientes, de agora em diante, para afastar o homem das vias da sensualidade.

Antes do drama do Gólgota, Jesus anunciara aos homens um outro consolador, o Espírito de Verdade, que devia restabelecer e completar seu ensinamento. Esse Espírito de Verdade veio e falou à Terra; por toda parte fez ouvir sua voz.

Dezoito séculos depois da morte do Cristo, a liberdade de palavra e de pensamento sendo espalhada pelo mundo, a Ciência tendo sondado os céus, a inteligência humana tendo se desenvolvido, a hora foi julgada favorável. Os espíritos vieram, em massa, ensinar a seus irmãos da Terra a lei do

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...