quinta-feira, 19 de março de 2015

Na Hora da Fadiga

Na Hora da Fadiga
Na Hora da Fadiga
Quando o cansaço te procure no serviço do bem, reflete naqueles irmãos que suspiram pelo mínimo das facilidades que te enriquecem as mãos.

Pondera não apenas nas dificuldades dos que, ainda em plenitude das forças físicas, se viram acometidos por lesões cerebrais, mas também no infortúnio dos que se acham em processos obsessivos, vinculados às trevas da delinquência.

Observa não somente a tortura dos paralíticos, reclusos em leitos de provação, mas igualmente a dor dos que não souberam entender a função educativa das lutas terrestres e caminham, estrada afora de coração enrijecidos na indiferença.

Considera não apenas o suplício dos que nascem em dolorosa condição de idiotia, reclamando o recurso alheio nas menores operações da vida orgânica, mas também o perigoso desequilíbrio daqueles que, no fastígio do conforto material, resvalam em ateísmo e vaidade, fugindo deliberadamente às realidades do espírito.

Medita não somente na aflição dos que foram acidentados em desastres terríveis, mas igualmente na angústia dos que foram atropelados pela calúnia, tombando moralmente em revolta e criminalidade, por não saberem assimilar o benefício do sofrimento.

Quando a fadiga te espreite na esfera da ação, pensa naqueles companheiros, ilhados em padecimento do
corpo e da alma, a esperarem pelo auxílio, ainda que ligeiro, de teu pensamento, de tua palavra, de tua providência, de tuas mãos. . .

Se o desânimo te ameaça, examina se o abatimento não será unicamente anseio de repousar, antes do tempo, e se te reconheces conscientemente disposto de energias para ser útil, não te confies à inércia ou à lamentação.

Quando a fadiga apareça, recorda que alguém existe, a orientar-te e a fortalecer-te na execução das tarefas que o Alto te confiou; alguém com sufi ciente amor e poder, a esperar-te os recursos e dons na construção da Vida Melhor...

Esse alguém é Jesus, a quem aceitamos por Mestre e que certa feita, asseverou, positivo, à frente dos seguidores espantados por vê-lo a servir um dia consagrado ao descanso: “Meu Pai trabalha até hoje, e eu trabalho também”.



Autor: Emmanuel
Do Livro: Estude e Viva

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...