segunda-feira, 13 de abril de 2015

Léon Denis, um homem de bem

Léon Denis, um homem de bem
Léon Denis, um homem de bem
O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XVII, item 3, 1o §.)



É sempre um prazer falar do bem produzido pelos escritos do mestre Léon Denis. Ao meu tempo, nunca deixei de fazê-lo, em todas as ocasiões. Coloquei, após Jesus e Kardec, a fi gura de Léon Denis como dos grandes benfeitores que a Humanidade já teve.

Trabalhador incansável, operoso, caritativo, mesmo generoso em suas ações, demonstrava, pelos próprios atos, o quanto a Doutrina Espírita é poderosa.

Quando percebia a transformação de alguém por conta da Doutrina Espírita, proclamava em bom som: “Veja Gaston! Veja como é interessante a ação do bem em todas as pessoas, e, particularmente, nos corações dos maus”! E, sorrindo, dizia para mim: “É preciso encarar a vida com esperança, com expectativa, com a certeza de que todos irão se transformar”.

Nos trabalhos inúmeros que pude desenvolver, estimulado pelo seu ato de complacência para comigo, jamais deixei de lembrar às pessoas que o Espiritismo, além de doutrinar o nosso cérebro, modifica o nosso
sentimento. Quando vemos a Humanidade tão cheia de dores, angústias, guerras, sofrimentos os mais variados, sentimos que a Doutrina Espírita é doutrina, por excelência, de conforto, consolação e é, também, aquela que orienta. (...)

Se pensarmos na Doutrina Espírita como aquela que conforta e orienta, veremos que ela é coerente com a Doutrina Cristã, que nos recomenda amar ao próximo como o Cristo nos amou. Por isso mesmo, aos que dizem que Doutrina Espírita não é Cristianismo, eu respondo: Ela é continuação do Cristianismo. Ora, o cristão certa mente um dia será espírita, porque o Espiritismo acrescenta conceitos que outros ramos do Cristianismo não acrescentam como o da reencarnação e também o da comunicabilidade. (...)

Muito bem, meus irmãos, olhemos para Léon Denis; olhemos para o Cristo, o grande benfeitor da Humanidade, trazendo a lei de Amor. Olhemos Kardec com todo o seu sentimento de ensino, mostrando, comprovando, por vários motivos, obrigando-nos a pensar, a ter a certeza da existência do espírito, da comunicação e daquilo que nós erroneamente chamamos Doutrina Espírita, quando deveríamos chamar de verdade espírita.

Não pensem que vim aqui trazer novidades. Na verdade espírita, olhemos para Léon Denis e veremos, juntamente com outros da época, homens de bem, transformados, que lutaram por mostrar à Humanidade inteira que Jesus, com a sua lei de Amor, está correto, e que Kardec, com as leis da comunicação, também correto está. Falta nos falar sobre a mansuetude, a bonomia, o carinho que Léon Denis nos traz. Ele era assim, meus irmãos: severo, porque todos nós fomos criados severamente, mas era, acima de tudo, cheio de bonomia; era uma pessoa alegre, sorridente e que fazia da Doutrina Espírita uma fonte de luz, de alegria e de perfume, pois onde passava deixava a atmosfera equilibrada. E todos gostávamos de ver isto nele. Era uma das suas faculdades mediúnicas, da qual pouco se fala.

Nesta Casa, que homenageia o Mestre; nesta Casa, que fala tanto de Léon Denis e que divulga a Doutrina Espírita, vista pelo lado de Léon Denis, que vocês tenham muitas alegrias e felicidades, homenageando a ele, mas, também, homenageando a vocês mesmos, que, superando preconceitos, conceitos, ideias antigas, são capazes de viver, nos dias de hoje, a certeza que o Espiritismo traz e, mais ainda, viver essa doutrina com amor, com alegria, com fraternidade e com o desenvolvimento de muito trabalho, com muita paz.

Felicidade para todos é o que desejamos. Alegria, neste momento de tanta dor, tanto temor. Sei que o Brasil passa por grandes lutas; mas tenham a certeza de que esse país, que guarda a maior parte dos espíritas em seu coração, saberá superar, pelo amor, todos os problemas que atravessa. Não será pelo terror nem pelo temor; mas será pelo amor.

Que Deus nos guarde a todos, guardando-nos também os momentos de felicidade cristã!

O amigo, o admirador de Léon Denis, o companheiro de lutas,



Autor: Gaston Luce
Do livro: Em Torno de Léon Denis

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...