segunda-feira, 27 de julho de 2015

O Trabalho e o Trabalhador

O Trabalho e o Trabalhador
O Trabalho e o Trabalhador  
“Todos vós tendes más tendências para vencer, defeitos para corrigir, hábitos para modificar... Por que, então, sois tão clarividentes para o próximo e tão cegos para vós mesmos?” (Allan Kardec, O Evangelho Segundo o Espiritismo, 3.ed. CELD. Cap. X, item 18.)

Cada tarefa traduz o trabalhador. A tarefa surge em função do homem; que ninguém se esqueça disso!

Muitas vezes, em atividades complexas, há a crítica natural de que “isto não está bem”; “aquilo poderia ser melhor”, que se deveria fazer “deste jeito e não daquele”. É sempre bom lembrar, no entanto, que a tarefa surge em função do homem.

O trabalhador digno faz do seu campo de ação uma atividade digna.

O educador faz do seu campo de ação um núcleo de trabalho equilibrado.

O confuso, ao contrário, como que tumultua o serviço.

Dentro das atividades da Casa Espírita, nunca se esqueçam os trabalhadores de que não se pode ser como máquinas ou como grandes empresas que determinam detalhes. Na Casa Espírita, pede-se que
haja uma disciplina conscientizada do que se faz: o trabalhador exato, no posto exato.

Havendo dificuldades, neste ou naquele setor, acusem menos o setor e analisem o cooperador. E que não se reflitam posições de intransigência, porque analisar, realmente, é mais fácil do que realizar.

Conservem viva a imagem de Jesus acerca da crítica, acerca do julgamento. Lembrem-se ainda de Jesus, considerando o amor que os discípulos devem ter uns para com os outros.

Da vida, tirem a experiência superior, precisa, enobrecedora, de que não se deve esperar das criaturas humanas aquilo que elas não têm para dar, e aprendam a dar de si o máximo, para que o amor cresça onde estiverem.

Repetimos: o trabalho surge em função do trabalhador. Se o homem não se prepara, não se capacita, não se conduz, não se eleva, não se instrui, não se transforma no bem, realmente, ele complica demasiado o trabalho que tem a fazer.

Meus filhos, recordem-se disso, e da vida extraiam as lições de entendimento superior onde vocês estiverem. Em qualquer setor de trabalho, na Casa Espírita, na rua, na luta diária, nunca esqueçam que vocês precisam muito do Cristo como instrutor, como pacificador, como amigo, como irmão, como Mestre. Se todos precisam demasiadamente do Cristo, que jamais se esqueçam de que precisar somente não basta; é preciso buscá-lo e ao Pai, igualmente.

Assim, aqui ou onde estiverem, trabalhem, mereçam o local em que vocês estejam trabalhando; mereçam-no! A vida responderá a todos com formas diferentes, com hábitos renovados, com circunstâncias melhores.

Deus fique com todos!

Paz!


Autor: Hermann
Do livro: Palavras do Coração, vol. 3.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...