quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Repara logo

Repara logo
Repara logo
Não acredites que a Lei Divina possa te privilegiar em detrimento de alguém.

O que te acontece é consequência do mérito.

Quanto mais causas gerares no bem, mais efeitos positivos experimentarás.

És o polo convergente de tuas próprias ações.

Crias, em torno de ti, um campo magnético, atraindo ou repelindo forças.

A repercussão da menor de tuas atitudes te procura e te encontra, onde quer que te escondas.

A treva só pode ser anulada pela luz. 

O ódio só se extingue através do amor. 

Arranca, depressa, o joio que plantaste, antes que ele se alastre e sufoque a boa semente.

Repara logo o erro que cometeste, impedindo que ele cumpra o seu ciclo e volte a ti, acrescido de

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Renovação

Renovação
Renovação
Graças a Deus! Que o amor único de Deus inspire todas as almas para o bem!

Irmãos meus – A nós emocionou a mensagem que vos lembrou que o mundo, na parte a qual pertenceis, entrou na primavera. Por que assim falamos? Se a primavera tem acepção de renovação, é preciso que cada um de vós pense na renovação interior da criatura.

Vamos dar uma passada muito rápida no mundo de hoje... Não alimentamos, de forma alguma, o pessimismo porque sabemos que é próprio das transformações essa ebulição que leva as criaturas a verdadeiros desatinos. Não discutiremos convosco se esta ou aquela religião caminha de forma mais acertada porque temos por base a Doutrina Espírita, que tem por objetivo primordial a evangelização da criatura e ninguém se evangeliza se não se transformar, se não se renovar. E que renovação é esta?

domingo, 27 de setembro de 2015

Reencarnação: Divino projeto de luz

Reencarnação: Divino projeto de luz
Reencarnação: Divino projeto de luz
As nossas diversas existências corporais se verificam todas na Terra? “Não; vivemo-las em diferentes mundos. As que aqui passamos não são as primeiras, nem as últimas; são, porém, das mais materiais e das mais distantes da perfeição.” (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, perg. 172.)

Que o amor único de Deus inspire todas as almas para o bem!

Voltar à Terra, para muitas criaturas, é um exercício de dor, sofrimento e até mesmo de angústia; para outras, é apenas a volta ao convívio com as forças das quais realmente jamais se desligou.

Seja qual for o ângulo de que se analise a questão, vejamos no retorno à vida corporal uma das maiores bênçãos que Deus oferece ao espírito humano.

Cada vez que a mente, ou espírito, se encaminha numa determinada direção, o faz com objetivo próprio, determinado, querendo alcançar alguma coisa que lhe faculte o progresso.

Como espírito, o homem não poderá viver certas experiências que somente a vida na matéria favorece, tais como determinadas paixões. Algumas das paixões humanas apenas através da matéria se podem experimentar, como certas realidades morais. Tomemos, por exemplo, a posse do ouro, o domínio de nações; somente na matéria podem-se alcançar tais objetivos. Por isso Deus, em sua

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Partindo algemas

Partindo algemas
Partindo algemas
“Amai os vossos inimigos” – ensinou-nos o Excelso Mestre.

Para aqueles que recolhem o triste atestado da sobrevivência da alma no cadinho ebuliente da obsessão, semelhante afirmativa não induz ao endeusamento do irmão que se lhe considera adversário e que se acoberta por trás da fronteira de cinzas, mas expressa anseio renovador de quem despe a armadura sufocante do egoísmo e se desfaz da máscara do orgulho.

O homem que se julga invulnerável à obsessão, está a caminho dela e, nela, ambos, cordeiro e carrasco, sofrem muito, pois não há rancor feliz. Por isso mesmo a duração da influência perniciosa é sempre limitada, de vez que duas forças iguais em conflito lutam, por algum tempo, entre si, para se anularem, mutuamente, depois.

Um par de dores idênticas se entende...

A paz íntima é comprada a suor.

Amar os desafetos, sem opor ódio ao ódio, é o antídoto sublime de toda influenciação nociva, no

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Paciência e bondade

Paciência e bondade
Paciência e bondade
A paciência é essa qualidade que nos ensina a suportar com calma todos os aborrecimentos. Não consiste em apagar em nós qualquer sensação, em nos tornar indiferentes, inertes, mas em procurar, além dos horizontes do presente, as consolações que nos fazem considerar fúteis e secundárias as tribulações da vida material.

A paciência conduz à benevolência. Como espelhos, as almas nos devolvem o reflexo dos sentimentos que nos inspiram. A simpatia atrai a simpatia, e a indiferença engendra o amargor.

Aprendamos, quando for necessário, a reprimir com doçura, a discutir sem arrebatamento, a julgar todas as coisas com benevolência e moderação: fujamos de tudo o que apaixona e sobre-excita.

Abstenhamo-nos, sobretudo, da cólera, que é o despertamento de todos os instintos selvagens, amortecidos em nós pelo progresso e a civilização, uma reminiscência de nossas vidas obscuras. Em

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Muito a fazer

Muito a fazer
Muito a fazer
“Os médiuns, seguramente, são elementos essenciais das reuniões espíritas, mas não são o elemento indispensável, e haveria erro em crer que, com a sua falta, nela nada haveria a fazer”. (Cap. XXIX, Segunda Parte. Item 347.)


Conforme O Livro dos Médiuns nos esclarece, os médiuns não são o elemento indispensável das reuniões espíritas.

Não é imprescindível que o centro espírita conte com o concurso diferenciado deste ou daquele médium, para funcionar.

É evidente que a presença de um ou mais medianeiros equilibrados em determinado grupo é de grande valia, mas em suas tarefas doutrinárias o médium não deve ser considerado elemento

sábado, 19 de setembro de 2015

Kardec, enviado divino

Kardec, enviado divino
Kardec, enviado divino
“O Espiritismo veio cumprir, no tempo predito, o que o Cristo anunciou, e preparar a realização das coisas futuras.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. I, item 7. CELD.)

Pela graça infinita de Deus, paz!

Balthazar, pela graça de Deus.

Na ocasião do estudo de hoje, em que foi ressaltada a figura do ilustre codificador da Doutrina Espírita, será altamente positivo meditarmos sobre a misericórdia de Jesus e a bondade de Deus, que jamais deixa o homem terreno sem amparo, sem sustento, chegando mesmo a enviar, para esta mesma humanidade encarnada, benfeitores capazes de ajudar ao progresso daqueles que estão sob necessidade de lutas reencarnatórias. A bondade de Deus é assim, nunca esmorece.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Resignação na adversidade

Resignação na adversidade
Resignação na adversidade
Como é grande, o espetáculo oferecido pela alma resignada, aprontando-se para deixar a Terra após uma vida dolorosa!

Lança um último olhar sobre seu passado; revê, numa espécie de penumbra, os desprezos sofridos, as lágrimas reprimidas, os gemidos abafados, os sofrimentos bravamente suportados. Suavemente, sente desligar-se dos entraves que a acorrentam a esse mundo. Vai abandonar seu corpo de lama,  deixar bem distante de si todas as servidões materiais. O que poderia temer? Não provou a abnegação, sacrificou seus interesses à verdade, ao dever? Não sorveu até a última gota o cálice purificador?

Vê também o que a aguarda. As imagens fluídicas de seus atos de sacrifício e de renúncia, seus pensamentos generosos precederam-na, balizas brilhantes que marcam o caminho de sua ascensão. São os tesouros de sua

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Grupo em crise

Grupo em crise
Grupo em crise
“Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.” Jesus – (João, 15:7).


Habitualmente, quando as tarefas de uma equipe consagrada ao serviço do bem parecem devidamente estabilizadas, a crise explode.

Desequilibra-se o clima das boas obras e a tempestade ruge.

Desentendem-se irmãos na sombra da discórdia, quando mais necessária se faz a luz da harmonia.

Edificações que se figuravam consolidadas apresentam brechas arrasadoras.

Todo o esquema das realizações em andamento se mostra superficialmente comprometido.

Afastam-se companheiros de posições importantes, deixando claros difíceis de preencher.

Esses são os dias de exame, em que a ventania da crítica esbraveja em torno de nós, experimentando-

domingo, 13 de setembro de 2015

Em equipe espiritual

Em equipe espírita
Em equipe espírita
“Em verdade vos digo que se dois dentre vós, sobre a Terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que porventura pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai que está nos Céus.” Jesus (Mateus, 18:19).


Aceitar-nos na condição de obreiros, chamados por Jesus a servir e servir.

Compreendermo-nos em lide como sendo uma só família na intimidade do lar, esquecendo-nos pelo rendimento da obra.

Acreditar –, mas acreditar mesmo –, que nada conseguiremos de bom, perante o Senhor, sem humildade e paciência, tolerância e compreensão, uns diante dos outros.

Situar a mente e o coração, na lavoura do bem comum.

Fazer o que se deve, mas prestar apoio discreto e desinteressado aos companheiros, na desincumbência das responsabilidades que lhes competem.

Associarmo-nos ao esforço geral do grupo, no cumprimento do programa de ação, traçado em

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Elos entre dois Mundos

Elos entre dois Mundos
Elos entre dois Mundos
“Imagine-se que cada indivíduo está cercado de certo número de acólitos invisíveis, que se lhe identificam com o caráter, com os gostos e com os pendores. Assim sendo, todo aquele que entra numa reunião traz consigo Espíritos que lhe são simpáticos. Conforme o número e a natureza deles, podem esses acólitos exercer sobre a assembleia e sobre as comunicações influência boa ou má. Perfeita seria a reunião em que todos os assistentes, possuídos de igual amor ao bem, consigo só trouxessem bons Espíritos. Em falta da perfeição, a melhor será aquela em que o bem suplante o mal. Muito lógica é esta proposição, para que precisemos insistir.” (O Livro dos Médiuns, cap. 29, item 330.)

Naquela manhã o medianeiro despertou irritadiço, colérico.

Enquanto preparava-se para a faina do dia, a tormenta mental incendiava-lhe os pensamentos com o rancor e a vindita. Pensava que, ao sair porta afora, se topasse novamente com o vizinho ranzinza e incômodo, não lhe toleraria um só gesto de atrevimento ou desdém.

Mas aconteceu que, ao sair, a primeira fisionomia que vislumbrou, em tom irônico, foi a dele. Tomam o elevador juntos. Inicia-se então uma guerra de dardos mentais. O medianeiro, espírita, perde a fleuma cristã e desborda em palavras infelizes. Houve tumulto e o desentendimento raiou às

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Doutrina Consoladora

Doutrina Consoladora
Doutrina Consoladora
Assim, o Espiritismo proporciona o que Jesus disse sobre o consolador prometido: conhecimento dos fatos(...) retorno aos verdadeiros princípios da Lei de Deus, e consolação pela fé e pela esperança. (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. VI, item 4, último parágrafo.)


O homem é um ser progressista… Progredir é sua missão na Terra, é seu maior dever. (Léon Denis. O Progresso, cap. I.)

Conforta-nos saber que esta Instituição mantém o trabalho evocativo dos mortos. Eles estão presentes, sempre, nunca ausentes de todos os que lhes buscam a mensagem de apoio e paz.

Já Allan Kardec ensinava que a vida continua, na conceituação firme do fato e na clara evidência da comunicação.

Na Doutrina Espírita há dois conceitos elucidativos: o da sobrevivência da alma e o da comunicação dos espíritos.

Qual é a religião que traz esta mensagem segura e eivada de exemplos? Qual é a que traz a certeza da

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Autenticidade dos Evangelhos

Autenticidade dos Evangelhos
Autenticidade dos Evangelhos
Veio Jesus, espírito poderoso, missionário divino, médium inspirado. Ele veio, encarnando entre os humildes, a fim de dar a todos o exemplo de uma vida simples e, no entanto, cheia de grandeza, vida de abnegação e de sacrifício, que devia deixar traços indeléveis sobre a Terra.

A nobre figura de Jesus ultrapassa todas as concepções do pensamento. Eis por que ela não pode ser criada pela imaginação. Nessa alma, de uma serenidade celeste, não se vê nenhuma mancha, nenhuma sombra. Nela todas as perfeições se fundem com uma harmonia tão perfeita que ela nos aparece como o ideal realizado.

Sua doutrina, toda de amor e de luz, dirige-se especialmente aos humildes e aos pobres, a essas

sábado, 5 de setembro de 2015

A Educação

A Educação
A Educação
Não confiem seus filhos a outros, a não ser que sejam a isso obrigados. A educação não deve ser mercenária. Que importa a uma babá que uma criança fale ou ande antes de outra? Ela não tem nem o orgulho nem o amor maternos. Mas que alegria para a mãe nos primeiros passos do seu querubim! Nenhuma fadiga, nenhuma dor a detém. Ela ama! Façam pela alma dos seus filhos o mesmo. Tenham mais solicitude ainda pela sua alma do que pelo seu corpo. Este consumir-se-á, em breve, e será lançado a uma sepultura, enquanto que a alma imortal, resplandecendo pelos cuidados com que foi cercada, pelos méritos adquiridos, pelos progressos realizados, viverá através dos tempos para abençoá- los e amá-los.

A educação, baseada numa concepção exata da vida, mudaria a face do mundo. Suponhamos cada família iniciada nas crenças espiritualistas sancionadas pelos fatos, incutindo-as nos filhos, ao mesmo tempo em que a escola neutra lhes ensinaria os princípios da Ciência e as maravilhas do Universo; em

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

A Crise Moral

A Crise Moral
A Crise Moral
Para elevar o nível moral, para fazer parar essas duas correntes da superstição e do ceticismo, que atingem igualmente à esterilidade, o que é necessário ao homem é uma concepção nova do mundo e da vida que, apoiando-se no estudo da Natureza e da consciência, na observação dos fatos, nos princípios da razão, fixe o objetivo da existência e regule nossa marcha adiante. O que é necessário é um ensino de onde se extraia um móvel de aperfeiçoamento, uma sanção moral e uma certeza para o futuro.

Ora, essa concepção e esse ensino já existem e se vulgarizam todos os dias. No meio das disputas e das divagações das escolas, uma voz se faz ouvir: a dos Mortos. Do outro lado da tumba, eles se

terça-feira, 1 de setembro de 2015

A Conclusão da Pesquisa

A Conclusão da Pesquisa
A Conclusão da Pesquisa
Companheiro espírita, o que não entendes ainda nos princípios do Espiritismo?

A singela pergunta surge com imensa importância, porque, sem o necessário entendimento do Espiritismo, há sempre falhas na utilização do estágio terrestre.

É imprescindível assimilar a Doutrina Espírita, nas entranhas da própria alma, para que seja vivida nas ações cotidianas.

Para senti-la, porém, urge compreendê-la, raciocinando.

Com todos os ensinamentos excepcionais divulgados pelas ciências e pelas filosofias da atualidade, não encontrarás a explicação das Leis que orientam a Vida Eterna, tanto quanto na intimidade da fé positiva que esposamos.

Quase todos os setores da existência humana já foram motivos para revelações espirituais.

Quase todos os fenômenos que sensibilizam a consciência já receberam na Terra essa ou aquela

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...