sábado, 19 de setembro de 2015

Kardec, enviado divino

Kardec, enviado divino
Kardec, enviado divino
“O Espiritismo veio cumprir, no tempo predito, o que o Cristo anunciou, e preparar a realização das coisas futuras.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. I, item 7. CELD.)

Pela graça infinita de Deus, paz!

Balthazar, pela graça de Deus.

Na ocasião do estudo de hoje, em que foi ressaltada a figura do ilustre codificador da Doutrina Espírita, será altamente positivo meditarmos sobre a misericórdia de Jesus e a bondade de Deus, que jamais deixa o homem terreno sem amparo, sem sustento, chegando mesmo a enviar, para esta mesma humanidade encarnada, benfeitores capazes de ajudar ao progresso daqueles que estão sob necessidade de lutas reencarnatórias. A bondade de Deus é assim, nunca esmorece.


Em meio a tantas semeaduras religiosas, na ocasião em que Kardec veio; em meio ao fracasso de tantos homens, até mesmo na condição de espíritos entregues ao mais desvairado materialismo, Jesus soube enviar à Terra alguém que, sobrepondo-se a todas essas forças, pôde captar o ensino do mais além, de forma equilibrada e correta, plantando no coração do homem, e no cérebro daqueles que descriam de Deus, a ideia da imortalidade da alma.

Assim, mais uma vez, lembramos a todos os presentes que meditem sobre a vontade de Deus, que nunca esmorece. Lembremos, ainda, que Jesus, enviado por Deus, um dia sofreu para divulgar uma doutrina baseada no sentimento maior, que é o amor. A humanidade custou a assimilar-lhe os ensinos. Outros apóstolos e trabalhadores consolidaram sua doutrina. Allan Kardec, um desses trabalhadores do bem, ampliou-nos a visão, com a Doutrina Espírita. Igualmente, outros vieram ajudar Kardec a difundir esse conhecimento e relembrar a origem divina de todos nós.

Observando-se que o Espiritismo se espalha e atinge verdadeiras multidões, fica-se com a certeza de que Deus age junto ao homem, através de outros homens, e todos os que ouvem, entendem e praticam a Doutrina Espírita acabarão, por sua vez, por se tornar difusores de uma ideia elevada, superior, pacífica.

Todos os que estamos, portanto, nos transformando em espíritas, somos continuadores dos trabalhos iniciados por Jesus e continuados por Allan Kardec.

Busquemos, assim, conhecer Kardec, esta figura ímpar, no seu papel histórico e cristão, e continuemos a agradecer a Deus, por termos nele um Pai.

Graças a Deus!

Que Deus nos abençoe a todos!

Balthazar, pela graça infinita de Deus.

Paz!



Autor: Balthazar
Do livro: Pela Graça Infinita de Deus, vol. 3.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...