segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Muito a fazer

Muito a fazer
Muito a fazer
“Os médiuns, seguramente, são elementos essenciais das reuniões espíritas, mas não são o elemento indispensável, e haveria erro em crer que, com a sua falta, nela nada haveria a fazer”. (Cap. XXIX, Segunda Parte. Item 347.)


Conforme O Livro dos Médiuns nos esclarece, os médiuns não são o elemento indispensável das reuniões espíritas.

Não é imprescindível que o centro espírita conte com o concurso diferenciado deste ou daquele médium, para funcionar.

É evidente que a presença de um ou mais medianeiros equilibrados em determinado grupo é de grande valia, mas em suas tarefas doutrinárias o médium não deve ser considerado elemento
indispensável, mesmo porque a Doutrina não depende exclusivamente dos homens, para caminhar.

Existem grupos que, preocupados com a falta de médiuns em suas fileiras, chegam a aliciar médiuns de outros grupos espíritas, fazendo-lhes, inclusive, melhores “propostas” de trabalho. Isto é ignorar completamente o Espiritismo!

A rigor, não existe nenhum centro espírita sem médium.

Por mais simples e humildes que sejam, os médiuns carecem ser valorizados pelos grupos aos quais pertençam.

A presença de um médium passista em uma equipe de atividades doutrinárias é uma bênção... Não há necessidade que o centro conte com um médium psicógrafo, com um médium de efeitos físicos ou com um médium operador, para que as suas tarefas sejam consideradas relevantes.

A espiritualidade sempre valoriza a boa intenção dos companheiros e não a sua condição mediúnica, de vez que existem médiuns que não se mostram dispostos a cooperar; e muitos, ao contrário, acabam é criando empecilhos à atuação dos Espíritos Benfeitores...

Tanto quanto possível, as atividades doutrinárias de um grupo não devem depender deste ou daquele companheiro da mediunidade. Existem grupos que, assim estruturados, se dissolveram, pela desencarnação ou mesmo pelo afastamento do médium.

Antes de cogitar da formação de um grupo mediúnico específico, a casa espírita necessita organizar tarefas mais urgentes, tais como a Evangelização da Criança, a Pré- Mocidade, a Mocidade, as Reuniões de Estudo, o Serviço Assistencial em suas variadas modalidades, o trabalho de Passes...

Toda casa espírita deve, ainda, contar com uma equipe de apoio espiritual aos doentes, que se disponha a assisti- los nos hospitais, ou então, quando necessário, em suas casas; com companheiros que se disponham a orientar na criação do Culto do Evangelho no Lar, que se preocupem com a Divulgação da Mensagem Espírita, através de livros, panfletos e bibliotecas que realmente funcionem...

A mediunidade com Jesus pode ser exercida de infinitos modos.

Mais importante que um médium que cirurgie corpos perecíveis é a Doutrina, que opera a renovação das almas!

Mais significativo que um médium que receba mensagens do Além é o que busca difundi-las pelo exemplo nobilitante.

Mais eficaz que um médium que ceda fluidos para a materialização de espíritos é o que plasma as ideias de imortalidades com o suor do próprio rosto.



Autor: Odilon Fernandes
Do livro: Somos Todos Médiuns

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...