quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Nós e os outros

Nós e os outros
Nós e os outros
Buscamos o pão para a nossa mesa, mas esquecemos que nossas mãos podem estender aos famintos o alimento que igualmente lhes falta.

Procuramos o agasalho que nos aqueça nas noites de frio, todavia, olvidamos que existem outros corpos, iguais aos nossos, expostos aos mesmos rigores do tempo.

Afligimo-nos para que não falte escola para nossos filhos, entretanto, não nos comovemos ante as inúmeras crianças vencidas pela ignorância e às quais as primeiras letras concorreriam para a libertação das sombras que as ameaçam.

Choramos a perda dos entes amados e, fixados em nossa dor, não nos preocupamos em consolar os que se encontram em idênticas aflições.

Desejamos que a bondade de Deus nos socorra as mínimas necessidades, inquietando-nos quando a solução de nossos problemas nos parece demasiadamente distante; contudo, tardamos em atender as questões que inquietam os corações que para nós apelam em última instância.


Julgamo-nos esquecidos pela Misericórdia Divina e não nos dispomos a ser instrumentos dessa mesma Misericórdia junto aos que vivem sós, abandonados e tristes.

No entanto... no dia em que o Reino de Deus se manifestar através de nossas mãos, de nossa palavra, de nosso olhar na direção dos que sofrem, então, segundo Jesus, ele estará dentro de nós e a luz que dele se irradia iluminará, não só os caminhos alheios, mas, igualmente, os nossos próprios caminhos.

As bênçãos semeadas por nossa boa vontade suprirão, também, as nossas necessidades.

As palavras de consolo que oferecermos soarão, primeiramente, aos nossos próprios ouvidos; o pão repartido se multiplicará; a veste agasalhante aquecerá primeiro as nossas mãos...

Repartir, doar, oferecer, canalizar, estender, desdobrar, conduzir e esclarecer são verbos de luz que, conjugados, nos abrirão as portas para as realizações com Jesus.

Ninguém solucionará seus problemas, ninguém alcançará as metas desejadas, se não aprender a conjugar esses verbos divinos, os quais consolidam a Lei de Misericórdia, sob a qual desejamos estar sempre abrigados.

Busquemos, assim, as riquezas do Reino de Deus, multiplicando-as em torno de nossos passos, porquanto é desse mesmo Reino que virá tudo o que nos será dado por acréscimo.

Ouça quem tem ouvidos de ouvir!



Autora: Icléia
Do livro: Evangelho e Vida. Lar de Tereza

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...