segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Comunicação pelo Pensamento

Comunicação pelo Pensamento
Comunicação pelo Pensamento
“Os espíritos protetores nos ajudam com seus conselhos, através da voz da consciência que fazem ressoar em nós (...)” (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos. 1. ed. CELD, 2007. Questão 524, comentário.)


Pela graça infinita de Deus, paz!

Balthazar, pela graça de Deus.

Através dos milênios, o homem vem desenvolvendo um meio de comunicar-se com o semelhante. É justamente no esforço mental que vêm desenvolvendo, falando sem palavras, transmitindo suas ideias e seus sentimentos, que as criaturas igualmente vão desenvolvendo um meio de comunicação.

Da mente dirigida para um momento mesmo, em que sentimos algo e nos lembramos de alguém, transmitimos, por esse modo, a nossa imagem, o nosso sentimento, a nossa palavra.

Vamos observando que, cada vez mais, o reino do espírito se faz presente. Cada vez mais, o espírito em si mesmo se comunica; cada vez mais o homem adentra o mundo dos espíritos.


Pressentimentos, comunicações pelo pensamento, tudo isto, na Terra, no meio dos encarnados, tem um significado claro, objetivo, declarado, que é o de comprovar a existência do espírito além da matéria.

Compreendendo isto, entendemos o porquê da preocupação do plano superior em fazer com que tais fenômenos ocorram com uma certa regularidade. É justamente para que os homens tenham mais um meio de acesso à vida dos espíritos; para que os homens compreendam, por mais um meio, que os espíritos sobrevivem, preexistem, continuam se comunicando, mesmo que muitos rejeitem este fato.

De todo esse esforço que a espiritualidade desenvolve, de todo esse trabalho que a espiritualidade procura trazer para nós, ressaltam a enorme boa vontade daqueles que assim agem, a enorme paciência daqueles que continuam dirigindo esses fenômenos, o enorme sentido da vida além da matéria, observado por todos os grandes da espiritualidade.

Valorizemos, assim, o fenômeno, mas não deixemos de lembrar-nos dos que os sustentam. Valorizemos a palavra, o entendimento, a percepção, mas jamais nos esqueçamos daqueles que autorizam a execução dos mesmos, além daqueles que os executam.

Recordemo-nos, finalmente, de Deus, que a tudo isto permite, na hora adequada, para que nós, todos nós, os que estamos vivenciando experiências diversas, múltiplas, todas próximas da Terra, possamos valorizar o trabalho, valorizar o mundo dos espíritos, valorizar a comunicação em si
mesma.

Pressentir é o mesmo do que ter conhecimento antecipado, e o conhecimento antecipado nos dá diretrizes para enfrentar problemas que tivermos que enfrentar.

Que Deus nos ajude a entender toda essa gama infinita de demonstração divina de amor e de bondade! Que assim seja!

Em nome de Jesus Cristo, meus irmãos, nos despedimos, desejando a todos muita paz.

Balthazar, pela graça de Deus.



Autor: Balthazar
Do livro: Pela Graça Infinita de Deus – Volume 2. Lição 20

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...