segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Unânimes em Cristo

Unânimes em Cristo
Unânimes em Cristo

Companheiro espírita!

Não vaciles entre Saulo e Paulo. Entre os dois não há titubeios.

Decide-te, desde agora, pelo segundo, seguindo-lhe os exemplos.

O cronômetro do Espiritismo marca a hora da unificação, unificação de todos os esforços e de todos os ideais em torno do mesmo alvo: honrar, em testemunho e suor, a mensagem do Cristo!

Se pregas, evita controvérsia e sarcasmo; conduze a mensagem do Cristo nas palavras de instrução e consolo.

Se escreves, foge à condenação e à polêmica; divulga a mensagem do Cristo nas páginas de entendimento e libertação.

Se educas, esquece o pessimismo e a tristeza; semeia a mensagem do Cristo nas lições de paz e serviço ao próximo.

Se observas o infortúnio de alguém, renuncia à queixa e à reprovação; esparze a mensagem do Cristo nas doações de fraternidade e alegria.

Se diriges, desiste do personalismo e da violência; valoriza a mensagem do Cristo nos atos de perseverança e abnegação.

Se sustentas a fé no lar, elide a ironia e a discórdia das próprias cogitações; demonstra a mensagem do Cristo no sacrifício e no trabalho.

Se mourejas na lavoura do bem, esquiva-te ao desânimo e à suscetibilidade; grava em ti mesmo a mensagem do Cristo na tranquilidade da consciência e no aprimoramento do coração.

Em nossos ombros pesam as responsabilidades do conhecimento maior.

Remontando sempre às bases doutrinárias, endireitemos o próprio destino, superando, cada qual de nós, os escolhos que se nos antepõem à harmonia geral, a fim de que estejamos reunidos em círculos de almas sincronizadas na construção dos tempos novos.

 A concórdia é o hábito da vida em comum.

Os espíritas sinceros unificam-se no trabalho pela felicidade de todos, até mesmo sem nunca se conhecerem pessoalmente.

Fora de Jesus — a expressar-se na caridade pura com que nos acena a Codificação — não há outro centro aglutinador de energias e esperanças, ante o objetivo a que devemos visar.

Multipliquemos os tesouros da herança que recebemos dos pioneiros, aditando-lhes maiores cabedais de beleza e luz, pugnando pela difusão da imensurabilidade do amor, que flui, incessante, da mensagem do Cristo, em espírito e verdade, convictos de que, no Evangelho, a inteligência se humilha para ensinar, a riqueza se oculta para ajudar melhor, a imprensa modela o pensamento com tinta solar, a mediunidade orienta a obra de elevação, movem-se os braços conjugados no auxílio mútuo e a bondade se derrama, viva, de todas as vozes e de todos os gestos, substancializando os princípios redentores da Boa Nova, de ideia em ideia, de verbo em verbo, de ouvido em ouvido, de passo em passo e de ação em ação.




Autor: Lins de Vasconcellos
Do livro: Seareiros de Volta.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...