quarta-feira, 5 de abril de 2017

Léon Denis e as Sementes Doutrinárias

Léon Denis e as Sementes Doutrinárias
Léon Denis e as Sementes Doutrinárias
“Essa parábola encontra uma aplicação, não menos adequada, nas diferentes categorias de espíritos.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 17, it. 6, CELD.)


Jesus nos abençoe a todos, na noite de paz que aqui estamos vivendo.

Lembrar da obra missionária de um homem, qualquer que seja ele, é tarefa das mais gigantescas, porque analisar experiência alheia é algo difícil para o homem.

Falaremos assim, calcada, a experiência, na parábola do semeador.

E verificaremos que Léon Denis, aos olhos da humanidade espírita, bem pode ser enquadrado na figura do homem que recebeu um talento e saiu a semeá-lo por onde passou.

Naturalmente que o plano diretor, da obra, sentia a importância da necessidade de consolidação doutrinária e chamou para esta tarefa alguém que reunisse qualidades como cultura, tolerância, firmeza, equilíbrio, amor e dedicação. Sem amor, sem dedicação, sem tolerância, sem cultura, sem firmeza, realmente, nada se faz.


Verificando a obra deste homem missionário, nós aqui, do lado de cá, igualmente reconhecemos seu esforço hercúleo e louvamos, sempre que podemos, sua tarefa, sua presciência, sua dedicação; tarefa e dedicação, presciência.

O homem universal, o homem espiritual atinava com tantas e com todas as dificuldades que a Doutrina iria ter. Por isso, seu esforço, seu amor, suas lutas.

O homem culto compreendeu que se o Espiritismo, embora devesse se dirigir ao povo, não tivesse uma base sólida no meio da intelectualidade de então, feneceria por falta de quem levasse adiante as ideias, ampliando conceitos, ampliando racio cínios.

Irmãos, estamos associados a vocês, junto ao coração de todos, na prece que dirigimos ao Senhor da Vida, pela experiência já milenar deste espírito de escol.

Esta Casa não poderia ter melhor símbolo, sem desmerecer a ninguém, do que o deste símbolo, para nós de honradez, de amor, de trabalho. E hoje, em que vocês pensando nele, raciocinam em torno de sua obra.

Gostaríamos de lembrar, sem exceção, que todos tentem viver, ainda que por momentos, a experiência límpida, austera e segura, confortadora de nosso amado irmão. No trabalho, na clareza de viver, na honradez, enfim, em tudo ele assume para nós uma posição também ímpar.

Louvemos a Deus pela oportunidade do seu retorno à Terra na instrução, no trabalho, nas lutas.

Abençoados sejam todos vocês!

Fiquem todos na Doutrina Espírita, com o Evangelho e com o Bem, caminhem em busca da elevação.

Um irmão, um amigo, um companheiro, um admirador.



Do livro: Focos de Luz.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...