quarta-feira, 13 de junho de 2018

A Justiça de Deus

A Justiça de Deus
A Justiça de Deus
Muitas vezes o homem indaga como pode acontecer uma provação, atingindo um ser, uma família, uma coletividade. Outras vezes, a indagação é dirigida a nós como se fosse um verdadeiro ato de reclamar diante de um acontecimento que perturba, fere e emociona. Os homens ainda nos perguntam: “Como podem acontecer certos fatos, se eles são capazes de perturbar a vida de muitos outros?” E há também os que dizem: “Como se entrega, inerme, à luta ou ao sofrimento o coração que é tão bom, tão hábil em raciocínio, tão capaz de superar suas próprias dificuldades?”

Para essas indagações, única é a resposta: a justiça de Deus. Com efeito, a justiça de Deus deseja para todos os seus fi lhos a recuperação, a redenção, o reequilíbrio. Muitos choram e sofrem, outros não chegam a chorar nem a sofrer para corrigirem-se, para reequilibrarem-se; passam por uma primeira fase do processo de recuperação, de reeducação, tomam contato com a Lei. Mas chega o dia em que o homem já está preparado para demonstrar que aprendeu, que está apto a passar pelas mesmas experiências por que fez outros passarem. Então a Lei se cumpre... natural, enérgica, embora amorosa, mas natural e enérgica.


E assim vemos criaturas que atingiram outras criaturas, destruindo-lhes órgãos determinados do corpo, desencarnarem de modo aparentemente estranho, sofrido, sendo atingidos nos mesmos órgãos que atingiram. Alguns, que dissiparam a existência em longas noites de aventuras ou tertúlias que a nada levaram, consagrando o princípio da inércia ou do desperdício, reencarnam trazendo formas de doenças capazes de fazer com que se esgotem suas energias em curto prazo, em curto espaço de tempo tornando-se, assim, aparentemente, sofredores, quando, na verdade, apenas resgatam o que lhes estava assinalado no corpo físico e no corpo espiritual.

Por outro lado, observamos os grandes vencedores; os que, embora as dificuldades do corpo e as lutas do mundo, atravessam os anos em paz de consciência, em serviço, espalham alegria ou seriedade, mas espalhando autoridade por onde estejam, mostrando tão somente que tais espíritos são vitoriosos.

Aqueles que passam por duras provações, de coração tranquilo, de coração feliz mostram que as provações que passam por eles não o atingem, porque já são vitoriosos na luta contra o mal.

Vivendo as experiências de cada dia, saibamos reconhecer na Lei de Deus, a lei verdadeira e única que há de conduzir o homem e reger suas provações, sem a dureza da legislação terrena, que ainda não se pauta no amor da legislação divina. Com Deus, os assuntos são tratados com vigor, sem excluir a tolerância e a bondade; com amor, sem excluir a autoridade, o respeito e a forma enérgica de se conduzir a lei.

Diante da dor que vemos passar, indaguemos a nós mesmos em que caso estaremos, em que artigo da Lei de Deus estaremos incluídos.

Que Deus nos ajude, nos abençoe, protegendo, fortalecendo, trazendo muito sossego e muita paz para todos!



Autor: Hermann
Do livro: Palavras do Coração, vol. 1.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...