segunda-feira, 13 de junho de 2011

Indulgência e amor

A indulgência é comportamento pouco usual entre os homens.

Indulgência e amor
Embora sendo mais fácil compreender do que censurar, prefere-se a acusação rigorosa à tolerância fraternal, estabelecendo-se área de animosidade no relacionamento social, perfeitamente evitáveis.

Ainda sofrendo as contingências do primarismo agressivo que teima em viger nas atitudes do cotidiano, o homem derrapa na censura hostil e na dureza de julgamento, em referência às faltas do próximo, como se não as tivesse
em idênticas circunstâncias.

Vezes outras, porque lhe são familiares as imperfeições, identifica-as noutrem, arremetendo contra as mesmas, em mecanismos de fuga a respeito da fragilidade pessoal e desforçando-se dos seus fracassos na debilidade do próximo, que lhe é intolerável.



Quanto mais severo é o intolerante, no exame das limitações e fracassos de outrem, mais atormentado e fraco ele se sente, disfarçando tal situação com a catilinária agressiva, através da qual se refugia e compraz.

A indulgência faz muita falta aos homens, e a sua ausência na ação responde por muitos males que afligem o mundo.

A indulgência propicia ao equivocado oportunidade para refazer a experiência, não se sentindo rechaçado ou simplesmente posto a margem.

Dá-lhe também ensejo de avaliar o erro, motivando-o a uma reformulação de conceitos sobre a vida, portanto auxiliando-o a agir com retidão.

Valoriza-o e aproxima-o daquele a quem magoou, permitindo-he a reabilitação

Indulgência é ato de amor, que dignifica quem a oferece e aquele que a recebe.

Tu, no entanto, que conheces Jesus, vai além.

Sê indulgente para com aquele que te fere e, conhecedor que és do significado da vida, proporciona-lhe algum bem

Não somente deves esquecer a ofensa, como também contribuir para o crescimento moral do ofensor.

Substituindo o ódio e a mágoa pelo amor, ensina através da bondade a lição da fraternidade que ajuda e socorre

Da indulgência todos necessitam. Ela ampara os fortes quando caem, e anima os fracos que, sem a sua força, jamais se ergueriam(...)

Indulgência e amor são os termos elevados da caridade em sua mais alta expressão


Autor: Joanna de Ângelis
Do livro: Luz da esperança

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...