quinta-feira, 27 de abril de 2017

A Paz é o Caminho Natural

A Paz é o Caminho Natural
A Paz é o Caminho Natural
“‘Amai-vos uns aos outros’, e então, ao receberdes um golpe motivado pelo ódio, retribuireis com um sorriso, e ao insulto, com o perdão.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. XII, item 12. CELD.)


Pela graça infinita de Deus, paz!

Balthazar, pela graça de Deus.

No estudo do duelo, não nos esqueçamos do esforço pela paz.

Quase sempre respondemos às ofensas com o sentimento do orgulho ou, quando não somos envolvidos diretamente com esse ato, arvoramo-nos em apoiar esse ou aquele companheiro, como se devêssemos agir de modo insensato. Sim, porque é insensatez aprovar qualquer tipo de duelo.

A paz é o caminho natural que se apresenta ao homem moderno. Foi-se o tempo em que os homens deveriam ou poderiam julgar suas questões à custa da força bruta. Hoje em dia, requer-se outro gênero de atitude para que se resolvam os problemas.

domingo, 23 de abril de 2017

A Vida Moral

A Vida Moral
A Vida Moral
As doutrinas do nada fazem dessa vida um impasse e chegam, logicamente, ao sensualismo e à desordem. As religiões, fazendo da existência uma obra de salvação pessoal, muito problemática, consideram-na de um ponto de vista egoísta e acanhado.

Com a filosofia dos espíritos, esse ponto de vista muda, a perspectiva se alarga. O que devemos procurar, não é mais a felicidade terrestre —, a felicidade daqui é rara e precária, — é um melhoramento contínuo; e o meio de realizá-la é a observação da moral sob todas as suas formas.

Com um tal ideal, uma sociedade é indestrutível; desafia todas as vicissitudes, todos os acontecimentos. Cresce na infelicidade, encontra na adversidade os meios de se elevar acima de si mesma. Despojada de ideal, embalada pelos sofismas dos sensualistas, uma sociedade só pode corromperse e enfraquecer-se; sua fé no progresso, na justiça, apaga-se com sua virilidade; ela não é senão um corpo sem alma e torna-se, fatalmente, a presa dos seus inimigos.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Sintonia com o Bem

Sintonia com o Bem
Sintonia com o Bem
É sabido por todos os espíritas que mediunidade pressupõe intercâmbio, ligação com as forças do Bem. Entretanto, há de se pensar naquelas outras forças que igualmente procuram comunicar-se, sem que para isso estejam ligadas ao bem.

São elas: as forças da revolta, que reclamam de tudo e de todas as coisas; as forças do desequilíbrio, que tentam minar o trabalho daqueles que se dedicam ao bem, e que igualmente tentam destruir edifícios solidamente estruturados; as da inércia, que tentam adormecer os trabalhadores da caridade; as forças do mal, que pretendem ocupar o lugar que Jesus já conquistou nos corações humanos, forças que ainda, infelizmente para o homem da Terra, pululam em torno da humanidade e que não podem encontrar espaço junto aos encarnados para se manifestar.

E quando é que elas não vão encontrar esse espaço? Justamente quando todos os dedicados servidores da Luz souberem espalhar luz, disciplina, equilíbrio, pacificação e todas as formas superiores de vida.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Sinceridade

Sinceridade
Sinceridade
“Aliás, não é bom atacar, muito bruscamente, os preconceitos; este seria o meio de não ser ouvido; eis por que os Espíritos falam, frequentemente, no sentido da opinião daqueles que os ouvem, a fim de conduzir, pouco a pouco, à verdade. Adaptam sua linguagem às pessoas, como tu mesmo o fazes, se fores um orador, mais ou menos, hábil (...).” (O Livro dos Médiuns. 2a parte, cap. XXVII, item 301 (3a) CELD.



Em nome da verdade não apliques a palavra contundente sobre a fraqueza daqueles que caminham desequilibrados ao teu lado.

A pretexto de servir à causa do Bem não derrames espinhos pela senda onde segue teu próximo, tentando, dessa forma, ser coerente com as próprias convicções.

Falando em nome do ideal que esposas, evita a exposição petulante dos conhecimentos que um dia te conferiram; apresenta-os aos ouvintes com a simplicidade que agrada e sem a pretensão de emitires o último conceito.

sábado, 15 de abril de 2017

Sirvamos em Paz

Sirvamos em Paz
Sirvamos em Paz
“Não estejais inquietos por coisa alguma...” – Paulo. (FILIPENSES, 4:6.)



Quase que em toda a parte encontramos pessoas agoniadas, sem motivo, ou exaustas, sem razão aparente.

Transitam nos consultórios médicos, recorrem a casas religiosas, suplicando prodígios, isolam-se na inutilidade, choram de tédio. Confessam desconhecer a causa dos males que as assoberbam; clamam, infundadamente, contra o meio em que vivem.

É que, via de regra, ao invés de situarem a mente no caminho natural da evolução, atiram-na aos despenhadeiros da margem.

Que a Terra hospeda multidões de companheiros endividados, tanto quanto nós mesmos, todos sabemos... A imprensa vulgar talha colunas e colunas dedicadas à tragédia, certas publicações cultivam o hábito de instilar a delinquência, conflitos explodem insuflando a rebeldia dessa ou daquela camada social, profetas do pessimismo adiantam escuras previsões...

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Comunicações

Comunicações
Comunicações
“Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus.” – (João, 4:1.)



Os novos discípulos do Evangelho, em seus agrupamentos de intercâmbio com o mundo espiritual, quase sempre manifestam ansiedade em estabelecer claras e perfeitas comunicações com o Além.

Se muitas vezes aparecem fracassos, nesse particular, se as experimentações são falhas de êxito, é que, na maioria dos casos, o indagador obedece muito mais ao egoísmo próprio que ao imperativo edificante.

O propósito de exclusividade, nesse sentido, abre larga porta ao engano. Através dela, malfeitores com instrumentos nocivos podem penetrar o templo, de vez que o aprendiz cerrou os olhos ao horizonte das verdades eternas.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Tesouros Ocultos

Tesouros Ocultos
Tesouros Ocultos
Ainda existe quem se dirija aos companheiros desencarnados perguntando por tesouros ocultos.

Tais consulentes, guardando imaginação doentia, mentalizam recipientes encravados no subsolo ou no corpo de lodosas paredes, a vazarem moedas e preciosidades que lhes atendam aos pruridos de usura.

E martelam a mediunidade inexperiente e pedem sonhos reveladores...

Mas os amigos espirituais, realmente esclarecidos, tudo fazem para que os irmãos da escola física não encontrem semelhantes bombas douradas que, provavelmente, lhes explodiriam nas mãos, em forma de crime.

*

Entretanto, cada criatura humana surge do berço para descobrir os talentos que traz, independentemente da fortuna terrestre, a fim de ajudar aos outros, valorizando a si mesma.

A mulher e o homem aproveitam o amor que dimana gratuitamente de Deus e erguem o santuário do lar, em que se escondem imperecíveis tesouros da alma.

domingo, 9 de abril de 2017

Exaltando o Livro dos Espíritos

Exaltando o Livro dos Espíritos
Exaltando o Livro dos Espíritos
“A moral dos espíritos superiores se resume, como a do Cristo, nesta máxima evangélica: Agir para com os outros como quereríamos que os outros agissem para conosco; isto é, fazer o bem.” (Allan Kardec. O Livro dos Espíritos. CELD, Introdução VI.)


Que o amor único de Deus inspire todas as almas para o bem!

Todos nós que professamos a Doutrina Espírita encontramos em O Livro dos Espíritos as noções básicas da filosofia que rege o concerto de pensamentos direcionados para a crença na sobrevivência da alma e, igualmente, na imortalidade do espírito através dos milênios, acreditando num começo simples, num caminho do meio, com o objetivo de chegarmos ao pináculo. Também guardamos no coração a crença no Deus que há de ser o Pai nosso em todas as ocasiões.

Compreendendo a excelência dessa Doutrina, lutaremos por ela o quanto nos for possível; pela sua divulgação, mostrando a todos aqueles que o desejarem a excelência de tais conceitos, e buscaremos a renovação do nosso próprio ser, incentivando a de outros na busca da felicidade, do equilíbrio humano e da fé.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...