sábado, 23 de junho de 2018

Os Espíritos Inferiores

Os Espíritos Inferiores
Os Espíritos Inferiores
Pungente é a desolação do avarento que vê dispersar-se o ouro e os bens acumulados pelos seus desvelos. A esses permanece preso, apesar de tudo, atormentado por uma terrível ansiedade, entregue a transportes de fúria indescritível.

Digna, também, de piedade é a situação dos poderosos orgulhosos, daqueles que abusaram de sua fortuna e de seus títulos, pensando apenas na glória e no bem-estar, desprezando os pequenos, oprimindo os fracos. Para eles, não há mais aduladores servis, servidores diligentes, nem moradas, nem roupas suntuosas. Despojados de tudo o que fazia sua grandeza terrestre, a solidão e a nudez os aguardam no Espaço.

Mais assustadora ainda é a condição dos espíritos cruéis e rapaces, criminosos de toda espécie, daqueles que fizeram correr o sangue, ou esmagaram sob os pés, a justiça. As lamentações, as maldições de suas vítimas ressoam aos seus ouvidos durante um tempo que lhes parece a eternidade. Sombras irônicas e ameaçadoras os envolvem, os perseguem sem descanso. Não há para eles refúgio profundo demais, escondido demais, e é em vão que procuram o repouso e o esquecimento. A entrada num caminho escuro, a miséria, o rebaixamento, a escravidão podem somente atenuar seus males.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Aflições

Aflições
Aflições
Bendize a dificuldade e a incompreensão, no caminho por onde jornadeias com outras almas.

Aflige-se a avezita na casca estreita do ovo que a gerou para defrontar horizontes infinitos.

Aflige-se o embrião humilde na semente vencida para agigantar-se na superfície da terra.

Aflige-se o filete de água, esguichando pela frincha da rocha para correr na várzea ampla.

Aflige-se o botão de rosa dobrado sobre si mesmo, desejando arrebentar-se em perfume para espalhar-se na amplidão.

Aflige-se a lagarta imobilizada na histólise para que a borboleta colorida flutue na leve manhã primaveril.

Aflige-se a alma no casulo da carne para alçar-se aos horizontes da vida imperecível.

No entanto, é necessário examinar em profundidade a própria aflição.

Há aflição que traduz vida e elevação.

Aflição para partir os elos que atam o espírito ao crime, ensejando liberdade.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Médiuns e Obsessão

Médiuns e Obsessão
Médiuns e Obsessão
Entre diversas passagens evangélicas, existem duas em “Atos dos Apóstolos” sobre as quais, de quando em vez, deveríamos meditar, vacinando-nos contra o assédio das ideias obsessivas no que tange aos nossos próprios valores diante da Vida.

A primeira está inserida no cap. 10, versículos 25 e 26, quando Pedro encontra-se com Cornélio em Cesareia: “Aconteceu que, indo Pedro a entrar, lhe saiu Cornélio ao encontro e, prostrando-se-Ihe aos
pés, o adorou.

Mas Pedro o levantou, dizendo: Ergue-te, que eu também sou homem.”

A segunda passagem referida envolve Paulo e Barnabé, na cidade de Listra, conforme pode-se ler no cap. 14, versículos 11 e seguintes: “Quando as multidões viram o que Paulo fizera, gritaram em língua licaônica, dizendo: Os deuses, em forma de homens, baixaram até nós.

A Barnabé chamavam Júpiter, e a Paulo, Mercúrio, porque era este o principal portador da palavra.

domingo, 17 de junho de 2018

Interdependência

Interdependência
Interdependência
Basta breve reflexão para esquecermos humildemente qualquer propósito de destaque pessoal na construção do bem.

As Leis Divinas constituem a base dos deveres e direitos de todos, na estrutura do Universo, e decerto que para imunizarmo-nos contra os desvarios do orgulho, quanto mais evoluímos nos setores da inteligência, mais somos compelidos a depender da seara dos outros, com a obrigação de servir na esfera de ação a que fomos chamados.

Enquanto o homem primitivo conquista a subsistência de arco e flecha, pressupõe-se o senhor da taba e da terra, conquanto, por instinto religioso, se incline a adorar e temer as forças que não entende.

À medida, porém, que se reencarna através dos milênios para recapitulação das próprias experiências, começa a entrar no regime de interdependência, a fim de aprender que a vida é patrimônio comum, no qual, cada ser humano atinge merecimento conforme a colaboração que venha a prestar.

Beneficiamo-nos em leis que não promulgamos, adquirimos cultura em livros que não escrevemos, viajamos em veículos que não construímos, comemos pão que não amassamos.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Léon Denis e a Mediunidade

Léon Denis e a Mediunidade
Léon Denis e a Mediunidade
Quase todos os grandes missionários, os reformadores, os fundadores de religião eram médiuns poderosos, em comunhão constante com os invisíveis, dos quais recebiam as inspirações fecundas. Sua vida inteira é um testemunho da existência do mundo dos espíritos e das suas relações com a Humanidade terrestre.

Assim se explicam — pondo de lado os exageros e as lendas — numerosos fatos históricos qualificados como sobrenaturais e maravilhosos. A existência do perispírito e das leis da mediunidade nos indicam com a ajuda de meios que se exerce, através das idades, a ação dos espíritos sobre os homens. A Egéria de Numa, os sonhos de Cipião, os gênios familiares de Sócrates, de Tasso, de Jerônimo Cardan, as vozes de Joana d’Arc, os inspirados dos Cévennes, a vidente de Prévorst, mil outros fatos análogos, considerados à luz do Espiritualismo moderno, perdem, dali em diante, aos olhos do pensador, todo caráter sobrenatural ou misterioso.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...