sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Caridade Anônima


Caridade anônima
Formam legiões em lamentável agrupamento de dor. 

Agregam-se por afinidades dos malogros e das emoções. 

Perturbam-se, engalfinhados em ruidosas pelejas, e perturbam. 

Experimentam as vicissitudes dos fracassos e reboleiam-se na angústia desarvorada, adensando-se em nuvem fantástica de desespero. 

Ensimesmados, alguns parecem hipnotizados na autopunição, azorragados pelo remorso tardio ou pela  flagelação do arrependimento inoperante. 

São os irmãos desencarnados, que atravessaram os umbrais do túmulo, ignorando as realidades da vida espiritual ou que malsinaram as moedas da fé em loucura inominável. 


Acende a claridade do amor na mente, quando penses neles. 

Concede os teus espaços mentais de oração, quando nas abençoadas tarefas socorristas das sessões mediúnicas. 

Muitos deles se beneficiariam grandemente se lhes oferecesses ensejo de ouvir pelos teus órgãos físicos as dissertações ou orientações evangélicas, que antes preferiram ignorar ou desconsideravam. 

Não nos compete examinar o merecimento ou não da aflição que a si se impuseram e agora carpem. Estamos convidados a ajudá-los em nome de Jesus. 

A paz deles representa paz em nós mesmos e a renovação deles significa serenidade nossa. 

Quando no santuário de intercâmbio espiritual, instado à terapêutica iluminativa, não te escuses, pretextando cansaço ou preocupação incontrolável. 

Jesus é o Modelo: não se cansava jamais. 

Mesmo que te sintas alquebrado ou de ânimo vencido, confronta as tuas horas com as deles, e, sem mais justificativas, que são perfeitamente dispensáveis, sintoniza no bem em prol da recuperação desses nossos irmãos necessitados. 

Talvez ignores que grande número dessas entidades infelizes é comensal do teu lar, companhia das tuas horas, coautor das tuas enfermidades. O comércio com os desencarnados é variado e intenso graças ao panorama de sintonia mental que vige em ambos os planos da vida. 

Reserva, pois, diariamente, um quartel de hora para leitura, meditação e prece, instruindo e evangelizando o teu espírito, e prepara-te para o socorro aos que te anteciparam na viagem de volta. 

O cristão-espírita é o garimpeiro que distingue na ganga da vida as gemas da verdade, embora ainda não fulgentes. 

A exemplo de Jesus, esclarece e socorre os esfaimados da verdade ou do pão, ao teu lado, no domicílio carnal, mas não olvides esses olhos e ouvidos que perderam a faculdade de registrar imagens luminosas e sonoras, mergulhados como se encontram nas tristes evocações da insânia em que se consumiram.

Faze deles teus irmãos e amigos para a eternidade. 

Num dia, embora longe, abrindo os olhos para outros painéis, após as pelejas árduas e árduas vitórias, defrontarás aqueles aos quais ajudaste, acercando-se de ti, risonhos e felizes, reconhecidos e amorosos, a saudar- te nessa abençoada madrugada perene e sem sombras da vida imortal.  


Autora: Joanna de Ângelis
Do Livro: Lampadário Espírita

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...