sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Aparições e materializações de espíritos


Aparições e materializações de espíritos

Aparições e materializações de espíritos

Os fenômenos de aparição e de materialização são daqueles que impressionam mais vivamente os experimentadores. Nas manifestações de que nos ocupamos, precedentemente, o espírito age por meio de objetos materiais ou de organismos estranhos. Aqui, vamos vê- lo diretamente em ação. Sabendo que, dentre as provas da sobrevivência, nenhuma há mais poderosa do que a reaparição sob a forma humana, a de sua vida terrestre, o espírito vai trabalhar para reconstituir essa forma, por meio de elementos fluídicos e da força vital emprestada dos assistentes. 

Em algumas sessões, na presença de médiuns dotados de uma força psíquica considerável, veem-se formar mãos, rostos, bustos e até corpos inteiros, que têm todas as aparências da vida: calor, movimento, tangibilidade. Essas mãos vos tocam, vos acariciam ou vos batem; deslocam objetos e fazem ressoar instrumentos musicais; esses rostos se animam e falam; esses corpos se deslocam, circulam entre os assistentes. Podeis segurá-los, apalpá- los; depois, eles se dissipam, de repente, passando do estado sólido ao estado fluídico, após uma duração efêmera(...) 


Sabemos que o fluido universal ou fluido cósmico etéreo representa o estado mais simples da matéria; sua sutileza é tamanha que escapa a qualquer análise. E, entretanto, desse  fluido, procedem, por condensações graduais, todos os corpos sólidos e pesados que constituem a base da matéria terrestre. Esses corpos não são tão densos, tão compactos quanto parecem. Eles são atravessados com a maior facilidade pelos fluidos, tanto quanto pelos próprios espíritos. Estes, pela concentração de suas vontades, auxiliados pela força psíquica, podem desagregá-los, dissociar-lhes os elementos, restituí-los ao estado fluídico, depois, deslocá-los e reconstituí-los ao seu primeiro estado. Assim se explica o fenômeno dos transportes. 

Percorrendo seus graus sucessivos de rarefação, a matéria passa do sólido ao líquido, depois ao estado gasoso, finalmente, ao estado fluídico. Os corpos mais duros podem, assim, retornar ao estado invisível e etéreo. No sentido inverso, o fluido mais sutil pode se modificar, gradualmente, em corpo opaco e tangível. Toda a Natureza nos mostra o encadeamento das transformações que conduzem a matéria, do éter mais puro ao estado físico mais grosseiro. 



Autor: Léon Denis
Do Livro: No Invisível.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...