segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Tranfiguração

Tranfiguração
Tranfiguração
A transfiguração mediúnica pode ser parcial ou total, dependendo da maleabilidade do médium e da força de indução hipnótica do espírito manifestante.

Com a preocupação de não nos perdermos em detalhes e sem a pretensão de esgotarmos o assunto, dizemos ainda que, em alguns casos, o fenômeno de transfiguração está associado ao de materialização. 

Explicamo-nos. O espírito, principalmente sobre a face do médium, pode opor uma “máscara ectoplásmica”
que lhe retrate o próprio rosto e, sobre o órgão fonador do medianeiro, pode construir uma “garganta ectoplásmica” que lhe permita comunicar-se quase que por voz direta.

Os médiuns psicofônicos não devem se preocupar com o fenômeno da transfiguração mediúnica; ele não é indício de faculdade mais desenvolvida — tanto é assim que os mais patentes casos de transfiguração são encontrados nos processos obsessivos de longo curso, quando a vontade dos obsidiados encontra-se completamente à mercê da vontade dos espíritos obsessores.

A transfiguração mediúnica deve ocorrer naturalmente, e ocorre quando tem uma razão de ser para que ocorra.

A mudança de timbre de voz numa comunicação é até um fato corriqueiro, embora, a rigor, isto não tenha
uma importância maior do que a mensagem em si; é como a mudança de caligrafia numa comunicação escrita que não deve significar mais do que o seu conteúdo, porque é através do seu pensamento que identificamos a natureza do espírito comunicante.

Timbres de voz e tipos de letra podem ser imitados, mas o plágio das ideias e, sobretudo, das emoções, é muito mais difícil.

Transfigurar as próprias almas para o Bem e para a Verdade, eis o fenômeno sublime a que todos os medianeiros devem se consagrar à luz do Evangelho, redivivo na Doutrina Espírita.



Autor: Odilon Fernandes
Do Livro: Mediunidade e Evangelho

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...