sábado, 31 de março de 2018

Fluidos

Fluidos
Fluidos
A grande querela secular que dividia as escolas filosóficas reduz-se, então, a uma questão de palavras. Nas experiências em que Sir W. Crookes tomou a iniciativa, a matéria se funde, o átomo se dissipa; no seu lugar, aparece a energia. A substância é um Proteu que reveste mil formas inesperadas. Os gases, que se considerava como permanentes, se liquefazem; o ar se decompõe em elementos bem mais numerosos do que a Ciência de ontem ensinava; a radioatividade, isto é, a aptidão dos corpos para se desagregar emitindo eflúvios análogos aos raios catódicos, revela-se como um fato universal. Toda uma revolução efetua-se nos domínios da Física e da Química. Por toda a parte, em torno de nós, vemos abrirem-se fontes de energia, de imensos reservatórios de forças, bem superiores em poder a tudo o que se conhecia até aqui. A Ciência se encaminha pouco a pouco para a grande síntese unitária, que é a lei fundamental da Natureza. Suas mais recentes descobertas têm um alcance incalculável, neste sentido é que elas demonstram experimentalmente o grande princípio constitutivo do Universo: unidade das forças, unidade das leis. O encadeamento prodigioso das forças e dos seres precisa-se e se completa. Constata-se que existe uma continuidade absoluta, não somente entre todos os estados da matéria, mais ainda entre estes e os diferentes estados da força.


A energia parece ser a substância única, universal. No estado compacto, ela reveste as aparências que nomeamos matéria sólida, líquida, gasosa; sob uma forma mais sutil, ela constitui os fenômenos de luz, calor, eletricidade, magnetismo, afinidade química. Estudando a ação da vontade sobre os eflúvios e as irradiações, poderíamos, talvez, entrever o ponto, o cume onde a força se intelectualiza, onde a lei se manifesta, onde o Pensamento se transforma em vida.

Pois tudo se religa e se encadeia no Universo. Tudo está regulado através das leis de quantidade, de medida, de harmonia. As manifestações mais elevadas da energia se confinam na inteligência. A força se torna atração; a atração se torna amor. Tudo se resume num poder único e primordial, motor eterno e universal, ao qual se deu nomes diversos e que não é outra coisa senão o Pensamento, a Vontade Divina. Suas vibrações animam o Infinito. Todos os seres, todos os mundos banhados no oceano das irradiações que emanam do inesgotável foco.

Consciente de sua ignorância e de sua fraqueza, o homem fica confuso diante dessa unidade formidável que abarca todas as coisas e traz consigo a vida das Humanidades. Mas, ao mesmo tempo, o estudo do Universo abre-lhe recursos profundos de prazeres e emoções. Apesar da nossa imperfeição intelectual, o pouco que entrevemos das leis universais nos encanta, pois, no Poder ordenador das leis e dos mundos, pressentimos Deus e, daí, adquirimos a certeza de que o Bem, o Belo, a Harmonia perfeita reinam acima de tudo.



Autor: Léon Denis
Do livro: O Grande Enigma.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...