domingo, 29 de dezembro de 2013

O Senhor da Vida

O Senhor da Vida
O Senhor da Vida
“Jesus foi a encarnação dessas virtudes que a antiguidade materialista desprezava. Ele veio no momento em que a sociedade romana naufragava nos desmandos da corrupção; Ele veio fazer brilhar, no meio da Humanidade oprimida, os triunfos do sacrifício e da renúncia à sensualidade. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. IX, item 8.)



Eis que o Senhor Jesus se apresenta para todos nós como o Mestre do amparo, do conforto espiritual, do equilíbrio!

Normalmente, quando pensamos em Jesus, identificamos os sentimentos da pacificação e do amor, parecendo ser o Mestre pessoa diáfana e capaz de agir de maneira enérgica, ou mesmo aquele homem curador que somente via necessitados à sua volta. Entretanto, o Senhor foi muito mais que isso, e seu trabalho educativo sobreviveu tanto quanto as suas práticas generosas, características da sua bondade.

Seus ensinamentos permaneceram educando, orientando, mostrando a milhões de almas o caminho a ser seguido. Sua determinação foi e continua sendo tão grande, que ele prometeu trazer-nos alguma forma de orientação nova, que veio a ser, justamente, a Doutrina Espírita.


É um Mestre, portanto, ativo; tão ativo que prometeu ficar conosco na fase de transição complexa do ser humano, até que atingíssemos a maturidade para compreender, definitivamente, os seus ensinos.

Jesus, sendo um ser extremamente dinâmico, atuante, forte e poderoso, pode ser, igualmente, classificado,
ao lado daqueles valores a que me referi anteriormente, como um espírito de ação: ação no bem, na cura, na desobsessão, no ensino; ação estimulante, que fez com que milhares de homens dedicados, junto à sua doutrina, implantassem obras de amor ao próximo, através dos dois milênios, e até mesmo mantivessem acesa a chama do seu ideal de amor pela Humanidade.

O “Consolador prometido” nada mais é, pois, do que o resultado da ação de um ser de bondade, de amor, mas de muita virilidade também. Este, o Mestre que estamos lembrando nos estudos do capítulo do Evangelho de hoje: o homem de bem, mas o homem enérgico, diligente e sempre à testa daqueles acontecimentos maiores; o ser que providencia recursos para que a inquietação, o mal, o erro não se propaguem.

Saudemos a esse Senhor da vida, como aquele Senhor de todos nós; aquele que almejamos ter; aquele Senhor que, afinal de contas, é o condutor de nossos destinos imortais!


Autor: Balthazar
Do Livro: Pela Graça Infinita de Deus – vol. 1.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...