segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

No Espiritismo com Jesus

No Espiritismo com Jesus
No Espiritismo com Jesus
Se acordamos para as responsabilidades que o Espiritismo com Jesus nos impõe, é imperioso não esquecer que ainda nos achamos na Terra encarnados e desencarnados, em vastíssima escola de preparação ante a vida maior.

Em seus variados departamentos, encontramos ainda a ignorância gerando a penúria, a penúria criando necessidades, as necessidades formando problemas e os problemas plasmando o desespero nos corações.

Desse estranho conjunto de forças negativas, nascem a superstição e o fetichismo, perturbando o caminho das criaturas que, apressadas e invigilantes, muitas vezes, pretendem colher a felicidade sem plantá-la e exigem a paz sem qualquer esforço para se libertarem dos prejuízos a que se acolhem.

Todavia, quanto mais se alonguem a crendice e o fanatismo, operando o extravio das consciências, mais amplo é o trabalho de cooperação que o mundo nos reclama, porquanto o cristianismo renascente na construção espírita de hoje é a vitória das forças da luz sobre as energias ocultas da sombra.


Quando surpreendidos por qualquer espécie de culto primitivista, em desacordo com o Evangelho de Jesus, nesse ou naquele círculo religioso, procuremos auxiliar sem alarde as vítimas da fascinação, mergulhadas por enquanto em manifestações impróprias ou inferiores da fé, acentuando a própria diligência no estudo e dilatando a própria capacidade no exercício do bem.

E, se defrontados por resíduos e objetos de semelhantes manifestações, façamos silêncio no coração e sigamos adiante, porque se não é justo recolher o foco infeccioso da via pública para trazê-lo ao próprio lar e se não é crível que o homem sensato instale deliberadamente um vespeiro na própria moradia, claro está que o respeito e a higiene, a prudência e a caridade nos induzem a fugir de qualquer desafio espetaculoso aos elementos enfermiços da sombra, que apenas solicitam bondade e tolerância, compreensão e esquecimento.

Acentuemos, na própria vida, a disposição de aprender e auxiliar!

Que a ignorância encontre conosco a bênção do alfabeto.

Que a penúria receba de nossas mãos o óbulo de carinho a que faz jus.

Que as necessidades humanas nos recolham o concurso fraterno e que os problemas do mundo nos identifiquem na posição de aprendizes de Jesus, sempre dispostos a amparar e socorrer, edificar e instruir.

Que o amor do Cristo se irradie conosco, em nós e por nós, porque amar e servir constituem a missão do bem diante do mal, sem que mudança alguma consiga alterar semelhante imperativo da vida.



Autor: Emmanuel
Do Livro: Trilha de Luz.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...