segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Os missionários

Os missionários
Os missionários
Vou dizer-vos algumas palavras para vos fazer compreender o objetivo que se propõem os missionários deixando a pátria e a família para irem evangelizar as populações ignorantes ou ferozes, posto que irmãos, mas inclinados ao mal e não conhecendo o bem; ou para irem pregar a mortificação, a confiança em Deus, a prece, a fé, a resignação nas dores, na caridade, a esperança de uma vida melhor depois do arrependimento; dizeis, não está aí o Espiritismo? Sim, almas de elite que sempre servistes a Deus ou observastes fielmente as suas leis; que amais e socorreis o vosso próximo, vós sois espíritas. Mas não conheceis essa palavra de criação nova, e aí vedes um perigo. Pois bem! Uma vez que a palavra vos assusta, não a pronunciamos mais diante de vós, até que vós mesmos venhais pedir esse nome, que resume a existência de espíritos e suas manifestações: o Espiritismo.

Irmãos amados, que são os missionários junto das nações na infância? Espíritos em missão que são enviados por Deus, nosso pai, para esclarecerem pobres espíritos mais ignorantes: para lhes ensinar a esperar nele, a conhecê-lo, a amá-lo, a ser bons esposos, bons pais, bons para seus semelhantes; para lhes dar, tanto quanto comporte sua a natureza inculta, a ideia do bem e do belo. Ora, vós, que sois tão fiéis pela vossa inteligência, sabei que partistes de tão baixo, e que tendes ainda muito a fazer para chegar ao mais alto grau. Eu vos pergunto, meus amigos, sem as missões e os missionários, em que se tornariam essas pobres pessoas
abandonadas às suas paixões e à sua natureza selvagem? Mas dizeis: Sois vós que, a exemplo desses homens devotados, ireis pregar o Evangelho a esses irmãos rudes? Não, não sois vós: tendes uma família, amigos, uma posição que não podeis abandonar; não, não sois vós que amais as doçuras da lareira doméstica; não, não sois vós, que tendes a fortuna, honras, todas as felicidades, enfim, que satisfazem a vossa vaidade e o vosso egoísmo; não, não sois vós. São necessários homens que deixem o teto paterno a pátria com alegria; homens que façam pouco caso da vida, porque frequentemente ela é cortada pelo ferro e o fogo; são necessários homens bem convencidos de que, se vão trabalharem na vinha do Senhor e irrigarem com o seu sangue, encontrarão no mais alto a recompensa de tantos sacrifícios; dizei, são esses materialistas que seriam capazes de um tal devotamento, aqueles que não esperam mais nada depois desta vida? Crede-me, são espíritos enviados por Deus. Não riais, pois, daquilo que chamais sua tolice, porque são instruídos, e, expondo sua vida para esclarecer seus irmãos ignorantes, têm direito ao vosso respeito e à vossa simpatia. Sim, são espíritos encarnados que têm a missão perigosa de irem esclarecer essas inteligências incultas, como outros espíritos mais elevados têm por missão vos fazer progredir, vós mesmos.

O que acabamos de fazer, meus amigos, é do Espiritismo; não vos assusteis, pois, com esta palavra; não riais mais dela, sobretudo, porque é o símbolo da lei universal que rege os seres vivos da criação.



Autor: Adolfo, bispo de Alger.
Do Livro: Revista Espírita, março 1861

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...