domingo, 28 de junho de 2015

Integrados a idéia de Deus

Integrados a idéia de Deus
Integrados a idéia de Deus
“Deus não quer abrir-lhes os olhos à força, já que eles gostam de tê-los fechados.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. VII, item 9, CELD.)

Pela graça infinita de Deus, paz!

Balthazar, pela graça de Deus.

Todas as vezes que ouvirmos falar de humildade, de aprendizado cristão, procuremos o nosso próprio espírito imortal, ser que evolui a pouco e pouco, através dos anos, dos séculos, dos milênios, em busca da felicidade que é estar integrado à ideia de Deus.

Como espíritos, caminhamos lentamente, a princípio, aprendendo a viver para as necessidades individuais; depois, instituímos a família e a sociedade, caminhando na direção da visão coletiva do ser e, finalmente, mais adiantados, buscamos a ideia suprema, que é Deus. É nesse momento que dizemos que estamos
integrados à ideia de Deus.

Na fase inicial de nosso progresso individualista, somos seres que pensam somente em suas necessidades, incapazes de pensar nos problemas alheios; inquietos, quando perdemos alguma coisa; inseguros, quando não nos sentimos apoiados; perplexos, diante dos graves problemas evolutivos, quando defrontados por qualquer coisa que nos atinja de modo forte, em olhando à nossa volta, nada vemos, e por isso dizemos, reclamando, que alguma coisa não está certa.

Esse momento tão individualista precede um outro grande momento, que é quando o ser começa a observar as necessidades coletivas, dedicando-se ao lar, a um filho, a uma sociedade, a um grupo, saindo de si mesmo e já pensando de um modo mais equitativo, de um modo mais coerente, de um modo que podemos classificar, sem sombra de dúvida, de generalista. Ainda assim, o homem é um ser voltado para si mesmo. Somente quando ele se enxerga como parte integrante da sociedade espiritual, somente quando se vê como filho de Deus, e quando se vê assim, vê a todos os outros, somente quando sente necessidade de distribuir amor, somente quando é capaz de dizer que está buscando as ideias da espiritualidade maior, somente nessa hora é que ele começa a integrar a sociedade espiritual.

Quando já vislumbramos esse objetivo, deixamos de lado a aparente sabedoria e buscamos estar integrados com Deus, através das coisas mais simples, embora em si mesmas mais fortes e poderosas.

Quando Jesus disse que dava graças a Deus por haver ocultado todas aquelas coisas aos doutos, aos chamados sábios, ele quis dizer que agradecia a Deus por já falar àqueles que estavam integrados à ideia de um Deus superior. Que aqueles que pensavam somente em si, na sua sociedade, na sua família certamente estavam a caminho do progresso, mas não era para eles que tinha vindo. Jesus tinha vindo falar àqueles que fossem capazes de pensar em termos espirituais.

Desse modo, os que estamos aqui estudando paulatinamente as ideias da Doutrina Espírita, e incorporando as ideias de Deus em nós, estamos, sem sombra de dúvida, dando os passos decisivos, para nos integrarmos à ideia de Deus. E que o possamos fazer com calma, com progresso seguro, com progresso determinado, ao ponto de podermos dizer que estamos realmente a caminho do Pai!

Que Deus a todos nós abençoe e ajude!

Balthazar, pela graça infinita de Deus.


Autor: Balthazar
Do livro: Pela Graça Infinita de Deus, vol. 3.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...