quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Humildade Sempre

Humildade Sempre
Humildade Sempre
A aprendizagem deve ser constante em todos aqueles que, de algum modo, administram as sociedades, o conhecimento ou o lar terrestre.

Cada vez que o homem se deparar com a própria natureza, observará que em si existem sementes de autoritarismo, que precisarão

ser combatidas com o mesmo esforço com que se combatem outros defeitos que se possua.

O sentimento do poder, o sentimento do comando, faz com que as criaturas criem uma atmosfera extremamente difícil em torno de si, impedindo o seu progresso espontâneo. E como é que se dá o progresso espontâneo nos seres?

Se todos observarem, verão que o ser humano passa por três fases distintas: a fase primeira, em que ele aprende; a fase segunda, em que convive com outras forças, e a fase terceira, onde exercita todo o seu poder, sua potência de espírito. Essas seriam, pois, as fases da vida que corresponderiam, respectivamente, à infância, à maturidade, à velhice.


Na fase de aprendizado, nossa posição é de humildade. Adequamo-nos ao conhecimento que nos é trazido, ouvindo com atenção aos que nos ensinam. A partir de um certo momento, consentimos, podemos assim nos expressar, em conviver com aqueles que

igualmente dominam. Essa é uma fase perigosa, porque dá ensejo às lutas, às tentativas de afirmação. As forças com que convive-mos são facilmente testadas por outras que desejam ver de quem é a liderança. É uma das fases mais complexas do homem e, se ele não tiver humildade para compreender e aprender, certamente começará aí o seu calvário, ditado pelo autoritarismo.

Na idade amadurecida, quando todos, por força do progresso do indivíduo, reconhecem nele autoridade máxima ou poder de comando ou autoridade de liderança ou, ainda, a simples posse

de um bem, nesse momento, o ser, sentindo-se capacitado a comandar, pode deixar-se envolver pelo sentimento do mando, do

poder, e eis que se turbará, se não houver, para conter suas forças, a humildade necessária ao progresso de cada um.

Nessa fase, também, o homem é testado não diante da coletividade, mas diante da própria consciência: como ele se sente perante qualquer criatura ou qualquer situação. É nesse momento que Deus testa o indivíduo.

Aprendamos com a Doutrina Espírita e com a lição de hoje que o caminho ideal para todos os aprendizes do bem é o sentimento da humildade.

Que Deus a todos nós ajude e abençoe!

Balthazar, pela graça infinita de Deus.

Paz!

Balthazar




Autor: Balthazaar
Do livro: Pela Graça Infinita de Deus, vol. 2.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...