terça-feira, 22 de maio de 2018

O Homem de Bem


O Homem de Bem

O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e caridade, na sua maior pureza. Se interroga a sua consciência sobre os próprios atos, pergunta se não violou essa lei, se não cometeu o mal, se fez todo o bem que podia, se não deixou escapar voluntariamente uma ocasião de ser útil, se ninguém tem do que se queixar dele, enfim, se fez aos outros aquilo que queria que os outros fizessem por ele.

Tem fé em Deus, na sua bondade, na sua justiça e na sua sabedoria; sabe que nada acontece sem a sua permissão, e submete-se em todas as coisas à sua vontade.


Vivemos tempo confusos na valorização e evolução da moralidade, os espaços das mídias sociais tornaram-se palco de discussões vazias e algumas permeadas por sentimentos contraditórios, sem aprofundamento de conteúdo num grande arrastamento, no qual o certo e o errado confundem-se, diante de argumentos pseudo intelectualizado não auxiliando aqueles que procuram o bom caminho.

Quando a espiritualidade maior, na codificação trazida por Allan Kardec  oferece a humanidade esse profundo texto contido no livro “ o Evangelho Segundo o Espiritismo,  no capítulo 17 -  Item 03, intitulado “ O Homem de Bem”,  não listou-se ali, apenas as atitudes que cada ser humano precisa adotar para si, porém propõem que todos reflitamos acerca  das relações  que estabelecemos uns com os outros, e, principalmente, se estamos praticando a máxima do  cristo: “Amai-vos uns aos outros”.  Nesse processo de auto observação,  abre-se   belíssima oportunidade de crescimento afetivo e moral do espírito.

Quando reencarnamos, estamos refazendo um caminho percorrido, tantas e tantas vezes, até que saiamos do automatismo das ações, para atitudes que transmitam o nosso real pensamento, ou seja, por havermos renascido em épocas distintas de leis e costumes, a memória ainda guarda ou está impregnada dos valores de outros tempos, de outras culturas, principalmente se o que foi sentido teve impacto emocional bastante significativo ( de dor ou alegria, de autoridade ou submissão, etc.)  na vida do espírito. Uma das grandes benfeitoras da humanidade, Joanna de Angelis, no livro Plenitude afirma que “A vida são os acontecimentos de cada instante a se encadearem incessantemente. E cada ser vive com a consciência que estrutura” , assim sendo, podemos compreender que para sermos pessoas com virtudes conquistadas, temos que primeiro educar o sentimento que habita o nosso íntimo, pois a virtude somente existe a partir do conhecimento da lei do amor,  e o conhecimento surge com a busca  e o amadurecimento de cada um, afinal o homem vê a lei segundo seu aprendizado, de acordo com  Léon Denis no livro “ O Problema do Ser e do Destino”.

Tenhamos força e felicidade no silêncio do dia, ou no aconchego da noite, de indagarmos: Minhas ações estão de comum acordo com meu pensamento? Os sentimentos que nutro, alimentam ou envenenam minha alma ? O que esta impedindo a minha vontade de mudar?
O tempo na terra promove conquistas na elevação espiritual, então aceitemos o convite do mestre Jesus que ecoa em nossos corações por tanto tempo:  sejamos luz! Sejamos todos PESSOAS DO BEM.´



Autora: Dirce Oliveira

Referências:

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...