terça-feira, 8 de junho de 2010

Serão Consolados

Nem todos aflitos, porém...

Muitos que sofrem engendraram as aflições de que se tornaram vítimas inermes. Carregam o sofrimento aspirando e exalando o gás da ira do mal dissimulada com que mais se intoxicam e mais envenenam em derredor.

Pessoas aflitas esmagam-se nas paredes estreitas da usura, de que se não libertam; estertoram nas garras do ciúme que as enceguecem; desagregam-se sob os camartelos da insatisfação face aos prazeres disolventes; transitam em sofreguidão contínua ao estridor da revolta que as agoniam; turbam-se nas densas nuvens da desesperança; tombam-se, desfalecidas, nas urdiduras do desânimo.

Toda aflição se fixa em raízes que devem ser extirpadas...

Aflições de vários portes conduzem ao crime de muitas denominações.

Somente a aflição resignada e confiante, de pronto receberá consolo.

A chuva que reverdece a terra crestada, em tempestade, aniquila colheitas, despedaça jardins, carcome o solo...

O repouso sensato refaz as forças; prolongado, anestesia os estímulos, entorpecendo a vontade e a ação.

Aflitos que, não obstante, em lágrimas, atendem alheio pranto; apesar de perseguidos, não se fazem perseguidores; embora sob injustiça, confiam na probidade; sem embargo, enfermos, estimam a saúde do próximo; todavia, incompreendidos, desculpam e sustentam a coragem do bem; no entanto, esfaimado, alevantam o ânimo onde se encontram; mesmo em quase alucinação, tal a monta de problemas e dificuldades, recorrem à oração refazente e à meditação renovadora - serão consolados!

Nem todos os aflitos, porém, lograrão consolação.

Há os que impõem tais ou quais medidas a fim de saciar-se; que esperam este ou aquele resultado com que pensam comprazer-se; que situam esse ou outro fator como o único pelo qual se apaziguariam; uma ou duas únicas opções para fruírem felicidade, e, entretanto, são recursos da ilicitude, quando não dão caprichos que estão sendo disciplinados pela própria aflição...

Transladarão oportunidades, adiarão benesses, sofrerão...

Indispensável valorizar a aflição, sopesando-a com discernimento, de modo a conduzí-la às fontes inexauríveis do Evangelho em clima de serenidade, respeito e amor. Ali, todas as dores se acalmam, todas as lágrimas se enxugam, todos os aflitos são consolados.

Autor: Joanna de Ângelis
Do livro: Celeiro de Bênçãos

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...