segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

É preciso reconhecer


É Preciso Reconhecer
É preciso, pois, reconhecer que o Universo não é tal como parecia aos nossos fracos sentidos. O mundo físico não constitui senão uma ínfima parte dele. Fora do círculo de nossas percepções, existe uma infinidade
de forças e de formas sutis que a Ciência ignorou até aqui. O domínio do invisível é muito mais vasto e mais rico que o do mundo visível.

Em sua análise dos elementos que constituem o Universo, a Ciência errou durante séculos, e agora é-lhe necessário destruir o que penosamente edificou. O dogma científico da unidade irredutível do átomo, desmoronando-se, arrasta com ele todas as teorias materialistas. A existência dos  fluidos, afirmada pelos
espíritas há cinquenta anos — o que lhes valeu tantas zombarias da parte dos sábios oficiais — essa existência, a experiência o estabelece, de agora em diante, de uma maneira rigorosa.



Os seres vivos, eles também, emitem irradiações de naturezas diferentes. Eflúvios humanos, variando de forma e de intensidade sob a ação da vontade, impregnam as chapas com sua luz misteriosa. Esses influxos, ora nervosos, ora psíquicos, conhecidos há muito tempo pelos magnetizadores e pelos espíritas, mas negados pela Ciência, os fisiologistas, hoje, constatam a realidade deles de maneira irrecusável. Daí, encontrou-se o princípio da telepatia. As volições do pensamento, as projeções da vontade se transmitem através do Espaço, como as vibrações do som e as ondulações da luz, e vão impregnar organismos simpáticos ao do manifestante. As almas afins pelo pensamento e pelo sentimento podem trocar seus eflúvios, a qualquer distância, da mesma forma que os astros trocam, através dos abismos do Espaço, seus raios trêmulos. Descobrimos ainda aí o segredo das simpatias ardentes ou das repulsões invencíveis que certos homens experimentam uns pelos
outros, à primeira vista.


Autor: Léon Denis
Do livro: O grande enigma

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...