domingo, 21 de abril de 2013

Psicografia

Psicografia
Psicografia

“Se não é dado ao médium ser exclusivamente mecânico, todas as tentativas para obter esse resultado serão infrutíferas, e estaria errado em se crer deserdado por isso; se não está dotado senão da mediunidade intuitiva, é preciso que com ela se contente, e não deixará de propiciar-lhe grandes serviços, se sabe aproveitá-la, e se não a repele.” (O Livro dos Médiuns – Segunda Parte – Cap. XVII) 


A mediunidade mecânica, ou inconsciente, é rara. 

De maneira geral, os médiuns de psicografia têm consciência do que escrevem. 

A mediunidade consciente confunde-se com a intuição. 

A falta de compreensão da mediunidade leva muita gente a desistir do seu exercício(...)

Se pudéssemos colocar a mediunidade numa equação matemática, teríamos: Pensamento do espírito manifestante + Pensamento do médium = Mensagem. Evidentemente que tanto no pensamento do espírito manifestante, quanto no pensamento do médium, existem um sem-número de outros pensamentos interferindo. Um livro ou um autor que o médium tenha lido pode interferir no contexto da mensagem que recebe. Um diálogo que tenha tido, uma conversa familiar, uma preocupação com determinado assunto e assim por diante. Esperar do médium que ele se subtraia totalmente do meio em que vive é esperar o impossível! 


O médium psicógrafo, consciente ou semiconsciente, não deve permitir que a dúvida lhe prejudique o trabalho. Decida entre querer ser médium ou não ser. É desnecessário que se atormente a vida inteira, como existem médiuns que vivem mergulhados numa eterna luta contra si mesmos. Se não confiam na própria mediunidade, podem trabalhar noutro campo; a seara é imensa e podem dar-se ao luxo de escolher... 

Agora, o médium disciplinado precisa ter controle sobre as comunicações que recebe. Pior do que descrer é acreditar cegamente em tudo! Falar, no caso da psicofonia, ou escrever, no caso da psicografia, o primeiro pensamento que aparece, mesmo por mais absurdo e incoerente que seja, é colaborar com a obsessão. Não se tome a palavra de Kardec no sentido literal. 

Por isso, o médium que se preza deve estudar a Doutrina para aprender a discernir. 



Autor: Odilon Fernandes
Do Livro: Mediunidade e Doutrina.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...