sexta-feira, 7 de março de 2014

Médiuns Interesseiros

Médiuns Interesseiros
Médiuns Interesseiros
Os médiuns interesseiros não são unicamente aqueles que poderiam exigir uma retribuição fixa; o interesse não se traduz sempre pela esperança de um ganho material, mas também pela intenção ambiciosa de toda natureza sobre as quais se pode apoiar esperanças pessoais; aí está ainda um flanco que sabem muito bem agarrar os espíritos zombeteiros e o qual aproveitam com uma habilidade, uma astúcia verdadeiramente notável, embalando com enganosas ilusões aqueles que assim se colocam sob sua dependência. Em resumo, a mediunidade é uma faculdade dada para o bem e os bons espíritos se afastam de quem quer que pretenda fazer deles estribo para alcançar o que quer que seja, que não responda aos objetivos da Providência.” — (O Livro dos Médiuns — Segunda Parte — cap. XVIII)


Infelizmente, não são tão raros assim os médiuns que se utilizam de suas faculdades mediúnicas para escusos
interesses.

Esses medianeiros, em conluio com os espíritos levianos, insinuam-se junto às pessoas das quais esperam obter favores...

Criam, propositadamente, uma aura de misticismo em torno de si, tentando impressionar com a sua postura as mentes invigilantes que, pouco a pouco, caem, sem perceber, em suas armadilhas...

Esses médiuns, quando inclinam-se afetivamente para determinada pessoa, evocam as supostas vidas passadas que viveram em comum, falam de afinidades inexistentes, dizem-se almas gêmeas em inesperado reencontro...


Valendo-se da invigilância desses infelizes companheiros da mediunidade, os espíritos entretecem terríveis tramas obsessivas atingindo, não raro, famílias inteiras...

Desmantelam grupos...

Provocam escândalos...

Desertam de seus deveres...

Abalam a fé dos que estão ensaiando os seus primeiros passos na Doutrina...

É importante que as pessoas, antes de darem crédito a esse ou aquele médium, procurem observar o seu grau de desinteresse pessoal.

Os que buscam promover-se, ou remunerar-se de alguma forma, não podem estar agindo com sinceridade.

Quem cede pouco, acaba cedendo muito.

O médium que se habitua a aceitar presentes, corrompe-se.

Os verdadeiros amigos de um médium, são exatamente aqueles que permanecem ao seu lado, estendendo-lhes o coração no apoio de que ele necessita para continuar na tarefa. Nada além disto.

Os médiuns que aceitam muitas festas e homenagens para si, terminam se iludindo, esquecidos de que trazem ainda os próprios pés no chão...

Pés no chão! — eis o que um médium consciente de suas obrigações precisa ter.

Exemplos de medianeiros assim, embora raros, não faltam aos homens no mundo... Nunca procuraram badalações, nem querem ser nada além do que sempre foram — médiuns do Cristo na revivescência do Evangelho!...



Autor: Odilon Fernandes
Do Livro: Mediunidade e Caminho

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...