domingo, 1 de fevereiro de 2015

Amor, eis a meta

Amor, eis a meta
Amor, eis a meta
“A Natureza deu ao homem a necessidade de amar e de ser amado. Um dos maiores gozos que lhe são concedidos na Terra é o de encontrar corações que com o seu simpatizem.” (Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, perg. 938a.)


Que o amor único de Deus inspire todas as almas para o bem!

Dor, sofrimento, angústia, decepção, destruição de afetos. Eis o que a humanidade, ao longo dos milênios, vem sofrendo continuamente, como que num processo de desgaste da personalidade agressiva que ainda possuímos.

Em realidade, todas as vezes que sofremos as chamadas decepções, as dores morais que atingem o nosso ser, isso ocorre justamente porque não somos ainda pedra burilada. Somos aquelas criaturas que estão descobrindo, a pouco e pouco, o valor da amizade, do amor, do sentimento, e porque ainda não fomos capazes de chegar às fases da elevação espiritual onde as dores não mais nos atinjam, onde as acusações não mais cheguem até nós, é que sofremos. Daí, a bondade de Deus nos ter dado, como meta por atingir, o amor.

É interessante notar que Jesus, o Grande Mestre da divulgação da Lei de Amor, além de demonstrar
seu amor por todos nós, não nos disse que nossa maior conquista, ou seja, aquela que nos traria o equilíbrio seria, por exemplo, o conhecimento; nem mesmo disse- nos assim: “Trabalhe a vontade e vocês atingirão a felicidade”! Não, Jesus disse-nos, claramente, que somente o amor seria capaz de trazer o equilíbrio e a felicidade para os homens. Porque o amor protege, encouraça a criatura contra o assédio da ignorância, do mal, da maledicência... O amor faz com que o ser se coloque tão alto, do ponto de vista espiritual, que nada o atinge, nenhum mal lhe chega. O amor faz com que tenhamos um sentimento de com preensão; sentimento esse que quanto mais se amplia, mais demonstra que o sentimento do amor também está crescendo em nós.

Por isso, meus irmãos, na noite de hoje, ao falarmos ao coração de cada um, baseado no tema de estudo da noite, queremos lembrar: Desenvolvam, na medida do possível, na quantidade possível, o sentimento do amor. Se não puderem desenvolvê-lo em grandes quantidades, façam-no em pequenas doses. Procurem colocar dentro de seus corações os que sofrem; principalmente a esses, procurem dar amor, para que haja renovação nos vossos espíritos.

E que o Amor Único de Deus, ao nos inspirar a alma para o bem, nos ensine a caminhar, seguramente, na direção dos planos mais elevados!

Que Deus ajude a todos nós e nos abençoe! Que o amor tão grande, única força capaz de superar as aflições, os males, os ataques recebidos, possa dar sinal de sua passagem dentro de nós, dizendo-nos assim: Segue amando, hoje e sempre; ama continuamente! Deus nos ajudará nas horas de dificuldades.

Graças a Deus, meus irmãos!

Que Jesus Cristo inspire a todos, ilumine a todos, e os que aqui estão buscando os recursos da prece para que as suas almas os recebam neste instante, como receberam ainda há pouco, através do passe, e mais ainda através do estudo de O Livro dos Espíritos.

Graças a Deus, Senhor!

Muita paz!




Autor: Antonio de Aquino
Do livro: Inspirações do Amor Único de Deus, vol. 1.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...