quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Somos presas fáceis do egoísmo

Somos presas fáceis do egoísmo
Somos presas fáceis do egoísmo

O que é ser egoísta?

Quando dirigimos nosso olhar primeiramente para nós, sendo o grande alvo o nosso próprio interesse.

Quando precisamos decidir algo e pensamos se fazemos isto ou aquilo, avaliando o que poderemos ganhar adiante.

Se o indivíduo é egoísta não pensa nos resultados que colherá no futuro.

Ele não pensa no futuro! Ele quer agora.

E é por causa do egoísmo que a maioria de nós não está acostumada a fazer avaliação do próprio comportamento.


Quantas dificuldades em nos conhecermos, não é verdade?

A espiritualidade amiga nos diz em “O Evangelho segundo o Espiritismo”, que o egoísmo é a negação da caridade e, por isso, o maior obstáculo ao progresso moral.

Sendo ele a negação da caridade e o causador de todas as misérias do mundo terreno, a felicidade dos homens será possível quando for eliminado o egoísmo do coração de cada um.

Para combater o egoísmo que há em nós, é preciso muita coragem para sairmos da zona de conforto, que nos mantém ali, acomodados, sem pensar nas mudanças que nos cabe.

E para ter felicidade, os homens precisam desse embate.

E como podemos aplicar o combate ao egoísmo?

Há a necessidade de nos reformarmos intimamente, nos tornando mais sensíveis aos sofrimentos do próximo.

            Vamos raciocinar:

Em que se apóia o egoísmo e por que ele impede o progresso moral?
Ele tem como base o sentimento de interesse pessoal e impede que no coração do homem se desenvolvam outros sentimentos mais nobres, como a fraternidade e a caridade, entravando, assim, o progresso moral.

O homem egoísta é, muitas vezes, levado a sê-lo porque pensa apenas em si próprio, porque não exercita a fraternidade, não se ocupando com os interesses dos outros.

Como promoveremos a destruição do egoísmo em nós?

Dando exemplo, como exemplificou Jesus: praticando a caridade desinteressada, sem nos importarmos com aqueles que nos tratam com ingratidão; tornando-nos, enfim, mais sensíveis às necessidades e aos sofrimentos alheios.

Compreendendo o efeito danoso do egoísmo, iniciamos o nosso processo de reforma íntima, colaborando eficazmente para a melhoria da humanidade

Emmanuel no livro: Escrínio de luz nos orienta: a ajudarmos a quem nos calunia, através do silêncio e do bom exemplo; a ampararmos aquele que nos persegue, orando por ele; a sermos úteis àqueles que não nos compreende, socorrendo-os em suas necessidades.

Enfim é esquecendo de nossos próprios interesses que seremos úteis servidores na seara do Cristo.

Ah a renúncia! Como é difícil empreender atitude desse nível

Mas para que o ideal tenha seu lugar, necessário se faz colocar a personalidade em segundo lugar.

Sem queixas, nem ciúmes, nem melindres, oferecendo o que de melhor já conquistamos, são os passos ao adiantamento moral.

Deixar de ser egoísta é aprender ser grato. Quando temos gratidão pelo que recebemos diariamente, por exemplo, estamos nos colocando em segundo plano, porque o direcionamento vem do Alto, e focaremos no bem e no belo.


(...)Se o egoísta contemplasse a solidão infernal que o aguarda, nunca se apartaria da prática infatigável da fraternidade e da cooperação.”
Emmanuel - Livro Fonte Viva.



 Autora: Magdala Alves

Livro: Estudo baseado no Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XI - Item 12.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...