sábado, 19 de março de 2016

A Substância Única, os Fluidos

A Substância Única, os Fluidos
A Substância Única, os Fluidos
Os fenômenos espíritas de todas as ordens se explicam pelo fato de que um gasto considerável e constante de energia pode se produzir sem desperdício aparente de matéria. Os aportes, a desagregação e a reconstituição espontânea de objetos em quartos fechados; os casos de levitação, a passagem dos espíritos através dos corpos sólidos, suas aparições e suas materializações, que provocaram tanto espanto, suscitaram tantas zombarias, tudo isso torna fácil admitir e compreender, desde que se conheça o jogo das forças e dos elementos em ação nesses fenômenos. Essa dissociação da matéria, da qual fala o Sr. G. Le Bon, e que o homem é ainda impotente para produzir, os espíritos delas possuem há muito tempo as regras e as leis.

A aplicação dos raios X na fotografia não explica também o fenômeno da dupla vista dos médiuns e o da fotografia espírita? Com efeito, se as chapas podem ser influenciadas por raios obscuros, através das irradiações de matéria imponderável que penetram os corpos opacos, com mais forte razão os fluidos quintessenciados de que se compõe o envoltório dos espíritos podem, em certas condições, impressionar a retina dos videntes, aparelho mais delicado e mais complexo do que a placa de vidro.

É assim que o Espiritismo se fortifica cada dia pela complementação de argumentos extraídos das descobertas da Ciência, e que terminarão por abalar os céticos mais endurecidos.



Autor: Léon Denis
Do livro: O Grande Enigma.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...