domingo, 19 de junho de 2016

Léon Denis e a Mediunidade

Léon Denis e a Mediubidade
Léon Denis e a Mediunidade
Com frequência, espíritos conhecidos e amados pelos assistentes vêm afirmar sua presença e sua imortalidade, prodigalizar àqueles que deixaram para trás no caminho árduo da vida, as exortações e os encorajamentos, mostrar a todos o alvo supremo. Quem pintará as efusões, os transportes, as lágrimas daqueles, cujo pai, mãe, uma mulher amada vêm, do seio dos Espaços, consolar, reconfortar
com sua afeição e seus conselhos?

Alguns médiuns facilitam, com sua presença, o fenômeno das aparições, ou melhor, segundo uma expressão consagrada, materializações de espíritos. Esses espíritos tomam emprestado dos perispíritos desses médiuns uma quantidade sufi ciente de fluido, assimilam-no pela vontade, condensam seu próprio envoltório até torná-lo visível e, às vezes, tangível.

Alguns médiuns servem também de intermediários aos espíritos para transmitir aos doentes e aos enfermos, eflúvios magnéticos que sustentam e, às vezes, curam esses infelizes. Esta é uma das formas mais belas e mais úteis da mediunidade.


Muitas sensações inexplicadas provêm de uma ação oculta dos espíritos. Por exemplo, os pressentimentos, que nos advertem de uma infelicidade, da perda de um ser amado, são causados pelas correntes fluídicas que os desencarnados projetam em direção àqueles que lhes são caros. O organismo ressente esses eflúvios, mas, raramente, o pensamento do homem procura analisá-los. Há, entretanto, no estudo e na prática das faculdades mediúnicas, uma fonte de ensinos elevados.

Todavia, ver-se-iam nelas, por engano, privilégios ou favores. Cada um de nós, como dissemos, traz em si os rudimentos de uma mediunidade que se pode desenvolver pelo exercício. A vontade, nisso como em tantas coisas, representa um papel considerável. As aptidões de alguns médiuns célebres explicam-se pela natureza particularmente flexível de seu organismo fluídico, que se presta, admiravelmente, à ação dos espíritos.



Autor: Léon Denis
Do livro: Depois da Morte.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...