quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Futuro

Futuro
Futuro
Se pesquisas praticamente o futuro, contempla a faixa de terra que o abandono confiou à secura.

Se não lhe estendes braços amigos, podes perfeitamente vaticinar-lhe o amanhã, porque o amanhã, para todo solo relegado ao desleixo, será sempre desolação.

Mas se lhe buscas a água viva no próprio seio, removendo areia e detrito, ninguém consegue prever a excelência do oásis que se erguerá do deserto.

Em verdade, toda gente avalia, com segurança, o futuro do mal, quando o mal é conservado; entretanto, pessoa alguma conseguirá predizer toda a glória do bem, quando o bem aparece.

Transplantemos a imagem para o campo da vida.

Se cultivas a intolerância, não pre cisas perguntar quanto à colheita de aversões que obterás fatalmente.

Se estimas o abuso, não precisas recorrer aos decifradores da sorte para conhecer o desequilíbrio a que te projetas.

Se foges ao dever que te cabe, não precisas inquirir adivinhadores para saber quanto doem as consequências da deserção.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Percepção nos animais

Percepção nos animais
Percepção nos animais
“Os irracionais não possuem faculdades mediúnicas propriamente ditas. Contudo, têm percepções psíquicas embrionárias, condizentes ao seu estado evolutivo, através das quais podem indiciar as entidades deliberadamente perturbadoras, com fins inferiores, para estabelecer a perplexidade naqueles que os acompanham, em determinadas circunstâncias.”
Emmanuel


“A alma dorme na pedra, sonha na planta, move-se no animal e desperta no homem.”

O provérbio sugere-nos observações em torno do tema “percepções nos animais”.

Têm alma, sim, os animais.

Naturalmente, sem os múltiplos atributos da alma humana, enriquecida com as experiências milenarmente adquiridas, no curso de sucessivas reencarnações.

A sensibilidade dos animais provém da existência de uma alma rudimentar.

Eles têm sentimentos, análogos aos dos seres humanos, têm percepções extrafísicas.

A exemplo de nós outros, nascem, alimentam-se, dormem, procriam, amam, agridem, morrem.

Afetividade e carinho, ternura e solidariedade são expressões muito comuns entre os nossos irmãos

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Enganos ante os espíritos

Enganos ante os espíritos
Enganos ante os espíritos
Julgar que todos os espíritos benevolentes que se comunicam na Terra são instrumentos imaculados. Desencarnação é vida em outra face.

Considerar que eles veiculam princípios de virtude, como se fossem anjos flanando nos céus, dando conselhos que nada lhes custa. O professor reconhece-se impelido a disciplinas mais austeras que as dos alunos para ser digno da missão de ensinar.

Chamá-los, a propósito de bagatelas. Criaturas relativamente educadas sabem respeitar os horários alheios.

Solicitar-lhes concurso em problemas estritamente materiais. Nenhum de nós, conquanto satisfeitos de ser
úteis, furtará obrigações dos outros, das quais eles necessitam para a segurança da própria felicidade.

Censurá-los por não estarem à nossa inteira disposição. Amigos sinceros e conscientes não escravizam amigos.

Complicar as consultas que lhes queiramos fazer, com a desculpa de lhes testar a existência. Só os corações irresponsáveis intentariam transformar os entes amados em ledores de buena-dicha.

Exigir-lhes a verdade total. Todos nós cultivamos o tato psicológico no trato recíproco e não ignoramos que
certas revelações funcionam nos mecanismos da alma, assim como determinados medicamentos que somente beneficiam os mecanismos do corpo em dose adequada.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Na Lei do Bem

Na Lei do Bem
Na Lei do Bem
Perguntas, muitas vezes, de alma inquieta, que vem a ser o bem, tão diversas surgem as interpretações, ao redor do bem, por toda parte.

Entendamos, contudo, que o bem genuíno será sempre o bem que possamos prestar na obra do bem aos outros.

Colheste pedradas, na construção a que te dedicas; no entanto, compadeces- te da mão que te ultraja, interpretando- lhe os golpes por sintomas de enfermidade.

Ouviste frases insultuosas, em torno do teu nome, e registras a agressão por loucura daqueles que as pronunciam, sem alterar-te no auxílio a eles.

Sofreste assalto, na tarefa que realizas, mas não te revoltas contra a injúria dos que te invadem a seara de esforço nobre, trabalhando sem mágoa, no clima da tolerância.

Podes falar, com razão, a palavra acusadora contra o adversário que te feriu; contudo, reconheces a ofensa por crise de ignorância e, nem de leve, te afastas da desculpa irrestrita.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Em favor do Mundo

Em favor do Mundo
Em favor do Mundo
Antes que o olhar se nos fixe nos mundos brilhantes, que evoluem mais alto no campo da universidade divina, lembra a Terra amorosa que te acolhe e bendiz.

Repara a gleba em que te encontras.

Espinheiros e flores se misturam.

Pedra e lama impedem a sementeira digna em vastas regiões que se fazem inóspitas.

Vermes e plantas venenosas perturbam grandes linhas da paisagem.

Esta é a casa de trabalho em que o Senhor te situou.

Faze alguma coisa por melhorá-la, embelezá-la ou engrandecê-la.

Auxilia ao trabalhador na conservação do bom ânimo.

Socorre o enfermo, a fim de que se restaure.

Ampara as sementes do bem.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Elo de luz

Elo de luz
Elo de luz
“Mas, exercer a mediunidade como força ativa no ministério do bem é fruto da experiência de quantos lhe esposam a obrigação, por senda de disciplina e trabalho, consagrando-se, dia a dia, a estudar e servir com ela.”      
 Emmanuel


O intercâmbio mediúnico desempenha relevante papel na obra de redenção humana, reformulando a sociedade e iluminando as civilizações.

Elo de luz entre a Terra e o Céu, o mediunismo superior possibilita o encontro, cada vez mais acentuado, do pensamento humano com as esferas invisíveis nobres, de onde se originam as melhores expressões evolutivas.

Sobre a Terra, abençoada oficina de renovação que Nosso Senhor Jesus Cristo nos lega, por santuário de nossas esperanças, descem as vozes do céu, revivendo, docemente, o Pentecostes.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Dupla Vida

Dupla Vida
Dupla Vida
Há em nós uma dupla vida, graças à qual fazemos parte de dois mundos, simultaneamente, em dois planos de existência. Uma tem relação com o tempo e o espaço, tal como os concebemos em nosso meio planetário, pelos sentidos do corpo; é a vida material; a outra, pelos sentidos profundos e as faculdades da alma, liga-nos ao universo espiritual e aos mundos infinitos. No curso de nossa existência terrestre, é sobretudo no estado de sono que estas faculdades podem exercer-se e as potências da alma entrar em vibração. Esta retoma, então, o contato com esse universo invisível, que é sua pátria, da qual a carne a separava; retempera-se no seio das energias eternas, para recomeçar, ao despertar, sua tarefa penosa e obscura.

Durante o sono, a alma pode, conforme as necessidades do momento ou aplicar-se a reparar as perdas vitais, causadas pelo labor cotidiano, e a regenerar o organismo adormecido, infundindo-lhe forças hauridas no mundo cósmico, ou, então, quando esta ação reparadora está concluída, retomar o curso de sua vida superior, planar acima da Natureza, exercer suas faculdades de visão a distância e de penetração das

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Diante de Mundos Novos

Diante de Mundos Novos
Diante de Mundos Novos
Em matéria de mundos a conquistar, não nos esqueçamos de que todos, individualmente, respiramos no mundo que nos é próprio.

Peçamos aos anões docos para que interpretem, de improviso, o pensamento musical de Beethoven; insistamos com os esquimós para que exprimam, sem delonga, a conceituação que possam alinhar sobre o direito romano ou roguemos aos nossos xavantes amigos para que assimilem, de imediato, alguma definição de Spinosa, e, decerto, não exerceríamos senão violência sobre o campo mental em que estagiam, esperando que o tempo lhes ofereça a necessária maturação.

Não nos vale fantasiar incursões demasiado profundas no Espaço Infinito, sem a justa preparação perante a vida que nos espera.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Glândula Pineal - Parte 7

Glândula Pineal - Parte 6

Glândula Pineal - Parte 5

Glândula Pineal - Parte 4

Glândula Pineal - Parte 3

Glândula Pineal - Parte 2

Glândula Pineal - Parte 1

Vamos disponibilizar agora no nosso blog um estudo sobre a Glândula Pineal, novos conceitos e avanço nas pesquisas com o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira.

Este é o primeiro vídeo de um total de sete que você terá a oportunidade de assistir aqui no www.walneisantiago.com.br

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Diante da Terra

Diante da Terra
Diante da Terra
Diante da luta humana, o espírito que amadureceu o raciocínio e despertou o coração, sente-se cada vez mais só, mais desajustado e menos compreendido.

Por vagas crescentes de renovação, gerações diferentes surgem no caminho, impondo-lhe conflitos sentimentais e lutas acerbas.

Estranha sede de harmonia invade-lhe a alma.

Habitualmente, identifica-se por estrangeiro na esfera da própria família.

Ilhado pela corrente escura das desilusões, a se sucederem, ininterruptas, confia-se ao tédio infinito, guardando enrijecido o coração.

Essa, porém, não é a hora da desistência ou do desânimo.

O fruto amadurecido é a riqueza do futuro.

Quem se equilibra no conhecimento é o apoio daquele que oscila na ignorância.

Que será da escola quando o aluno, guindando à condição de mestre, fugir do educandário, a pretexto de não suportar a insipiência e a rudeza dos novos aprendizes? E quem estará assim tão habilitado, perante o Infinito, ao ponto de menoscabar a oportunidade de prosseguir na aquisição da sabedoria?

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Diante da Lei

Diante da Lei
Adicionar legenda
O espírito consciente, criado através dos milênios, nos domínios inferiores da Natureza, chega à condição de humanidade, depois de haver pago os tributos que a evolução lhe reclama.

À vista disso, é natural compreendas que o livre-arbítrio estabelece determinada posição para cada alma, porquanto cada pessoa deve a si mesma a situação em que se coloca.

Possuis o que deste.

Granjearás o que vens dando.

Conheces o que aprendeste.

Saberás o que estudas.

Encontraste o que buscavas.

Acharás o que procuras.

Obtiveste o que pediste.

Alcançarás o que almejas.

És hoje o que fizeste contigo ontem.

Serás amanhã o que fazes contigo hoje.

Chegamos, no dia claro da razão, simples e ignorantes diante do aprimoramento e do progresso, mas com

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Ante os Mundos Superiores

Ante os Mundos Superiores
Ante os Mundos Superiores
Quando nos referirmos aos mundos superiores, recordemos que a Terra, um dia, formará entre eles, por estância divina. Atualmente, no entanto, apesar das magnificências que laureiam a civilização em todos os continentes, não podemos alhear-nos do preço que pagará pela promoção.

Sem dúvida, os campos ideológicos da vida internacional entrarão em conflitos encarniçados pelo domínio. As nuvens de ódio que se avolumam, na psicosfera do planeta, rebentarão em tormentas arrasadoras sobre as comunidades terrestres. Contudo, as vibrações do sofrimento coletivo funcionarão por radioterapia na esfera da alma, sanando a alienação mental dos povos que sustentam as chagas da miséria, em nome da ideia de Deus, e daqueles outros que pretendem extirpá-las, banindo a ideia de Deus das próprias cogitações. Engenhos de extermínio desintegrarão os quistos raciais e as cadeias que amordaçam o pensamento, remediando as agonias econômicas da Humanidade e dissipando as correntes envenenadas do materialismo, a estender-se por afrodisíaco da irresponsabilidade moral.

Enunciando, porém, semelhantes verdades, é forçoso dizer que não somos profetas do belíssimo, nem “cassandras” do terror.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Adoração

Adoração
Adoração
Vejamos a diretriz de Jesus na adoração ao Pai Celestial, para assegurarmos equilíbrio à própria fé.

Não observamos o Mestre extasiado na contemplação expectante, exaltando a grandeza de Deus, através da quietude.

Da manjedoura à cruz, anotamo-lo em ardentes demonstrações de trabalho, exemplificando o ideal dinâmico e a caridade sem lindes.

Manifesta veneração ao supremo Senhor, respeitando as leis estabelecidas, louva-lhe a misericórdia, exercendo a bondade sem limites e permanece em comunhão com Ele, não apenas através da prece meditada no silêncio da Natureza, mas também pelo serviço constante ao próximo, no vasto caminho da multidão, onde se destacam enfermos e dementados, desditosos e aflitos de todas as procedências...

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

A premonição e os pressentimentos

A premonição e os pressentimentos
A premonição e os pressentimentos
A premonição e os pressentimentos são difíceis de explicar do ponto de vista científico. Eles só são explicáveis em alguns casos, quando o acontecimento pressentido tem precedentes, subjetivos ou objetivos. Porém, na maioria dos casos, nada, nos fatos anunciados, se presta à ideia de sucessão ou de encadeamento.

De onde vem o poder de algumas almas de ler o futuro? Questão obscura e profunda, que dá vertigem como o abismo e que não se faz sem perturbação, pois, instintivamente, nós a sentimos quase insolúvel pela nossa fraca ciência.

Como cada mundo que rola no Espaço se comunica, através da noite, com a grande família dos astros pelas leis do magnetismo universal, assim também a alma humana, centelha emanada do foco divino, pode se

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Objetivos da vida

Qual é o objetivo da minha vida?

Haroldo Dutra Dias e outros companheiros, vem trazer para nós algumas reflexões a respeito deste assunto.
Assista este vídeo e pense a respeito.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A lei do progresso

A lei do progresso
A lei do progresso
A lei do progresso não se aplica somente ao homem. Ela é universal. Há, em todos os reinos da Natureza, uma evolução que foi reconhecida pelos pensadores de todos os tempos. Desde a célula verde, desde o vago embrião boiando sobre as águas, através de séries variadas, a cadeia das espécies desenrolou-se até nós.

Nesta cadeia, cada elo representa uma forma de existência que conduz a uma forma superior, a um organismo mais rico, mais bem adaptado às necessidades, às crescentes manifestações da vida. Mas, na escala da evolução, o pensamento, a consciência, a liberdade só aparecem depois de muitos degraus. Na planta, a inteligência dorme; no animal, ela sonha; só no homem, ela desperta, se reconhece, se possui e se torna consciente. A partir de então, o progresso, de certa forma fatal nas formas inferiores da Natureza, só pode ocorrer pela concordância da vontade humana com as leis eternas.

É por esta concordância, por esta união da razão humana à razão divina, que se edificam as obras preparatórias do reino de Deus, isto é, do reino da Sabedoria, da Justiça, da Bondade, do qual todo ser racional e consciente traz em si a intuição.

Assim, o estudo das leis da evolução, longe de invalidar a espiritualidade do homem, vem, ao contrário, dar-lhe uma nova sanção. Ensina-nos como nosso corpo pode derivar de uma forma inferior pela seleção natural, mas nos mostra, também, que possuímos faculdades intelectuais e morais de uma origem diferente e esta origem nós a encontramos no Universo invisível, no mundo sublimedo espírito.


Autor: Léon Denis
Do Livro: O Problema do Ser e do Destino

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

A justiça da Lei

A justiça da Lei
A justiça da Lei
As almas que um dia esqueceram o caminho do bem, que enveredaram pelo caminho do erro, todas alcançarão a Cristo e a Deus.

Não há, na história da Humanidade, nenhum sentimento mais perverso, mais doloroso que o sentimento guerreiro, que destrói, que maltrata, que leva desânimo, que leva fim às sociedades, às cidades, aos homens. Os gênios espirituais que provocam esse sentimento um dia reencarnarão e sofrerão, eles próprios, nos núcleos que destruíram, o resultado de suas ações.

Os espíritos que, encarnados, provocaram morte e dissabor e se aproveitaram da insuficiência de algumas cidades, levando sofrimento e luto, também reencarnarão nessas mesmas cidades ou em outras que passarão por situações semelhantes.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

sábado, 1 de fevereiro de 2014

A consciência

A consciência
A consciência
Acima do nível da consciência normal, fora da personalidade comum, existem, em nós, planos de consciência, camadas, ou zonas, dispostas de tal modo que, em certas condições, podem ser constatadas alternâncias entre estes planos. Veem- se, então, emergir à superfície e manifestar- se, durante um certo tempo, atributos, faculdades que pertencem à consciência profunda; depois, rapidamente desaparecer, retomando seu lugar, novamente mergulhando na sombra e na inação.

Nosso eu comum, superficial, limitado pelo organismo, parece ser somente um fragmento de nosso eu total. Neste, fica registrado todo um mundo de fatos, de conhecimentos, de lembranças, relacionados com o longo passado da alma. Durante a vida normal, todas estas reservas estão ocultas, como que enterradas sob
o envoltório material. Reaparecem no estado de sonambulismo. O comando da vontade, a sugestão as mobilizam. Elas entram em ação e produzem estes estranhos fenômenos que a fisiologia oficial constata, sem poder explicá-los.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...