terça-feira, 15 de maio de 2018

Função Mediúnica

Função Mediúnica
Função Mediúnica
Mediunidade é igual ao trabalho: acessível a todos.

Entretanto, qual ocorre ao trabalho, é forçoso que o servidor dela seja leal ao próprio dever, para que a obra alcance os fins em vista.

O mais humilde dos utensílios tem qualidades polimórficas.

Qualquer médium também é suscetível de ser mobilizado, na produção de fenômenos múltiplos, favorecendo pesquisas e observações, com algum proveito, mas se quisermos rendimento medianímico, seguro e incessante, na composição doutrinária do Espiritismo, cada tarefeiro da mediunidade, embora pronto a colaborar, seja onde for, no levantamento do bem, é convidado logicamente a consagrar-se à própria função, conquanto possua faculdades diversas, amando-a, estudando-a, desenvolvendo-a e praticando-a, no serviço ao próximo, que será sempre serviço a nós mesmos.

domingo, 13 de maio de 2018

Deus e a Razão de Viver

Deus e a Razão de Viver
Deus e a Razão de Viver
Pela graça infinita de Deus, paz! 

Balthazar, pela graça de Deus. 

Conversarmos sobre Deus é o mesmo que meditarmos com bastante profundidade acerca da razão de viver. 

Sendo Pai, Deus não trará para os seus filhos senão o que os mesmos possam suportar. Ao mesmo tempo em que como Pai não trará nada que signifique injustiça ou desarmonia diante da ordem natural das coisas. 

Assim, quando pensarmos em espírito imortal, quando pensarmos nas chamadas penalidades aplicadas àqueles que erram, que fazem errar, ou mesmo àqueles que deliberadamente deixam de progredir ou de ajudar o semelhante, deveremos pensar que Deus, o Pai, corrigirá todas essas situações e melhorará todas essas pessoas, na medida da sua bondade e na medida que seu amor oferece. 

sábado, 12 de maio de 2018

Deus tem um sentido na sua vida?

Deus tem um sentido na sua vida?
Deus tem um sentido na sua vida?
Brincando de Deus...

Um grupo de cientistas estava decidindo qual deles iria encontrar com Deus e dizer que eles não precisavam mais dele. Finalmente um dos cientistas apresentou-se como voluntário e foi dizer a Deus que Ele não era mais necessário...

Assim, ao encontrar Deus, o cientista diz a ele:

- Deus, sabe como é, um punhado de nós tem estado pensando neste assunto e eu vim dizer que, o Senhor não é mais necessário.

Quero dizer, nós temos elaborado grandes teorias e ideias, nós clonamos uma ovelha e logo, logo, iremos clonar humanos.

Como o Senhor pode ver, nós realmente não precisamos do Senhor. Deus balança a cabeça, compreensivamente e diz:

- Bom, sem ressentimentos. Mas, antes, vamos fazer um concurso. O que você acha?

O cientista diz: - Para mim, tudo bem. Que tipo de concurso?

- Um concurso de fazer homem!! - Deus responde.

- Legal! Sem problemas! - Exclama o cientista. Ele rapidamente se adianta pegando um punhado de barro e diz:

- Vamos lá, estou pronto!

E Deus diz:

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Trabalho, Sobriedade, Continência

Trabalho, Sobriedade, Continência
Trabalho, Sobriedade, Continência
A primeira condição para conservar-se a alma livre, sua inteligência sã, sua razão lúcida, é ser sóbrio e casto. Os excessos da mesa perturbam nosso organismo e nossas faculdades; a embriaguez nos faz perder toda dignidade e todo equilíbrio. Seu uso frequente conduz a uma série de doenças, de enfermidades, que nos preparam uma velhice miserável.

Dar ao corpo o que lhe é necessário, a fim de torná-lo um servidor útil e não um tirano: tal é a regra do sábio. Reduzir a soma de suas necessidades materiais, comprimir os sentidos, dominar os apetites vis, é libertar-se do jugo das forças inferiores, é preparar a emancipação do espírito. Ter poucas necessidades é também uma das formas de riqueza.

A sobriedade e a continência caminham juntas. Os prazeres da carne enfraquecem-nos, enervam-nos, desviam-nos do caminho da sabedoria. A volúpia é como um mar onde o homem vê soçobrar todas suas qualidades morais. Desde que a deixamos penetrar em nós, é uma onda que nos invade, nos absorve, e que apaga tudo o que há de luzes, de generosas chamas no nosso ser. Longe de satisfazer-nos, ela apenas atiça nossos desejos. Modesta visitante no início, termina por dominar-nos, por possuir-nos completamente.



Autor: Léon Denis
Do livro: Depois da Morte.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Nascer de Novo

Nascer de Novo
Nascer de Novo
A debilidade moral enlaçada ao pessimismo faz-te considerar que “tudo está acabado”.

Refletes, chegando à conclusão falsa de que “nada podes agora realizar”.

Na amargura que aflora em tua alma turbilhonada, concluis que a “reencarnação está perdida”.

Anelarias por outra oportunidade. supondo haveres fracassado, desastradamente.

O malogro parece-te irreversível e não dispões de outro recurso senão o desaire, ou, então, o desassisamento.

Refaze anotações, reconsidera a posição mental, examina melhor a problemática do insucesso e perceberás que a experiência, normalmente é decorrência natural dos equívocos a que nos permitimos, transformando-se em lições de que nós não podemos esquecer.

Olha em derredor: a tempestade destroçou tudo e o fantasma da desolação domina.

Logo mais, porém, muda o clima, altera-se a paisagem, a vida ressurge.

Mais além a terra está adusta pela inclemência do sol e o antigo campo, o abençoado pomar, o rico jardim se transformaram em deserto crestado, solo infeliz. Modifica-se, no entanto, a condição climática, chuva generosa faz que tudo reverdeça e primavera ditosa restitui a beleza e a vida em toda parte.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Conversando com Jesus

Conversando com Jesus
Conversando com Jesus
Amado Mestre Jesus, já se passaram mais de dois milênios, de tua missão de amor para com teus irmãos menores, mas são muitos ainda os que não despertaram do longo sono da ignorância ou rebeldia das leis do Criador, que tem como causa os desvios milenares. Esqueceram de tuas palavras que são leis divinas e, portanto, eternas e imutáveis. Ainda se preocupam em fazer um chamamento para suas religiões utilizando-se de menosprezo para com outros seguimentos religiosos e por vezes chegando ao extremo de fazerem julgamentos sem sequer se dar ao trabalho de pesquisar com profundidades nos livros que falam a respeito.

“O Espiritismo RESPEITA todas as religiões que se empenham em conduzir os homens à prática do bem”, mas, muitas são as religiões que julgam e desprezam o Espiritismo, agem da mesma forma que fizeram contigo a mais de dois mil anos. - “Muitos deles diziam: Ele tem demônio e enlouqueceu; por que o ouvis?” – “Outros diziam: Este modo de falar não é de endemoninhado; pode, porventura um demônio abrir os olhos aos cegos?” –João, 10:20/21.

“Disse-lhe João: Mestre, vimos um homem que, em teu nome, expelia demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não seguia conosco”. – “Mas Jesus respondeu: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e, logo a seguir, possa falar mal de mim”. – “Pois quem não é contra nós é por nós” - Marcos, 9:38 a 40.

Tentando distorcer a tua Doutrina de amor, o Espiritismo, assim me falaram:

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Tarefa Mediúnica

Tarefa Mediúnica
Tarefa Mediúnica
Mediunidade não é instrumento de mágica, com que os Espíritos Superiores adormeçam a mente dos amigos encarnados, utilizando-os em espetáculos indébitos para a curiosidade humana.

Realmente observamos companheiros que se confiam a entidades não aperfeiçoadas, embora inteligentes, efetuando o fascínio provisório de muitos, no setor das gratificações sentimentais menos construtivas, entretanto, aí temos apenas o encantamento temporário e nada mais.

Tarefa mediúnica, no fundo, é consagração do trabalhador ao ministério do bem. O fenômeno, dentro dela, surge em último lugar, porque, antes de tudo, representa caridade operante, fé ativa e devotamento ao próximo.

Quem busque orientação para empresas dessa ordem, procure a companhia do Cristo, que não vacilou em aceitar a cruz para servir, dentro do divino amor que lhe inflamava o coração.

Ser medianeiro das forças elevadas que governam a vida é sintonizar-se com a onda renovadora do Evangelho, que instituiu o “amemo-nos uns aos outros”, qual Jesus se dedicou a nós, em todos os dias da vida.

sábado, 5 de maio de 2018

A Idéia de Deus

A Idéia de Deus
A Idéia de Deus
“[...] O progresso do homem, o dos animais, seus auxiliares, o dos vegetais e o da habitação, [...] nada é estacionário na Natureza. Quanto essa ideia é grande e digna da majestade do Criador! E quanto, ao contrário, é pequena e indigna do seu poder a ideia que concentra sua solicitude e sua providência sobre o imperceptível grão de areia que é a Terra, e restringe a humanidade a alguns homens que a habitam!” (Allan Kardec, O Evangelho Segundo o Espiritismo, 2. ed. CELD, 2003. Cap. 3, item 19.) 


Deus ajude e abençoe a todos nós, nas múltiplas oportunidades que temos de agir em torno da elevação espiritual. A crença absoluta em Deus, a crença no ser que, acima de tudo, há de nos conduzir, mercê de sua bondade, compreensão e tolerância, nos dará força para a aquisição de valores que nos ajudarão a enfrentar os problemas e superar as dificuldades. 

Hoje, quando os homens da Terra se deixam levar pelo materialismo, isolados das verdades espirituais, priorizando a posse do dinheiro, com seu egoísmo nem sempre disfarçado; quando vemos as criaturas domarem os seus sentimentos e deixarem à solta a intolerância, nos seus variados aspectos, sentimos, de modo crescente, o quanto é importante infundirmos em nós a ideia de Deus. Pois que somente Deus será capaz de inspirar o respeito do homem pelo homem; somente Deus será capaz de ensinar a convivência pacífica, sem subjugação; somente a ideia de Deus fará com que o homem multiplique os seus recursos, não para dominar o mundo, mas para fazer com que a sociedade avance em moralidade e em equilíbrio; somente a ideia de Deus fará com que o homem aja de modo a criar condições para que todos sejam felizes; somente a ideia de Deus dará ao homem um sentimento profundo de religiosidade. 

quinta-feira, 3 de maio de 2018

O Egoísmo

O Egoísmo
O Egoísmo
Não nos sentemos jamais a uma mesa bem servida sem pensar naqueles que sofrem de fome. Esse pensamento tornar-nos-á mais sóbrios, comedidos nos nossos apetites e gostos. Pensemos nos milhões de homens curvados sob os ardores do estio ou sob as duras intempéries e que, em troca de um magro salário, retiram do solo os produtos que alimentam nossos festins e enfeitam nossas residências. Lembremo-nos de que, para iluminar nossa casa com uma luz resplandecente, para fazer jorrar nos nossos lares a chama benfeitora, homens, nossos semelhantes, capazes como nós de amar, de sentir, trabalham sob a terra, longe do céu azul e do alegre Sol, e, de picareta em punho, perfuram durante toda sua vida as entranhas da terra. Saibamos que, para ornar nossos salões de espelhos de cristais brilhantes, para produzir os inumeráveis objetos dos quais se compõem nosso bem-estar, outros homens, aos milhares, semelhantes a réprobos na fornalha, passam sua existência no calor calcinante dos altos fornos das fundições, privados do ar, extremados, consumidos antes do tempo, não tendo como perspectiva senão uma velhice desnudada e sofredora. Saibamos que, todo esse conforto do qual desfrutamos com indiferença é comprado com o suplício dos humildes e o esmagamento dos pequenos. Que esse pensamento penetre em nós, nos persiga, obsedie; como uma espada de fogo, ele expulsará o egoísmo dos nossos corações e forçar-nos-á a consagrar os nossos bens, nossos lazeres, nossas faculdades ao aperfeiçoamento do destino dos fracos.



Autor: Léon Denis
Do livro: Depois da Morte.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Ouvidos

Ouvidos
Ouvidos



“Quem tem ouvidos de ouvir, ouça.” – Jesus.(Mateus, 11:15.)



Ouvidos... Toda gente os possui.

Achamos, no entanto, ouvidos superficiais em toda a parte.

Ouvidos que apenas registram sons.

Ouvidos que se prendem a noticiários escandalosos.

Ouvidos que se dedicam a boatos perturbadores.

Ouvidos de propostas inferiores.

Ouvidos simplesmente consagrados à convenção.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...